Ir para o conteúdo

Motta

Voltar a Crônicas do Motta
Tela cheia

Reinado da TV se aproxima do fim

27 de Janeiro de 2015, 10:45 , por Desconhecido - | No one following this article yet.
Visualizado 14 vezes
Se não tenho mais nenhuma dúvida de que os jornalões impressos vão acabar daqui a poucos anos, um aparelhinho chamado Google Chromecast, que minha mulher acabou de instalar em nosso aparelho de TV, me deixou convicto de que também o reinado da TV como principal fonte de lazer e informação está com os dias contados.

O tal aparelho é, como diziam os antigos, um ovo de Colombo. 


Ele permite conectar, via internet wifi, com a maior facilidade, um smartphone com um televisor. 

Feito isso, você pode assistir, na sua TV, a tudo o que está no Youtube ou no Netflix, por exemplo, em vez de ter de suportar a tortura que é ver um Faustão, um BBB ou um Jornal Nacional, no caso da TV aberta, ou as intermináveis reprises de filmes B na TV por assinatura.

Mesmo quem não quiser gastar uns R$ 200 para comprar o Google Chromecast pode, perfeitamente, usar a tela de seu aparelho de TV como monitor para os tesouros da internet.

Basta conectar o seu PC ou notebook com um cabo hdmi, que custa R$ 20 em qualquer loja de informática.

A televisão brasileira é um caso sério.

Ou melhor, um caso de polícia.

Todos sabem que o serviço é uma concessão do Estado, ou seja, nem a Globo, nem a Record ou nenhuma das emissoras é dona vitalícia do direito de explorar o serviço.

Uma concessão tem tempo determinado, além de regras a serem seguidas.

O problema todo é que no Brasil as autoridades responsáveis pela outorga e fiscalização dessas concessões simplesmente abdicaram de fazer o que deveriam fazer, há muito tempo, e dessa forma foi criada uma situação de fato, na qual os "donos" das emissoras de rádio e TV se acham no direito de não dar satisfação a quem quer que seja.

O resultado é isso que está aí - políticos donos de redes de jornais, rádios e televisões, uma concentração absurda de emissoras nas mãos de umas poucas famílias, programação de péssima qualidade, visando apenas obter lucro, uso indiscriminado das concessões para propaganda político-partidária-ideológica contra o governo trabalhista etc etc.

A instauração de um marco regulatório para o setor é urgente e vital para que a democracia avance no país.

Mas tudo indica que essa será uma batalha longa e de difícil prognóstico entre os poderosos "donos" das emissoras de rádio e TV e o governo federal.

Mais provável é que, antes que essa guerra termine, a internet tenha crescido a tal ponto que essa discussão toda fique superada.

No atual estágio da civilização humana, o tempo corre muito mais rapidamente.

Há pouco mais de 40 anos a televisão no Brasil era em preto e branco, não existia o controle remoto, os aparelhos, enormes, pesavam 20 quilos, as antenas faziam parte do cenário das cidades e os computadores - "cérebros eletrônicos" para alguns - ocupavam uma sala inteira.

Alguém tem saudade desses tempos? 
Fonte: http://cronicasdomotta.blogspot.com/2015/01/reinado-da-tv-se-aproxima-do-fim.html

Motta

0 comunidades

Nenhum(a)