Ir para o conteúdo

Motta

Voltar a Crônicas do Motta
Tela cheia

Um ano de vida nas montanhas (3)

4 de Fevereiro de 2015, 16:03 , por Desconhecido - | No one following this article yet.
Visualizado 25 vezes
Ronald Golias era um serrano de coração.
Hoje, ele fica sentado o dia todo num banco na praça da
Prefeitura. Os turistas adoram tirar fotos ao seu lado
Aécio Neves e Geraldo Alckmin tiveram, cada um, cerca de 70% dos votos dos eleitores de Serra Negra.

O candidato a deputado estadual mais votado, Edmir Chedid, do DEM, filho do notório Jesus Chedid, conseguiu ainda mais, 80% dos votos.

Os exemplos mostram como a cidade é conservadora.

O prefeito, um octogenário apelidado de Bimbo, também é do DEM. Seu filho foi eleito vereador, mas acabou cassado pela Justiça Eleitoral. O próprio Bimbo enfrenta processo que pode tomar o seu mandato.

Irregularidades à parte, todos sabem que quem manda mesmo na cidade é grupo político de Jesus Chedid.

Irmão de Nabil Abi Chedid, personagem que ajudou a tornar execrável a figura do cartola futebolístico brasileiro, Jesus usa seu poder político para alavancar seus negócios em várias cidades do interior paulista.

Não se sabe direito se seu grupo tem oposição em Serra Negra. Quem se diz der oposição num momento vira situação num outro.

O PT fez um vereador, bastante atuante, em seus limites, na Câmara Municipal. 

Na campanha eleitoral acabei conhecendo o pequeno grupo do PT local, uma rapaziada simpática e entusiasmada.

Na carreata de que participei vi cenas inesquecíveis: a moça que fez o sinal da cruz quando nos avistou; a idosa que começou a nos xingar, gritando, em plena calçada da rua Cel. Pedro Penteado; o prefeito Bimbo que, sem nenhuma discrição, passou ao lado dos carros que se preparavam para sair.

Tem gente que acredita piamente nas fantásticas histórias sobre o filho de Lula.

E ouvi, suando num calor de 35 graus, o dono de uma loja que vende malhas para o inverno, dizer que "essa recessão" era culpa "daquela mulher"...

O conservadorismo do serrano também pode ser visto em dezenas de igrejas evangélicas espalhadas pela cidade e pela devoção que os católicos têm pelos seus ritos.

A matriz lota na missa dominical.

Grande parte do movimento hoteleiro se deve aos evangélicos, que estão sempre promovendo algum encontro - de jovens, de casais, de mulheres - na cidade.

Anos atrás, quando ainda não morava em Serra Negra, levei um susto ao ver, nas duas ruas principais, centenas de mulheres passeando em grupos, todas de cabelos compridos, saias longas. A faixa num dos hotéis, com a frase "Bem-vindas mulheres evangélicas" tornou-se desnecessária para entender o que estava havendo. 

Noutra ocasião, os quase 3 mil lugares do auditório do Centro de Convenções lotaram de "fiéis" que foram ouvir o inacreditável Sila Malafaia.

Detalhe: o ingresso custou, se não me engano, R$ 150.

A palavra de Deus é muito valorizada em Serra Negra.

Fonte: http://cronicasdomotta.blogspot.com/2015/02/um-ano-de-vida-nas-montanhas-3.html

Motta

0 comunidades

Nenhum(a)