Ir para o conteúdo

Motta

Voltar a Segundo Clichê
Tela cheia

Concerto da Sinfônica Municipal de SP terá Vivaldi e Piazzolla

15 de Março de 2019, 10:32 , por segundo clichê - | No one following this article yet.
Visualizado 68 vezes

A Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo (OSM) vai tocar a famosa pela As Quatro Estações, de Antonio Vivaldi, e As Quatro Estações Portenhas, de Astor Piazzolla, na sexta-feira, 22, às 20 horas, e sábado, 23, às 17 horas, no Teatro Municipal de São Paulo. As apresentações têm a direção musical do spalla da OSM, violinista Alejandro Andrés Aldana, que também é solista nesse concerto.

As Quatro Estações, de Vivaldi, são quatro concertos para violino e orquestra, acompanhados de sonetos sobre cada estação do ano.  “O compositor foi um dos maiores expoentes do barroco, com cerca de 770 obras. As Quatro Estações ajudaram a consolidar o estilo ‘música descritiva’, que procura evocar ideias e imagens na mente do ouvinte”, explica Alejandro Andrés Aldana. A obra, composta em 1723, acentua algumas possibilidades de sons com os instrumentos, como a reprodução sonora de passarinhos, do mar.

A peça inspirou o compositor Astor Piazzolla a compor os tangos de As Quatro Estações Portenhas quase dois séculos e meio depois. A peça latina, melancólica e ao mesmo tempo vigorosa, foi escrita originalmente para violino, guitarra elétrica, piano, baixo e bandoneon.

No entanto, neste concerto, a orquestra vai executar as duas obras a partir da adaptação feita pelo compositor russo Leonid Desyatnikov, entre 1996 e 1998, para violino e orquestra de cordas. Nesta adaptação, Desyatnikov incorpora trechos de cada estação de Vivaldi às estações portenhas de Piazzolla, tornando mais clara essas referências. 

Alejandro Aldana estudou no Instituto Universitário Patagónico de Artes, na Argentina, e na Universidade de Música e Artes Visuais de Frankfurt am Main, na Alemanha. É spalla da Orquestra Sinfônica Municipal desde a temporada 2018, ingressou na OSM como “Solista A”, chefe de naipe dos primeiros violinos, em 2015. De 2011 a 2015, foi spalla da Orquestra Sinfônica Brasileira, no Rio de Janeiro. Na Alemanha, trabalhou na Orquestra da Ópera de Stuttgart e foi spalla convidado da Ópera de Frankfurt e da Museumsorchester. Já se apresentou com a Orquestra Sinfônica Municipal, a Orquestra Sinfônica Brasileira, a USP Filarmônica de Ribeirão Preto, a Orquestra Sinfônica de Mar del Plata, a Orquestra Sinfônica de Rosario, e a Orquestra Filarmônica de Rio Negro e, em 2018, se apresentou na Grande Sala do Teatro Colón. Foi vencedor das competições El sonido y el Tiempo, em Buenos Aires e o Concorso F. Zadra, na Itália. Foi membro dos festivais de Verbier, Lucerne, Schleswig Holstein e Orquestra das Américas.
Fonte: http://segundocliche.blogspot.com/2019/03/concerto-da-sinfonica-municipal-de-sp.html

Motta

0 comunidades

Nenhum(a)