Ir para o conteúdo

Motta

Voltar a Segundo Clichê
Tela cheia

Concertos didáticos levam música para crianças de Peruíbe

27 de Setembro de 2018, 9:47 , por segundo clichê - | No one following this article yet.
Visualizado 26 vezes

Com o intuito de inspirar os jovens de Peruíbe (SP) e compartilhar conhecimento, até o fim do ano a Banda Sinfônica do Instituto Relfe e o maestro Marcos Sadao Shirakawa estarão em escolas públicas da cidade. No total, 12 concertos didáticos repletos de informação e que promovem o acesso à cultura serão ofertados. No fim, mais de 2.800 crianças, adolescentes e professores terão sido impactados pela atividade.

O Concerto Didático é um espetáculo em que, entre uma apresentação musical e outra, há uma troca de conhecimento com a plateia. “É muito comum responder a questões como ‘qual a diferença entre orquestra e banda sinfônica?’, ‘que instrumento é esse?’, ‘o que é música sinfônica?’ e há outras também”, explica o maestro Marcos Sadao Shirakawa. “Essas informações são passadas de forma interativa, pois podem ser o primeiro contato do público com esse tipo de música e é muito importante criar uma proximidade.”

À frente da direção artística e coordenação pedagógica do Projeto Notas do Futuro, do Instituto Relfe, o maestro Marcos Sadao Shirakawa (ex-regente da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo) é quem conduz os Concertos Didáticos em escolas da rede pública de Peruíbe. Ele também está à frente da Orquestra e da Banda Sinfônica do Instituto Relfe, formadas por crianças e adolescentes que participam das atividades do Instituto Relfe.

Em quatro tópicos, o maestro Sadao comenta o que os Concertos Didáticos podem proporcionar ao público infanto-juvenil:

1) Apresentar instrumentos musicais de uma banda sinfônica - Muitos podem conhecer uma flauta, mas e uma tuba? E um eufônio? Qual o som de um trompete? E de um trombone? Para crianças e adolescentes, o universo musical se mostra ainda maior ao participarem de um Concerto Didático. Todos os instrumentos da banda, bem como os seus sons, são apresentados, demonstrados e apreciados ao vivo. Esse pode ser o primeiro passo rumo à música instrumental.

2) Despertar o interesse pela música instrumental - O Concerto Didático proporciona o contato direto com uma banda sinfônica, que pode ser o primeiro de muitos. Ele representa um novo mundo para os participantes e é o momento que o público mirim prepara os ouvidos para receber novos sons. Antes e depois de apresentar as diferentes possibilidades de sons e tantos instrumentos musicais, a Banda Sinfônica do Instituto apresenta um repertório que mescla o erudito e o popular. Ao alternar o momento de compartilhar conhecimento com as músicas do concerto, é possível atrair a atenção do público. 

3) Estimular a busca por estilos musicais não convencionais - A música instrumental nem sempre está disponível nas rádios ou canais de televisão. Porém, existem diferentes vertentes musicais no mundo. Em um Concerto Didático, este horizonte é ampliado para os participantes, que têm acesso, em particular, a conceitos da música erudita. As informações e curiosidades são transmitidas de  forma leve e didática. Nós devemos proporcionar o acesso à cultura e entretenimento. Portanto, este contato com novas músicas e compositores, pode significar o início de apreciação da música erudita e de outros estilos musicais existentes. O importante é mostrarmos que existem novas perspectivas.


4) Formação de plateia - Ao receberem incentivos para apreciarem a música instrumental desde cedo, estas crianças e adolescentes serão as próximas plateias de concertos diversos. A apresentação da Banda Sinfônica do Instituto Relfe é um estímulo para muitos desses jovens. Eles podem se espelhar nos participantes do projeto Notas do Futuro, por exemplo. Os ainda mais interessados tendem a buscar mais informações para encontrar novas músicas e possibilidades.

“Ao promover os Concertos Didáticos em Peruíbe, o Instituto Relfe tem como objetivo ampliar o contato da plateia com a música instrumental”, afirma Bruno Grassano, diretor-executivo do Instituto Relfe. “Também é importante para a Banda Sinfônica do Instituto apresentar seu talento e desenvolvimento Relfe, além de estimular ainda mais o público infanto-juvenil a buscar pela cultura e informação”.   

Sobre o Instituto Relfe

 O Instituto Relfe é uma organização sem fins lucrativos, que atua  desde 2007 em periferias da cidade de Peruíbe. Notas do Futuro é o principal projeto do instituto, e visa a transformação social de crianças e adolescentes por meio da musicalização, aulas de música e oficinas de desenvolvimento social. Para isso, a direção artística e coordenação pedagógica das aulas de música estão a cargo do maestro Marcos Sadao Shirakawa, ex-regente da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, que trabalha com uma equipe de seis professores. 

Peruíbe foi classificada como a quinta cidade mais violenta do Estado de São Paulo, o que aumenta a importância do trabalho e a responsabilidade de atuação do Instituto Relfe, que tem polos nos bairros Vila Erminda e Caraguava. São mais de 40 profissionais trabalhando com o intuito de promover a cultura, inclusão, cidadania, autonomia e gerar oportunidades para mais de 350 crianças, por mês.

Os beneficiados participam gratuitamente de aulas teóricas e práticas instrumentais de clarinete, flauta transversal, sax, trompete, trombone, tuba, eufônio, violino, viola, violoncelo, contrabaixo acústico e percussão, além da Prática de Conjunto, aula didática exclusiva para que os participantes pratiquem seus instrumentos em conjunto. Do projeto foram formadas a Banda Sinfônica e a Orquestra do Instituto Relfe. 

Mais sobre o instituto em www.institutorelfe.org.br
Fonte: http://segundocliche.blogspot.com/2018/09/concertos-didaticos-levam-musica-para.html

Motta

0 comunidades

Nenhum(a)