Ir para o conteúdo

Motta

Voltar a Segundo Clichê
Tela cheia

Samba para quem precisa

21 de Setembro de 2018, 14:16 , por segundo clichê - | No one following this article yet.
Visualizado 28 vezes

Iniciativa do Instituto Brilhante em prol da Fundação Cafu, instituição beneficente criada pelo ex-jogador Cafu, pentacampeão mundial pela seleção brasileira, e do Amigos sem Fronteiras, será inaugurado na segunda-feira, 24 de setembro, o projeto musical Segunda Sem Fronteiras no Pátio SP – bar de música brasileira, na boêmia Vila Madalena, em São Paulo – a partir das 18 horas. “Sem Fronteiras porque será um dos que serão ajudados e também porque nossas segundas serão destinadas à música, sem restrição. É a música a favor de quem precisa”, diz Christian Caballero, um dos sócios do Pátio SP.

O que o público pode esperar? Um samba de qualidade, amizade e caridade e, principalmente, sem fronteiras. Todas as segundas-feiras o Pátio SP vai receber os melhores sambistas do Brasil para fazer o bem.

Quem vai comandar a roda de samba na próxima segunda-feira será o compositor Claudemir Rastafari, às 21 horas. Com cerca de 480 músicas gravadas, já compôs para artistas consagrados com Zeca Pagodinho, Péricles e grupo Revelação, por exemplo. E, muitas viraram hits, como “Ser Humano” e “Ogum”, cantadas por Zeca Pagodinho; “Êta amor”, interpretada por Péricles e Xande de Pilares; “Fala Baixinho”, “Queiroz” e “Aventureiro”, gravadas pelo grupo Revelação; “Se eu Largar o Freio”, na voz de Péricles.

Sempre haverá um convidado especial, e quem “inicia os trabalhos” é o mestre compositor Serginho Meriti, que se consolidou entre os grandes sambistas do país. Teve músicas gravadas por Zeca Pagodinho, Jovelina Pérola Negra, Fundo de Quintal, Martinho da Vila, Beth Carvalho, Arlindo Cruz, Neguinho da Beija Flor, Alcione, Mussum, Bezerra da Silva e Elza Soares. Mas não ficou só no samba, também produziu canções para grupos como Blitz, Sorriso Maroto, Cidade Negra, Maria Rita, Marcelo D2 e Rappa. São mais de 1.000 composições, 700 músicas gravadas e 300 grandes sucessos, como “Deixe a Vida Me Levar”, imortalizada pelo Zeca Pagodinho e ganhadora do Grammy latino em 2003.

Os ingressos são vendidos pelo www.sympla.com.br, por R$ 50. “A ideia é conseguir a adesão das pessoas em prol dessa causa. Além de curtir uma noite incrível no Pátio SP, a pessoa fará uma boa ação: parte da bilheteria será revertida para as duas instituições”, diz Caballero.

“As pessoas precisam parar de pensar só em si mesmas, podemos ajudar uns aos outros. Por isso, nós do Pátio, decidimos abrir, literalmente, às segundas para fazermos o que mais gostamos ao mesmo tempo que ajudamos”, conta. Dudu Nobre e Anderson Leonardo, do grupo Molejo, são alguns que já vestiram a camisa dessa iniciativa.

Fundação Cafu

O sonho Fundação Cafu, idealizado pelo capitão do penta, se tornou realidade em 2004, no Jardim Irene, bairro onde o ex-jogador nasceu, cresceu e pelo qual tem um grande carinho. Desde então, a instituição vem utilizando a cultura e o esporte como ferramentas de desenvolvimento social e humano, atendendo crianças, jovens e adultos moradores do Jardim Irene e bairros vizinhos, comunidades socialmente vulneráveis.

A instituição foi construída com o intuito de gerar oportunidades de desenvolvimento para os moradores da região em combate à desigualdade social. Hoje, presta atendimento a 950 educandos, por meio de atividades que são realizadas no contraturno escolar, com o objetivo de afastá-los das ruas para que não sejam influenciados de forma negativa.

Pátio SP      

A esquina das ruas Mourato Coelho com a Wisard já virou point na boêmia Vila Madalena. Sextas, sábados e domingos, com lotação completa, são a marca do ponto privilegiado do bairro que atrai a frequência de moradores de outros lugares da cidade. Pelas grandes portas envidraçadas que separam a calçada do bar, é possível ver a galera entusiasmada que procura o local para curtir as atrações musicais, os bons drinks e petiscos servidos na casa.

Para Christian Caballero e Victor Gambardella, sócios da casa, o Pátio SP conseguiu conquistar o público que gosta de frequentar um ambiente bonito, que tem jardim vertical, grafite na parede, teto retrátil e mobiliário feito de pallets reciclados; com boa comida e bebida e música ao vivo eclética e de qualidade. 

No cardápio há o resgate de itens como sanduíche de carne-louca, pavê de chocolate e pudim de leite, que faz lembrar comida da avó e das boas festas de família. Ao mesmo tempo, serve petiscos que não podem faltar na mesa de um bom bar, como croquete de costela, dadinhos de tapioca e espeto de frango com farofa.

Na parte de coquetelaria, a ideia é oferecer bebidas e drinques que passeiam entre os clássicos, autorais e especialidades do Pátio SP. Uma seleção inspirada em pontos turísticos da cidade, como Viaduto do Chá e Pátio do Colégio, por exemplo, e em brasilidades, como a rapadura e a caipirinha fazem sucesso.
Fonte: http://segundocliche.blogspot.com/2018/09/samba-para-quem-precisa.html

Motta

0 comunidades

Nenhum(a)