Ir para o conteúdo

Motta

Voltar a Segundo Clichê
Tela cheia

Um reencontro, uma festa para celebrar a amizade e a música

7 de Agosto de 2018, 10:32 , por segundo clichê - | No one following this article yet.
Visualizado 10 vezes

Carlos Motta

O reencontro dos quatro integrantes do grupo Bombom, uma "boy band" que fez um sucesso fulminante no ano de 1983 com a música "Vamos a La Playa", nesta quinta-feira, 9 de agosto, no Sesc Piracicaba, onde vão gravar, a partir das 20 horas, para a rádio Educativa FM da cidade, uma edição especial do programa Resgate 105, poderia ser apenas mais uma atividade extra na vida dos hoje atarefados senhores. Mas não. Eles encaram a reunião como uma celebração de uma amizade que dura mais de três décadas e um ato de profundo respeito à música. 

O Bombom durou pouco - foi desfeito em 1985. Mas o tempo em que Sandro Haick, Fernando Seifarth, Marcelo Papini e Paulo Roberto Rozani estiveram juntos, ensaiando, viajando, tocando para os mais diversos tipos de público, conhecendo outros músicos e os bastidores do meio artístico, foi o suficiente para despertar nos quatro o amor à música.

O multi-instrumentista Sandro Haick se tornou um dos mais conceituados músicos do país, produziu inúmeros artistas e gravou vários discos, tendo, durante anos, acompanhado Dominguinhos por suas andanças. Trabalha intensamente em seu estúdio, toca no grupo Os Incríveis, com seu pai, o baterista Netinho, desenvolve o curso online “O segredo da música", que tem quase mil alunos, e ministra oficinas e workshops por todo o Brasil.

Fernando Seifarth, o "Dino" do Bombom, formou-se em Direito no Largo de São Francisco e ingressou na magistratura paulista, sendo atualmente juiz da Vara da Família em Piracicaba. Passou a ter a música como hobby e fez uma verdadeira imersão no jazz cigano, gênero criado pelo belga Django Reinhardt nos anos de 1930 que se espalhou pelo mundo. Fundou o grupo “Hot Club de Piracicaba” em 2008, com o qual gravou três CDs, está constantemente tocando em público, e produz o Festival de Jazz Manouche de Piracicaba, evento que reúne destacados músicos do Brasil e de exterior, desde 2013.

Marcelo Papini seguiu a carreira solo como cantor, compositor e produtor musical, e foi um dos fundadores da banda paulistana Vexame, com a atriz Marisa Orth.

Paulo Roberto Rozani  trabalha na Izzo, empresa fabricante de instrumentos musicais, mantém contato constante com artistas brasileiros, e toca eventualmente contrabaixo em jam sessions. 

É ele quem resume o que significou, para os quatro, o que foi participar do Bombom: "A experiência foi fundamental em nosso aprendizado, pois aquela época era muito diferente da atual, não havia a tecnologia de agora e tudo era muito difícil para evolução de um músico." Ele continua: "Tais dificuldades criavam músicos que aprendiam na marra e com muito mais competência técnica do que hoje, na minha opinião". E como exemplo, cita os companheiros da banda: "José Fernando, Sandro Haickk e Marcelo Papini são frutos que expressam essa realidade, com uma competência ímpar e muita musicalidade. Hoje todos nós utilizamos enormemente aquele aprendizado em nossos trabalhos."

Opinião parecida tem Marcelo Papini que diz que tocar no Bombom foi muito importante para o seu crescimento pessoal e profissional, "pois foi ali que comecei a entender e pude lapidar melhor as coisas". Marcelo confessa que vive a música "de uma maneira intensa",  acompanha o mais que pode o que se faz hoje no Brasil, mas procura seguir seu próprio caminho e "sempre trocar experiências com outros músicos".

E se ele pretende continuar sua atividade como músico, se apresentando em festas e eventos, seu amigo Paulo Rozani confessa que tem um trabalho solo como cantor guardado, e está em seus planos gravá-lo, "certamente ao lado desses meus três grandes amigos".

No palco do Sesc Piracicaba, na quinta-feira, Sandro, Fernando, Marcelo e Paulo vão relembrar as músicas do Bombom, tocar músicas próprias e de outros artistas, além de falar o tempo em que estiveram juntos. O programa será levado ao ar pela rádio Educadora FM no dia 25 de agosto, sábado, às 14 horas.

Fonte: http://segundocliche.blogspot.com/2018/08/um-reencontro-uma-festa-para-celebrar.html

Motta

0 comunidades

Nenhum(a)