Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Amazon lança projeto contra produtos falsificados

11 de Agosto de 2020, 12:10 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 22 vezes

A Amazon anunciou nesta terça-feira a ampliação do programa “Project Zero”, que ajuda a identificar produtos falsificados em sua plataforma, para sete novos países, incluindo o Brasil.

Por Redação, com Reuters – de São Paulo

A Amazon anunciou nesta terça-feira a ampliação do programa “Project Zero”, que ajuda a identificar produtos falsificados em sua plataforma, para sete novos países, incluindo o Brasil.

Amazon lança projeto contra produtos falsificados no Brasil e em mais seis paísesAmazon lança projeto contra produtos falsificados no Brasil e em mais seis países

O Project Zero, criado no ano passado, também foi lançado na Austrália, Holanda, Arábia Saudita, Cingapura, Turquia e nos Emirados Arábes Unidos, totalizando 17 países em que o programa está ativo.

A iniciativa busca identificar de forma automatizada, através da tecnologia de aprendizado de máquina, potenciais produtos falsificados na plataforma da Amazon.

– A Amazon está comprometida em proteger nossos clientes e as marcas com as quais colaboramos em todo o mundo – disse o vice-presidente de confiança ao cliente e suporte ao parceiro da Amazon, Dharmesh Mehta, em nota.

Mercado Livre

O Mercado Livre mais do que triplicou o lucro líquido no segundo trimestre sobre o mesmo período do ano passado com forte crescimento em receitas, uma vez que medidas de isolamento social impulsionaram as vendas e transações online.

A companhia teve lucro líquido de US$ 55,9 milhões de abril a junho. Por ação, o lucro foi de US$ 1,11 ante expectativa média de analistas apurada pela Refinitiv de prejuízo de 0,06 dólar por papel.

A receita líquida divulgada pelo grupo na segunda-feira somou US$ 878,4 milhões, um salto de 61% em relação ao mesmo período do ano anterior, superando estimativa de US$ 732,2 milhões, segundo a Refinitv.

As vendas totais de vendedores do marketplace do Mercado Livre (GMV) somaram US$ 5 bilhões, alta de 48,5%. O número de produtos vendidos disparou 101,4%, para US$ 178,5 milhões, enquanto a base de usuários ativos únicos subiu 45,2%, para US$ 51,5 milhões.

– Registramos um impulso ao ecommerce no trimestre, motivado em parte por um crescimento expressivo de clientes que nunca tinham comprado pela Internet antes – disse o vice-presidente da empresa para América Latina, Stelleo Tolda.

– A parte não tão boa foi a que dependemos de terceiros, como de serviços de entregas. Em alguns bolsões de Rio Janeiro e São Paulo houve maior piora na logística. Isso nos levou a acelerar investimentos no setor – acrescentou, mencionando a multiplicação dos entrepostos, pequenos centros logísticos espalhados pelo país, que segundo ele ajudaram na parte final das entregas.

O Mercado Livre mantém para 2020 o plano de investimentos de R$ 4 bilhões no país.

Tolda afirmou ainda que o Mercado Livre desistiu de abrir um grande centro logístico em Gravataí (RS) e agora vai escolher uma cidade em outro Estado do Sul do país. “Houve uma dificuldade em relação à questão tributária e vamos fazer em outro local”, disse o executivo.

O grupo com sede na Argentina, mas que tem a maior parte da sua operação no Brasil, registrou volume total de pagamentos (TPV, na sigla em inglês) em alta de 72% ano a ano, atingindo 1R$ 1,2 bilhões entre abril e junho.

De acordo com Tolda, o braço financeiro da companhia, Mercado Pago, também se beneficiou do crescimento do ecommerce. A unidade foi mais conservadora na renovação de contratos de crédito no começo da pandemia, mas a situação começou a se normalizar e não foi necessário fazer grandes provisões para perdas esperadas com inadimplência.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/amazon-lanca-projeto-produtos-falsificados/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias