Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Bolsonaro distorce realidade e subverte luta contra o coronavírus

26 de Fevereiro de 2021, 15:27 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 17 vezes

Bolsonaro chegou ao Ceará acompanhado de Tarcísio Gomes de Freitas, ministro da Infraestrutura, e Gilson Machado, ministro do Turismo. No município, foram assinadas três ordens de serviço para a retomada de três obras que estavam suspensas.

Por Redação – de Fortaleza e São Paulo

Em um compromisso público em Tianguá, no interior cearense, nesta sexta-feira, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) seguiu adiante nas críticas às providências mais básicas na luta contra o coronavírus que até agora, ao longo de um ano, matou mais de 250 mil brasileiros. Depois de usar dados duvidosos para questionar a eficácia das máscaras higiênicas, Bolsonaro agora se pronuncia contrário às medidas de fechamento do comércio, também conhecidas como lockdown, e diz que a consequência será a “destruição de empregos”.

Bolsonaro provocou um tumulto ao visitar o pequeno município de Tianguá, no interior cearense

— Aos políticos que me criticam, sugiro que façam o que eu faço. Tenho um prazer muito grande de estar no meio de vocês. Dizer a esses políticos do Executivo, o que eu mais ouvi por aqui é: ‘presidente, eu quero trabalhar’. O povo não consegue ficar mais dentro de casa. O povo quer trabalhar. Esses que fecham tudo e destroem empregos estão na contramão daquilo que o povo quer — afirmou o mandatário.

Aglomeração

Bolsonaro chegou ao Ceará acompanhado de Tarcísio Gomes de Freitas, ministro da Infraestrutura, e Gilson Machado, ministro do Turismo. No município, foram assinadas três ordens de serviço para a retomada de três obras que estavam suspensas: a travessia urbana de Tianguá, parada desde 2011, o traçado da rodovia que liga os municípios Frios e Umirim, na BR-222, e o viaduto de Horizonte, na BR-166.

À tarde, o presidente foi até a capital, Fortaleza, para uma visita à obra de duplicação da BR-122, que liga o município de Caucaia ao Porto de Pecém, e o anel viário da cidade. A volta de Bolsonaro a Brasília está prevista para as 18h10. O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), afirmou que, para evitar aglomerações, não encontrará o presidente durante a agenda no Estado.

Nas redes sociais, Santana disse que a possibilidade de reunião de muitas pessoas em um mesmo espaço é “algo frontalmente contrário à gravíssima crise sanitária” que o país enfrenta. Camilo também disse que “tem respeito à autoridade”, mas que não pode compactuar com o que considera um “grave equívoco”. No evento, que contou com aglomerações, parte dos presentes gritou “Fora, Camilo” em referência ao governador.

Fonte duvidosa

Na noite passada, Bolsonaro usou sua transmissão semanal pela internet para, mais uma vez desestimular, o uso de máscaras contra a covid-19. No mesmo dia em que o Brasil registrou a segunda pior marca de mortes pela doença em 24 horas, o presidente mencionou uma “universidade alemã” que teria apontado num “estudo” que máscaras são “prejudiciais a crianças”.

— Começam a aparecer aqui os efeitos colaterais das máscaras. Uma universidade alemã fala que elas são prejudiciais a crianças. Leva em conta diversos itens: irritabilidade, dores de cabeça, dificuldade de concentração, diminuição da percepção de felicidade, recusa em ir para a escola ou creche, desânimo , comprometimento da capacidade de aprendizado, vertigem e fadiga — afirmou Bolsonaro

Mas a verdade é outra. Nenhuma universidade alemã elaborou qualquer estudo com essa conclusão. Na realidade, Bolsonaro citou os resultados de uma pouco rigorosa enquete online realizada por cinco pesquisadores da Universidade de Witten/Herdecke, no Estado alemão da Renânia do Norte-Vestfália. O objetivo dos pesquisadores era formar um banco de dados para coletar relatos sobre o uso de máscaras em crianças.

Dados coletados

No segundo semestre de 2020, os pesquisadores disponibilizaram um questionário online para coletar relatos. Até 26 de outubro, 20.353 pessoas haviam respondido o questionário, inserindo dados de supostas 25.930 crianças. Entre os participantes, 87.7% indicaram serem “pais”. A participação era voluntária e aberta para qualquer pessoa que clicasse no link do questionário, sem qualquer coleta de amostras da população para ter um quadro representativo da sociedade alemã.

Os resultados, segundo os dados coletados, foram os seguintes:

“Perturbações causadas pelo uso da máscara foram relatados por 68% dos pais. Incluíam irritabilidade (60%), dor de cabeça (53%), dificuldade de concentração (50%), diminuição da felicidade (49%), relutância em ir à escola/jardim de infância (44%), mal-estar (42%) prejuízos à aprendizagem (38%) e sonolência ou fadiga (37%).”

No entanto, os dados disponibilizados pelos pesquisadores deixam claro que a enquete tinha pouco rigor científico, funcionando mais como uma coletânea de anedotas. Os pesquisadores não estabeleceram grupos de controle com crianças sem máscaras para comparar os efeitos e também não colocaram em prática critérios para diferenciar efeitos de doenças ou condições pré-existentes. O questionário também exibe itens vagos, como “sensação de doença”.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/bolsonaro-distorce-realidade-subverte-luta-contra-coronavirus/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias