Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

E a polêmica envolvendo o Ministério Público?

21 de Outubro de 2021, 19:55 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 49 vezes

Procuradores retiraram da cena política um candidato testado e aprovado pela maioria e colocaram um criminoso no poder. E, mais tarde, os processos que condenaram Lula e outros se mostraram fraudulentos ou ilegais.

Por Fábio Lau – do Rio de Janeiro

Tirar poderes absolutos de procuradores se tornou uma obsessão especialmente porque cometeram excessos e não foram punidos. O passa-pano habitual, mesmo diante do escândalo envolvendo o processos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outros mais, leva muita gente a repensar o papel dito “fiscalizador”.

dallagnol e moroMoro e Dallagnol foram desmascarados, ao longo dos últimos anos, mas os estragos da Operação Lava Jato já estavam consolidadas

Os atos esconderam fins políticos. 

Retiraram da cena política um candidato testado e aprovado pela maioria e colocaram um criminoso no poder. E, mais tarde, os processos que condenaram Lula e outros se mostraram fraudulentos ou ilegais.

Deltan Dallagnol deveria ter sido exemplarmente punido pelo conjunto da obra. Sua iniciativa de usar a Operação Lava Jato para enriquecer, com palestras, ou fazer acordo sigiloso para receber recursos adiante, coisa de US 2 bi, é crime grave que, comprovado, deveria colocá-lo na cadeia.

Juiz corrupto

O MP se revela tão corporativista como qualquer outra instituição. E não são poucas que padecem desta praga nacional. E o corporativismo costuma absolver e proteger o pior deles. E é isso que fragiliza as instituições. 

Hoje, o saldo confirma. Podemos dizer que a Lava Jato fez mais mal do que bem ao país. O oba-oba inicial desaguou em um juiz corrupto que mais tarde trocaria a toga pelo ministério daquele que ajudou a vencer. A mídia conservadora silenciou e muita gente ganhou dinheiro com a Ilha da Fantasia de Sérgio Moro e Dallagnol.

Apenas este resultado bastaria para definir o que foi a Operação Lava Jato – que mereceu até filme com recursos jamais esclarecidos. Ou, ainda, as denúncias ignoradas do advogado Tacla Duran: dinheiro de acordos iriam para a bolsa da mulher do juiz.

Nada apurado 

E tudo com a cumplicidade do MP. 

Assusta, agora, parte da esquerda se aproximar deste imbróglio pela ingênua defesa de que o MP precisa de autonomia para atuar. Especialmente se não ficar claro e definido algo indispensável: atuar a favor de quem?

Diz o estatuto do MP que ele deve ser o fiscal da sociedade. 

Mas a verdade é que reconhecem como “sociedade” aqueles que vestiram verde e amarelo e promoveram o golpe em 2016. 

E foi ela, aquela sociedade, que nos trouxe aqui.

Fábio Lau é jornalista, editor do site de notícias Conexão Jornalismo.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/polemica-envolvendo-ministerio-publico/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias