Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Guerra comercial e o desempenho de Haddad influem no mercado financeiro

9 de Agosto de 2018, 16:16 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 46 vezes

Nesta manhã, durante o pregão, a XP Investimentos lançou nota com comentário sobre o primeiro debate entre os presidenciáveis, na noite desta quinta-feira.

 

Por Redação – de São Paulo

 

O dólar subia nesta quinta-feira e voltava a se aproximar do patamar de R$ 3,80 diante da cautela com a cena eleitoral local e seguindo o cenário externo, em ambiente de guerra comercial entre Estados Unidos e seus parceiros. Às 10h16, o dólar avançava 0,65%, a R$ 3,7904 na venda, depois de terminar com leve baixa de 0,03% na última sessão. O dólar futuro tinha alta de cerca de 0,45%.

O dólar sofreu um ajuste no pregão frente ao realO dólar sofreu um ajuste no pregão frente ao real

Nesta manhã, durante o pregão, a XP Investimentos lançou nota com comentário sobre o primeiro debate entre os presidenciáveis, na noite desta quinta-feira.

“Com mais de 30% dos eleitores com votos brancos e nulos, e os eleitores indecisos, o evento é visto como uma grande oportunidade para candidatos melhorarem seu desempenho”, escreveu a corretora.

Judiciário

O mercado tem se mostrado bastante sensível à corrida eleitoral, com candidatos que considera mais voltados a reformas e ajustes fiscais sem ganhar tração na preferência do eleitorado, com destaque para Geraldo Alckmin (PSDB).

Em duas pesquisas realizadas apenas no Estado de São Paulo, o tucano e ex-governador paulista aparece em empate técnico com o candidato do PSL, Jair Bolsonaro. O analistas de mercado também não gostaram da notícia de que os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) aprovaram na véspera aumento de 16,38% em seus salários a partir de 2019. A proposta ao Ministério do Planejamento deverá gerar efeito cascata em todo o Judiciário.

Caso aprovada, os reajustes podem aumentar em quase R$ 1 bilhão as despesas do governo no ano que vem, cuja meta de déficit primário é de R$ 139 bilhões.

— Aparentemente, os poderes não intuíram a gravidade da situação fiscal brasileira — afirmou à agência inglesa de notícias Reuters o economista-chefe do Home Broker ModalMais, Alvaro Bandeira.

Rolagem

No exterior, o dólar subia ante uma cesta de moedas e também sobre a maioria das divisas de países emergentes, como o peso chileno, diante da percepção de que a intensificação na guerra comercial entre os Estados Unidos e a China afetaria mais as economias voltadas para a exportação.

O Banco Central brasileiro realiza nesta sessão leilão de até 4,8 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares para rolagem do vencimento de setembro, no total de US$ 5,255 bilhões.

Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

Leia a íntegra desta matéria na EDIÇÃO DIGITAL do Correio do Brasil.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/guerra-comercial-desempenho-haddad-influem-mercado-financeiro/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias