Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

ONU diz que polarização pode agravar pandemia no Brasil e outros países

30 de Junho de 2020, 13:32 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 15 vezes

A alta comissária de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), Michelle Bachelet, manifestou nesta terça-feira a preocupação de que a polarização e declarações que neguem a realidade da pandemia de covid-19 possam agravar a situação provocada pela doença.

Por Redação, com Reuters – de Nova York

A alta comissária de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), Michelle Bachelet, manifestou nesta terça-feira a preocupação de que a polarização e declarações que neguem a realidade da pandemia de covid-19 possam agravar a situação provocada pela doença respiratória causada pelo coronavírus no Brasil e em outros países.

Alta comissária de direitos humanos da ONU, Michelle BacheletAlta comissária de direitos humanos da ONU, Michelle Bachelet

Em discurso durante sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU sobre a situação dos direitos humanos no mundo e os impactos da pandemia, Bachelet também expressou preocupação com a situação dos povos indígenas diante do contágio.

– É vital que os líderes mantenham comunicação consistente, crível e baseada em fatos com as pessoas às quais servem – disse Bachelet no discurso, antes de elogiar a resposta e abordagem da Coreia do Sul à pandemia e de manifestar preocupação com a situação no Brasil e em outros países, como os Estados Unidos.

– Em contraste, em Belarus, Brasil, Burundi, Nicarágua, Tanzânia e Estados Unidos, entre outros, estou preocupada que as declarações que negam a realidade do contágio viral, e a crescente polarização em questões fundamentais, possa intensificar a gravidade da pandemia ao minar esforços para conter a disseminação e fortalecer os sistemas de saúde – afirmou.

Jair Bolsonaro

Por mais de uma vez o presidente Jair Bolsonaro já minimizou a pandemia, classificando a covid-19 de uma “gripezinha” e desdenhando do número de mortos pela doença no país. Ele também entrou em rota de colisão com governadores que adotaram medidas de distanciamento social, como o fechamento do comércio, e acusou chefes de Executivos estaduais de exterminarem empregos.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, o Brasil tem mais de 1,36 milhão de casos confirmados de covid-19 e a doença já matou 58.314 pessoas no país.

Esses números fazem do Brasil o segundo país do mundo com maior número de casos e mortes por covid-19, atrás apenas dos Estados Unidos.

Sem citar especificamente o Brasil, Bachelet também se disse preocupada com a situação dos indígenas em meio à pandemia. O Brasil tem uma população indígena significativa, especialmente na região amazônica.

Populações indígenas

– Populações indígenas também são particularmente vulneráveis. Acesso inadequado a instalações de saúde e outras fundamentais exacerbam o risco da pandemia para eles, ao mesmo tempo que a ausência de dados desagregados dificulta a adoção de medidas personalizadas para atender às suas necessidades. É hora de essa negligência terminar – disse Bachelet.

Contactados por email, o Palácio do Planalto e o Ministério das Relações Exteriores não responderam imediatamente a pedidos por comentários.

 

 


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/onu-polarizacao-agravar-pandemia-brasil-paises/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias