Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Paris 2024: preços de hotéis e aluguel de apartamentos podem abalar o turismo

20 de Novembro de 2023, 13:51 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 28 vezes

O estudo também criticou os hotéis parisienses por demorar muito tempo para abrir suas plataformas de reserva para os Jogos, que ocorrerão de 26 de julho a 11 de agosto.

Por Redação, com Reuters – de Paris

Os turistas que vão a Paris no próximo ano para os Jogos Olímpicos enfrentarão grandes problemas com a alta dos preços dos hotéis e uma repressão contra o aluguel de apartamentos turísticos.

Preços de hotéis e aluguel de apartamentos podem abalar experiência turística de Paris-2024

Um relatório do gabinete de turismo de Paris mostrou que o preço dos hotéis pode subir 314% entre o verão de 2023 e o de 2024.

– Queremos jogos populares, e não podemos realizar jogos populares com diária a 700 euros – afirmou nesta segunda-feira Frederic Hocquard, vice-prefeito de Paris para o turismo e a vida noturna.

O estudo também criticou os hotéis parisienses por demorar muito tempo para abrir suas plataformas de reserva para os Jogos, que ocorrerão de 26 de julho a 11 de agosto. “Cerca de 66% dos hotéis ainda não estão disponíveis para reserva no período da Olimpíada”, informou.

Gabinete de Turismo da cidade

De acordo com o gabinete de Turismo da cidade, uma diária na região de Paris custava 169 euros em julho de 2023, mas deve subir para 699 euros no mesmo período do ano que vem. “O aumento é de 366% para as propriedades duas estrelas e 475% para as três estrelas”, informou o órgão.

Os visitantes podem optar pelo Airbnb, mas o Parlamento francês deve aprovar uma lei contra o aluguel ilegal de casas para turismo. Na cidade, os moradores podem alugar seus lares por no máximo 120 dias por ano. O Congresso deve aprovar uma lei para que os locadores sejam taxados.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/paris-2024-precos-hoteis-aluguel-apartamentos-podem-abalar-turismo/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias