Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

PSB cede e já admite França no Senado, para viabilizar Alckmin

17 de Janeiro de 2022, 15:46 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 14 vezes

Até agora, o cenário eleitoral de São Paulo é um dos principais empecilhos nas negociações entre PT e PSB, para uma aliança nacional entre as legendas. O PT ponderou que não faria sentido abrir mão da candidatura do ex-prefeito Fernando Haddad, primeiro colocado nas pesquisas ao Palácio dos Bandeirantes.

Por Redação – de São Paulo

Os principais líderes do PSB de Pernambuco, principal reduto eleitoral da legenda, já admitem nos bastidores que uma das alternativas para viabilizar o acordo do partido com o PT no plano nacional seria os pessebistas aceitarem lançar o ex-governador Márcio França ao Senado, e não ao governo paulista, conforme está colocado atualmente. A argumentação segue em linha com a proposta do PT para apoiar os socialistas no Estado; além do Espírito Santo e, possivelmente, no Rio Grande do Sul.

Márcio FrançaMárcio França poderá concorrer ao Senado, em apoio à candidatura de Haddad ao governo paulista

Até agora, o cenário eleitoral de São Paulo é um dos principais empecilhos nas negociações entre PT e PSB, para uma aliança nacional entre as legendas. O PT ponderou que não faria sentido abrir mão da candidatura do ex-prefeito Fernando Haddad, primeiro colocado nas pesquisas ao Palácio dos Bandeirantes.

São Paulo, no entanto, não é o único obstáculo para o entendimento. Permanecem as divergências entre as legendas em ao menos outros quatro Estados: Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Pernambuco, onde o PT lançou recentemente a pré-candidatura do senador Humberto Costa (PT) ao governo do Estado, com aval o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Reeleição

Em face das divergências, a avaliação da ala pernambucana do PSB, uma das mais influentes no partido, é de que a legenda também precisará abrir mão de alguns dos Estados em nome de concretizar a aliança nacional que visa levar o ex-presidente petista ao Palácio do Planalto, para um terceiro mandato.

Nesse cenário, essas lideranças pessebistas argumentam que a legenda deve priorizar, na negociação, garantir o apoio do PT nos estados atualmente governados pelo PSB. Entre eles, estão justamente Pernambuco e Espírito Santo, onde o governador Renato Casagrande tentará a reeleição.

Para os socialistas pernambucanos, no entanto, Márcio França pode até se fortalecer caso Geraldo Alckmin realmente se filie à sigla para ser vice de Lula por ela. Mas isso não será suficiente para convencer o PT a desistir de Haddad. A alternativa defendida, então, seria exigir a vaga ao Senado para França, o que seria uma proposta viável para os petistas, segundo apurou a reportagem do Correio do Brasil.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/psb-cede-admite-franca-senado-viabilizar-alckmin/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias