Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Sara Winter diz que bolsonaristas são gente perigosa e vai para o Sul

14 de Setembro de 2021, 17:46 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 52 vezes

Presa em junho de 2020 por ordem de Alexandre de Moraes no inquérito sobre os atos antidemocráticos, Winter afirma que qualquer conservador que faça criticas a Bolsonaro sofre um assassinato de reputação e que o presidente perdeu aliados de “boa fé” vítimas de ataques de seus apoiadores.

Por Redação – de Brasília

Presa por atentar contra o Supremo Tribunal Federal (STF), a ativista da extrema direita Sara Giromini, conhecida como Sara Winter — em homenagem a uma prostituta nazista que se tornou espiã do III Reich, na Grã-Bretanha —, revelou agora todo o seu descontentamento com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Ela classificou os atos de 7 de Setembro como “um desastre” e afirma que no Brasil há duas ditaduras: a do STF e a bolsonarista.

Sara Winters, alterego da prostituta e espiã nazista das décadas de 30 e 40 na Inglaterra, lidera grupo neonazista em BrasíliaSara Winters, alterego da prostituta e espiã nazista das décadas de 30 e 40 na Inglaterra, lidera grupo neonazista em Brasília

— De um lado tem a ditadura do STF suprimindo a liberdade de expressão e, do outro, a ditadura bolsonarista que destrói qualquer um que não venere o Jair — disse Sara, em entrevista a um dos diários conservadores paulistanos.

Presa em junho de 2020 por ordem de Alexandre de Moraes no inquérito sobre os atos antidemocráticos, Winter afirma que qualquer conservador que faça criticas a Bolsonaro sofre um assassinato de reputação e que o presidente perdeu aliados de “boa fé” vítimas de ataques de seus apoiadores.

— Eu sou católica, conservadora, de direita. Mas eu não sou bolsonarista porque bolsonarismo não é uma vertente política, o que não deveria ser — adiantou.

‘300 pelo Brasil’

 

A ativista voltou a classificar os atos de 7 de Setembro como desastrosos e diz não saber se Moraes irá recuar e encerrar os inquéritos em andamento, como afirmam alguns bolsonaristas, após a carta divulgada por Bolsonaro.

Antes de ser presa, a ativista liderou o ‘300 do Brasil’, grupo de apoio a Bolsonaro responsável pela organização do ato em que foram lançados fogos de artifícios contra a Corte Suprema e pela manifestação com referências neonazistas e de supremacistas brancos, realizada em maio de 2020.

Depois de encerrar o período de prisão domiciliar, Sara diz hoje que vai se mudar para o Rio Grande do Sul. Ela afirma que os bolsonaristas sofrem da mesma mesma “histeria coletiva” dos esquerdistas.

— Cheguei à conclusão que não existe direita no Brasil. Existe fã do Bolsonaro e eu acho isso muito perigoso — reclama.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/sara-winter-bolsonaristas-gente-perigosa-vai-sul/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias