Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Semana movimentada nas estradas dos leilões desajustados

8 de Junho de 2018, 15:34 , por Jornal Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 61 vezes

As consequências desta rebelião, com tentáculos empresariais, em menos de uma semana, foram o desabastecimento em várias cidades, filas enormes em postos de gasolina.

 

Por Maria Fernanda Arruda – do Rio de Janeiro

 

O golpe parlamentar deu sua coloração civil-militar com a publicação do decreto de “garantia da lei e da ordem” para enfrentar uma rebelião de caminhoneiros, impulsionada por uma política de reajuste de preços irresponsável. Só caminhoneiros autônomos representam em torno de 700 mil trabalhadores atualmente.

Maria Fernanda Arruda

Maria Fernanda Arruda é colunista do Correio do Brasil, sempre às sextas-feiras

As consequências desta rebelião, com tentáculos empresariais, em menos de uma semana, foram o desabastecimento em várias cidades, filas enormes em postos de gasolina, paralisações em cascatas de aeroportos, indústrias, comércios e serviços, básicos inclusive.

Interessante é que para o mercado de notícias tudo se resumiria ao preço, com desonerações tributárias convincentes para o mercado, sempre marcado por desonerações, sem contrapartidas sociais.

Seguridade

Entre tantas bandeiras históricas, como limite na jornada de trabalho diária, descanso obrigatório, paradas obrigatórias, horário de refeição obrigatória, fim do pagamento de comissão por parte do embarcador, controle da jornada de trabalho, apenas seriam complementadas pela redução dos preços dos combustíveis e do gás de cozinha, oportunidade de mais fretes para autônomos, tabela do frete mínimo e fim da cobrança de pedágio sobre eixo suspenso.

Entre tantas, ficaram apenas as dúbias propostas de redução do diesel, com retomada de reajustes após 30 dias, o pedágio sobre eixo e a desoneração do PIS-Cofins. Esta última com implicações políticas diretas na seguridade social. 

Após uma semana de prejuízos estratosféricos ao país, Pedro Parente pede demissão do cargo de presidente da Petrobras. Ficam os prejuízos à sociedade…

E que prejuízos!!! Deixam seus rastros nestes 2 anos de apagões, de planilhas ajustadas para o mercado absorver ativos à preço de banana. Nem banana compraríamos!!! Para cada R$ 1,0 de valor, este mercado paga apenas R$ 0,01, quando paga, sobre os ativos, com direito à desonerações espetaculares. 

Quarta rodada de partilha
de produção do pré-sal,
um assalto prometido

Todas as petrolíferas norte-americanas andam sorrindo com os benefícios alcançados nestes 2 anos de entreguismo explícito, após o golpe parlamentar, judicial e midiático, financiado exatamente pelo departamento de Estado dos EUA. Merecem reflexões a facilidade como os agentes da CIA, DEA operavam nas instalações públicas, acessíveis a este segmento virtualizado nos equipamentos e programas utilizados nas instalações com toda segurança para a espionagem naturalizada, segundo o próprio Snowden.

As áreas ofertadas, Três Marias, Dois Irmãos, Uirapuru e a rejeitada Itaimbezinho, alcançaram apenas a cifra de R$ 3,15 bilhões, naturalmente diluídos em obscuros dutos financeiros, para uma estimativa de R$ 738 milhões de investimentos, desonerados de pesquisa, desenvolvimento e inovação tecnológica.

Enquanto isso o dólar dispara para R$ 4,3 e a bolsa despenca, parecendo uma cortina de fumaça para os lucros despejados para as petrolíferas norte-americanas, as impactantes ambientais, Exxon e Chevron. Sem esquecer da agraciada Shell e da BP.

América Latina em
disputa militar e em
subserviência comercial
explícita

A desculpa secular do combate às drogas e ao inexistente terrorismo latino-americano tem sido a razão de radicalização das instalações de bases militares dos EUA. Um exemplo é a pretensa negociação com a Argentina de duas bases militares, mesmo contando com instalações similares na região do Chaco paraguaio. Em nome de uma defesa e segurança, a ingerência em assuntos internos  dos países é patente.

O recente ingresso da Colômbia na OTAN é apenas mais um dos passos firmes do governo norte-americano em ocupar militarmente e organizar diretamente intervenções de desestabilização institucional, em países com alguma soberania estabelecida.

Brasil está prestes à abrir a porteira em Alcântara, como já o fez pela Amazônia. E assim cercar as pequenas ilhas de independência, soberania, como a criticada Venezuela, e a Nicaragua.

Lembremos das relações comerciais e da recente guinada protecionista explícita dos EUA. Sem esquecermos dos processos eleitorais em disputa na própria Colômbia, no México, no Peru e no Chile que poderão reafirmar um combate direto ao neoliberalismo estabelecido na região, com consequências desastrosas na economia do continente.

De quê eleições falamos?

Meditemos muito sobre o desenrolar da conjuntura, pois estaremos no meio ano, ainda sem alguma perspectiva de trabalho, moradia, transporte, saneamento, educação, saúde. O quê se dirá do laser, da cultura, da informação? Estamos acumulando retrocessos e desconhecendo os tantos passivos a administrar em uma futura e incerta transição.

As ameaças não são poucas às nossas vidas, às nossas esperanças em ver este país novamente nos trilhos da inclusão, da soberania, do desenvolvimento solidário e sustentável. Por isso todos os caminhos que levariam ao Lula, querido ou odiado, idolatrado ou desrespeitado, aprisionado, injustiçado, cultuado, se deparam com parcerias estranhas nas estreitas bifurcações desenhadas por mais uma bem-sucedida sístole programada e cíclica…

Ainda não entendemos o valor do passivo das reformas estruturais que se acumulam desde a proclamação da república, para muito além do golpe de 1964, com a destituição ilegal de Jango. O Jango das reformas de base…

Bom final de semana, com parentes no presunto Sadia, na gasolina e no dólar ainda…

Maria Fernanda Arruda, escritora e colunista do Correio do Brasil

O post Semana movimentada nas estradas dos leilões desajustados apareceu primeiro em Jornal Correio do Brasil.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/semana-movimentada-estradas-leiloes-desajustados/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias