Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a Vídeos
Tela cheia Sugerir um artigo

Suspeita de manipulação abala a elite do tênis

18 de Janeiro de 2016, 12:11 , por Jornal Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 8 vezes

 

Imprensa britânica denuncia que pelo menos 16 dos 50 melhores jogadores do mundo já foram investigados

Por Redação, com agências internacionais – de Londres/Melbourne:

O mundo do tênis foi abalado nesta segunda-feira, dia de abertura do Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam do ano, por denúncias de que as entidades reguladoras do esporte fracassaram em lidar com esquemas de manipulação de resultado.

Reportagens da emissora britânica BBC e do site de notícias BuzzFeed denunciam que 16 jogadores que estão ou estiveram entre os 50 melhores do mundo foram marcados pela chamada Unidade de Integridade do Tênis (TIU) sob a suspeita de que entregavam partidas.

A todos os jogadores, inclusive ganhadores de títulos de Grand Slam, foi permitido seguir competindo.

A suspeita de um esquema de manipulação começou após uma partida entre o russo Nikolay Davydenko e o argentino Martin Vassallo Argüello, em agosto de 2007. Mas Davydenko era o favorito dos apostadores, mesmo antes do início do jogo e depois de sua vitória no primeiro set. O russo acabou abandonando a partida e sendo acusando fazê-lo para beneficiar apostadores.

A denúncia marcou a abertura do Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam do ano
A denúncia marcou a abertura do Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam do ano

Um relatório de 2008 apontou ainda que 28 atletas poderiam estar envolvidos no esquema. O presidente-executivo da ATP, Chris Kermode, afirmou à agência britânica de notícias BBC que a criação da TIU mostrou o comprometimento do esporte contra a corrupção e ressaltou que as evidências contra os supostos envolvidos eram muito fracas.

Kermode também rejeitou a manipulação de resultados e afirmou que qualquer suspeita de irregularidade é sempre investigada com primor pela associação.

A denúncia marcou a abertura do Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam do ano. Após a revelação, o tenista número um do mundo, Novak Djokovic, afirmou já ter sido abordado no início da carreira, em 2007, para participar de um jogo arranjado.

– Não me abordaram diretamente. Abordaram pessoas que fazem parte da minha equipe. É claro que recusamos – disse Djokovic, que contou que lhe ofereceram 200 mil dólares pela participação no esquema.

As apostas esportivas explodiram nos últimos anos com a proliferação de plataformas de jogos online, e podem movimentar até US$ 3 trilhões por ano, segundo especialistas. O tênis é o segundo mercado mais ativo de apostas, atrás apenas do futebol.

Novak Djokovic

O tenista número um do ranking mundial, Novak Djokovic, disse que, no início de sua carreira, um membro de sua equipe foi abordado com o objetivo de manipular uma partida, e questionou se casas de apostas deveriam ser autorizadas a patrocinar grandes torneios de tênis.

O atual campeão do Aberto da Austrália falou após o esporte ser abalado pelas acusações de que as autoridades falharam ao lidar com a manipulação generalizada de resultados das partidas.

Djokovic disse que, até onde sabe, não tem acontecido mais esse problema, que ele descreveu como sendo um “crime no esporte” na elite do tênis, mas acrescentou que foi abordado indiretamente para entregar um jogo.

– Não fui abordado diretamente, foi através do pessoal da minha equipe – disse ele, após sua partida de estreia no torneio contra o adolescente sul-coreano Chung Hyeon nesta segunda-feira.

– Claro que recusamos. A pessoa tentou falar comigo, mas não conseguiu chegar diretamente a mim. Não foi nada além disso. Infelizmente, houve alguns naqueles tempos, naqueles dias, boatos, alguns falaram, algumas pessoas rodeando. Elas foram compradas. Nos últimos seis, sete anos, não ouvi nada parecido.

 


Fonte: http://www.correiodobrasil.com.br/suspeita-de-manipulacao-abala-a-elite-do-tenis/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias