Ir para o conteúdo

Lerd

Tela cheia

Blog do Lerd

3 de Abril de 2011, 21:00 , por Desconhecido - | No one following this article yet.
Lerds do Mundo Todo, Uni-vos!

Não há corruptos sem CORRUPTORES!!!

27 de Dezembro de 2012, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda



O ARQUITETO se foi!

27 de Dezembro de 2012, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Faleceu hoje, a 10 dias de completar 105 aninhos, Oscar Niemeyer, O ARQUITETO, militante comunista que nunca aceitou a trairagem daqueles que, sem o "Ouro de Moscou", mudaram de lado e também o nome do Partido Comunista Brasileiro.

Sem O ARQUITETO o Brasil e o Mundo ficam mais burros. E isso "é uma merrrrda"

Tchau, Camarada!



Cartaz do Curso Blogoosfero/STOA. Ajude a divulgar!!!

27 de Dezembro de 2012, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda



Oficina para usuários Blogoosfero/STOA: 23/01/2013, na USP

27 de Dezembro de 2012, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Fundação Blogoosfero, STOA, TIE-Brasil e USP promovem oficina para usuários do Blogoosfero e STOA, as redes sociais livres desenvolvidas em Noosfero, software 100% nacional.

A oficina será no dia 23 de janeiro de 2013, na sala 2 do CEC (Centro de Ensino de Computação, Bloco B, IME-USP), que tem 35 computadores e capacidade para 54 pessoas sentadas.

Horário: das 9h às 18h.

Entrada gratuita!

Organização e Promoção



Curso de GIMP para editar fotografias

24 de Dezembro de 2012, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Gimp

Muitas vezes as fotos que fazemos não ficam perfeitas e depois você precisamos corrigi-las no computador. Para isso selecionamos um excelente curso básico sobre o editor de imagens Gimp.

Uma coisa que chamou muito a atenção no Curso é que é bem detalhado, e ideal para quem está começando a aprender usar o Gimp

Veja as Vídeo aulas:

GIMP Tutorial 001 – Pincéis

GIMP Tutorial 002 – Pincéis

GIMP Tutorial 003 – Primeira edição

GIMP Tutorial 004 – Traçar linhas com Lápis, Pincel, Aerógrafo e Tinta

GIMP Tutorial 005 – FERRAMENTA SELEÇÃO – Parte 1

GIMP Tutorial 006 – FERRAMENTA DE SELEÇÃO – Parte 2

GIMP Tutorial 007 – FERRAMENTA SELEÇÃO – Parte 3

GIMP Tutorial 008 – FERRAMENTA SELEÇÃO – Parte 4

GIMP Tutorial 009 – FERRAMENTA SELEÇÃO – Parte 5

GIMP Tutorial 010 – FERRAMENTA SELEÇÃO – Parte 6

GIMP Tutorial 011 – FERRAMENTA SELEÇÃO – Parte 7

GIMP Tutorial 012 – FERRAMENTA SELEÇÃO DE CORES

GIMP Tutorial 013 – CAMADA, REDIMENSIONAMENTO, SELEÇÃO

GIMP Tutorial 014 – CAMADA, REDIMENSIONAMENTO, SELEÇÃO – Parte 2

GIMP Tutorial 015 – CAMADA, REDIMENSIONAMENTO, SELEÇÃO – Parte 3

GIMP Tutorial 016 – FERRAMENTA CLONAR

GIMP Tutorial 017 – FERRAMENTA CLONAGEM EM PERSPECTIVA

GIMP Tutorial 018 – FERRAMENTA BORRACHA

GIMP Tutorial 019 – FERRAMENTA DE TEXTO

GIMP Tutorial 020 – FONTS

GIMP Tutorial 021 – FERRAMENTA DE CORTE

GIMP Tutorial 022 FERRAMENTA DE ROTACIONAR

GIMP Tutorial 023 – FERRAMENTAS DE PERSPECTIVA E DE INCLINAR

GIMP Tutorial 024 FERRAMENTA DE ESPELHAR

GIMP Tutorial 025 – FERRAMENTA DE ALINHAMENTO

GIMP Tutorial 026 – PINCEL ESPECIAL – Parte 1

GIMP Tutorial 027 – PINCEL ESPECIAL – Parte 2

GIMP Tutorial 028 – LOGO – Parte 1

GIMP Tutorial 029 – LOGO – Parte 2

GIMP Tutorial 030 – LOGO – Parte 3

GIMP Tutorial 031 – TEXTURAS – Parte 1

GIMP Tutorial 032 – TEXTURAS – Parte 2

GIMP Tutorial 033 – MODO DE CAMADAS

GIMP Tutorial 034 – CURVAS – Parte 1

GIMP Tutorial 035 – CURVAS – Parte 2

GIMP Tutorial 036 – FILTRO SOMBRAS PERSPECTIVA

GIMP Tutorial 037 – SOMBRA PROJETADA

GIMP Tutorial 038 – EXPLOSÃO DE LINHAS

GIMP Tutorial 039 – CANAL ALFA

GIMP Tutorial 040 – MÁSCARA

GIMP Tutorial 041 – FERRAMENTA DE MEDIDAS

GIMP Tutorial 042 – IMPRESSÃO

GIMP Tutorial 043 – TAMANHO DOS LIMITES DA CAMADA

GIMP Tutorial 044 – BORRÃO DE MOVIMENTO

GIMP 045 – Tutorial – SALVAR 001

GIMP 046 – Tutorial – SALVAR 002

GIMP 047 – Tutorial – SALVAR 003

GIMP 048 – Tutorial – ORGANIZAÇÃO

GIMP Tutorial 049 – REDIMENSIONAR TEMAS

GIMP Tutorial 050 – IMAGEM NOVA – FUNDO

GIMP Tutorial 051 – PRATICIDADE NA APLICAÇÃO DE TEXTOS

GIMP Tutorial 052 – Arquivos de Programas – Dica (windows)

GIMP Tutorial 053 – AMPLIAÇÃO DE FOTOS

GIMP Tutorial 054 – MICROSOFT CLIP ORGANIZER (windows)

GIMP Tutorial 055 – CAPA DE DVD

GIMP 056 – FERRAMENTA BORRACHA-DICA

GIMP 057 CIRCUNFERÊNCIA A PARTIR DO CENTRO

GIMP 058 FILTRO GFIG

GIMP 059 SALVAR EXTENSÃO QUALIDADE

GIMP 060 DE XCF PARA PNG

Os vídeos são do wilsonmarqueso19 (YouTube)

Fonte e Créditos: aqui

Fonte: http://blogoosfero.cc/espiritolivre/blog/curso-de-gimp-para-editar-fotografias



Gradiente "hackeia" Apple e lança iphone

17 de Dezembro de 2012, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Sim! é isso mesmo. A brasileira Gradiente, oficialmente IGB Eletrônica S.A., detém desde 2008 a marca "G Gradiente iphone", devidamente registrada no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial).

O Smartphone linha G Gradiente iphone, modelo Neo One GC 500 SFB Dual Chip, Android 2.3, 3G, Wi-fi, Câmera 5MP, Cartão 2GB já está a venda no site da empresa.

A Apple detém a marca iPhone, mas não para telefones celulares ou smartphones e sim para outras especificações de serviços, tais como, jogos eletrônicos, artigos de papelaria e de vestuário.

Já ficamos imaginando o nosso Davi (Gradiente) levando o Golias (Apple) à lona nesta disputa de patentes. Pois no MMA os brazuca são iPhoda...



Você sabe o que é DMCA - Digital Millennium Copyright Act???

13 de Dezembro de 2012, 22:00, por Lerd - 0sem comentários ainda

Veja o que a Wikipédia diz sobre DMCA

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Digital Millennium Copyright Act, conhecido como DMCA (em português, Lei dos Direitos Autorais do Milênio Digital) é uma lei de direitos de autor dos Estados Unidos da América que criminaliza não só a infração do direito autoral em si, mas também a produção e a distribuição de tecnologia que permita evitar medidas de proteção dos direitos de autor. Além disso aumenta as penas por infrações de direitos autorais na Internet.

Algumas organizações, como a Electronic Frontier Foundation (EFF), avaliam os efeitos das medidas para evitar saltar-se as proteções da DMCA. Segundo a EFF, a seção 1201 da lei paralisa a liberdade de expressão e a investigação científica, ameaça o uso legítimo e impede a concorrência e a inovação.

Índice

Controvérsia

A DMCA pode impedir a competição e a inovação. Embora o objetivo seja combater os piratas, muitos proprietarios de copyright manobraram a DMCA para obstaculizar seus competidores legítimos. Por exemplo, utilizou-se a DMCA para bloquear a competição do mercado de acessórios como cartuchos de toner de impressoras a laser, portas de garagem e serviços de manutenção de computadores. Da mesma forma, a Apple Computer invocou a DMCA para neutralizar os esforços da RealNetworks de vender música aos proprietários de iPod.

Reforma

Atualmente há esforços no Congresso dos Estados Unidos no sentido de modificar esta lei. Rick Boucher, um congressista democrata da Virginia, lidera um desses esforços no sentido de introduzir o DMCRA, "Digital Media Consumers’ Rights Act" (em português, "Lei dos direitos dos consumidores de media digital").

Referências

Ligações externas

Informação sobre a DMCA

Recursos anti-DMCA

Políticas de exemplo de DMCA



Richard Stallman em Curitiba no dia 13/12/2012

10 de Dezembro de 2012, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Richard Stallman, famoso ativista, fundador do movimento do software livre, do projeto GNU, e da FSF - Free Software Foundation, proferirá palestra no Auditório da Administração do Centro Politécnico da Universidade Federal do Paraná. 1o. andar do prédio da Administração.

Data: 13 de dezembro de 2012 (quinta-feira)

Horário: 17:00h

Mapa do local: [migre.me/…]

[referência: softwarelivre.org]

 


Internet: a última batalha do neoliberalismo

3 de Dezembro de 2012, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

internetA União Internacional de Telecomunicações iniciou esta semana em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, a Conferência Mundial de Telecomunicações Internacionais, que se reunirá durante 15 dias a fim de rever o Regulamento das Telecomunicações Internacionais.

A celebração deste evento foi precedido por uma campanha negativa da mídia financiada e organizada nos Estados Unidos e que tem ressoado em muitos meios de comunicação ao redor do mundo.

Mas antes de entrar em detalhes, um pouco de história.

Em 1865, foi fundada a União Telegráfica Internacional (UTI) por 20 Estados. Nesse mesmo ano, sob a Convenção Telegráfica Internacional, estabelecem-se os primeiros regulamentos do serviço telegráfico.

Em 1932, a União Telegráfica Internacional mudou seu nome para União Internacional de Telecomunicações (UIT), e mais tarde, em 1948, sob um acordo com a recém-formada Organização das Nações Unidas, a UIT tornou-se a sua agência especializada na área de telecomunicações.

Por sua vez, o Regulamento das Telecomunicações Internacionais (RTI) tem a sua gênese na regulamentação de serviços telegráficos de 1865 e na regulamentação telegráfica e telefônica de 1932.

Esse regulamento surge a partir da necessidade de contar com disposições com caráter de tratados aplicáveis aos serviços e redes de telecomunicações internacionais para, entre outras coisas, estabelecer os princípios gerais de prestação de serviços e operações, definir as regras de interconexão global e interoperabilidade, e fornecer uma base para o desenvolvimento do setor em todos os países.

A versão atual do RTI é um tratado assinado por 178 países em 1988 e implementado em todo o mundo desde que entrou em vigor em 1990.

Então, por que tanto barulho agora?

A Internet é a culpada.

Em 1988, quando a RTI foi revista pela última vez, a Internet não era generalizada, de modo que não é mencionada no Regulamento.

No entanto, hoje a Internet e suas tecnologias associadas são uma parte vital e crescente das telecomunicações internacionais.

Portanto, uma das questões discutidas na Conferência realizada em Dubai é a modificação e ampliação de Regulamento das Telecomunicações Internacionais para incluir o tema da Internet.

Com efeito, durante o processo de preparação do evento muitos Estados-Membros da UIT apresentaram propostas para a Internet, a maioria em duas questões de interesse para muitos países: o aspecto econômico e a segurança.

No entanto, a campanha orquestrada pelos EUA acusa a UIT e a ONU de querer “controlar”, “restringir o acesso” ou “impor censura” à Internet.

Duplos padrões e interesses

Mas os Estados Unidos é precisamente quem controla os recursos críticos da Internet por meio da Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números (ICANN), que restringe o acesso a sites de países como Cuba, a quem aplica medidas unilaterais que violam o direito internacional, e que impõe a censura de conteúdos da Internet que afetam seus interesses, como o site Wikileaks.

Além disso, são estadunidenses as grandes empresas de conteúdo e infra-estrutura que controlam e recebem a maior parte do dinheiro flui na Internet. E também é os EUA o país que considera a Internet como um teatro de operações militares.

Portanto, a tentativa de desacreditar a UIT e da Conferência Mundial de Telecomunicações Internacionais tem como objetivo evitar qualquer alteração ao Regulamento das Telecomunicações Internacionais que pode afetar o domínio de fato que eles tem da Internet.

Mas também persegue fins mais fundamentais.

Regular ou não regular, eis a questão.

A Internet, ao não estar coberta pelo Regulamento das Telecomunicações Internacionais adotadas em 1988, não foi sujeita a qualquer regulamentação, somente a lei do mercado e do mais forte.

Portanto, uma das questões principais que se discute em Dubai está considerando a Internet um serviço de telecomunicações e, portanto, suscetível de ser regulado.

Isto não é uma discussão puramente técnica, já que tem implicações importantes para pessoas que recebem serviços de telecomunicações.

Por exemplo, um dos regulamentos do setor de telecomunicações é a “obrigação de serviço universal” em que os operadores devem fornecer serviços de telecomunicações em todos os lugares e não apenas naqueles em que há lucro. Este regulamento é o que tem permitido o serviço de telefonia rural ou urbana de baixa renda. Entretanto, não há regulamentação equivalente para o serviço de Internet.

Outro exemplo é o regulamento que exige dos fornecedores de serviços de telefonia que tenham a própria fonte de energia, a fim de assegurar a disponibilidade de serviços de emergência. Provedores de internet não são obrigados a cumprir com este regulamento, apesar de a telefonia pela internet ser um serviço que está substituindo a telefonia tradicional. O efeito negativo de não contar com o presente regulamento se mostrou recentemente durante o furacão Sandy, em que a interrupção da rede elétrica provocou a queda do serviço de telefonia via Internet, deixando milhares de pessoas incomunicáveis em situação de emergência.

Apesar desses e outros exemplos que demonstram a necessidade de regulamentação para corrigir os “erros” do mercado como único ente regulador, os Estados Unidos e seus aliados vão disputar em Dubai para que as regulamentações não chegam Internet e, consequentemente, para que dentro de um curto espaço de tempo todas as telecomunicações sejam desreguladas.

Esta é mais uma batalha que os defensores do neoliberalismo estão lutando para tentar impor sua visão de um mundo onde prevalecem mercados sem restrições e em que os Estados e as instituições intergovernamentais, como o sistema das Nações Unidas, deixem de cumprir seus papéis como fiadores do interesse público.

Juan Alfonso Fernández González é assessor do Ministerio de la Informática y las Comunicaciones (MIC) em Cuba e profesor adjunto na Universidad de las Ciencias Informáticas (UCI).

Fonte: Internet: la última batalla del neoliberalismo



Marco Civil da Internet Já!!!

2 de Dezembro de 2012, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Há cerca de dois meses, o Marco Civil da Internet, a principal proposta de estabelecimento de direitos civis na rede, já está pronto para ser aprovado. No entanto, dois lobbies econômicos muito poderosos conseguiram, além de alterar o ótimo texto do projeto de lei, impedir sua votação: o lobby da indústria autoral e o das empresas de telecomunicações. Em função disso, na última quarta-feira (7/11), o texto da lei foi alterado para pior e a votação do PL foi adiada.
 
No texto anterior (antes de 7/11), a proposta elencava, como um de seus princípios, a neutralidade da rede, para evitar que interesses econômicos injustificados se sobrepusessem ao direito de todos se manifestarem e usarem a rede como quiserem. O projeto também estabelecia, no seu artigo 15, a retirada de conteúdos do ar apenas com decisão judicial, após realizado o contraditório e a ampla defesa. Assim, o Marco Civil priorizava a liberdade de expressão e o direito de acesso e afastava qualquer possibilidade de censura privada na Internet.
 
Precisamos da sua ajuda para pressionar os deputados e o governo. É essencial fazer duas alterações no projeto, para impedir que ele seja votado como está e prejudique os consumidores: 
 
1) supressão do parágrafo segundo do artigo 15: com isso, não há exceção e os conteúdos só podem ser removidos com ordem judicial. Conteúdos de direito autoral devem ser regulamentados na Lei de direitos autorais e não no Marco Civil. 
 
2) regulametação da neutralidade por decreto no parágrafo primeiro do artigo 9o: só assim teremos efetivo controle público sobre o princípio mais importante para os usuários da Internet. 
 
Feitas estas mudanças, é preciso manter o restante do texto e aprovar imediatamente o Marco Civil da Internet. 
 
Para a aprovação dessa importante garantia de direitos na Internet brasileira, envie uma mensagem agora aos deputados, que podem votar hoje o Marco Civil no plenário da Câmara. 
 
Use a ferramenta ao lado para mostrar aos deputados que você também quer que o Marco Civil seja lei!
 
Agradecemos a todos que enviaram mensagens desde o início da campanha e acreditamos que é importante continuarmos demonstrando que os internautas querem um Marco Civil. Por isso, não encerraremos a campanha até que o Marco Civil seja aprovado de acordo com as conquistas que defendemos na redação atual.
 
Envie uma mensagem agora aos deputados da Comissão Especial do Marco Civil! 
 
Veja o projeto de lei na íntegra aqui.
 
Saiba mais em: www.marcocivil.com.br/
Fonte: Idec


A hora da verdade para Lula e o PT

29 de Novembro de 2012, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Por Ricadro Kotschopt A hora da verdade para Lula e o PT

"Por que o bloguista inexplicavelmente não conta nada sobre Rosemary e o possível envolvimento do ex-presidente Lula em algumas operações ilícitas? Aonde está a sua imparcialidade de jornalista?", pergunta o leitor Fernando Aleador, em comentário enviado às 04h57 desta sexta-feira.

Tem toda razão o leitor.

Demorei para escrever e dar esta resposta porque, para mim, estes últimos foram os dias mais difíceis da minha já longa carreira, posto que os fatos envolvem não só velhos amigos meus, como é do conhecimento público, mas um projeto político ao qual dediquei boa parte da minha vida.

Simplesmente, não sabia mais o que dizer. Ao mesmo tempo, não podia brigar com os fatos nem aderir à guerra de extermínio de reputações e de desmonte da imagem do ex-presidente Lula e do PT que está em curso nos últimos meses.

A propósito, escrevi no começo de novembro um texto que se mostrou premonitório sob o título "O alvo agora é Lula na guerra sem fim", quando o STF consumou a condenação dos ex-dirigentes do PT José Dirceu, José Genoíno e Delúbio Soares.

De uma hora para outra, a começar pelo julgamento do mensalão, até chegar às revelações da Operação Porto Seguro, o que era um projeto vitorioso de resgate da cidadania reconhecido em todo o mundo levou um tiro na testa e foi jogado na sarjeta das iniquidades.

"O que me intriga é saber por que agora, por que assim e por que tamanha insistência. É claro que o esforço para acabar com a corrupção é legítimo e louvável, mas não terminaram recentemente de sangrar o PT até a entrada do necrotério? Quem estaria sedento por mais?", pergunta-se a colunista Barbara Gancia, na edição de hoje da Folha, e são exatamente estas as respostas que venho procurando para entender o que está acontecendo.

Talvez elas estejam na página A13 do mesmo jornal, em que se lê: "FHC acusa Lula de confundir interesses públicos e privados". Em discurso num evento promovido pelo PSDB no Jóquei Clube de São Paulo, na quinta-feira, o ex-presidente pontificou, mesmo correndo o risco de falar de corda em casa de enforcado:

"Uma coisa é o governo, a coisa pública, outra coisa é a família. A confusão entre seu interesse de família ou seu interesse pessoal com o interesse público leva à corrupção e é o cupim da democracia".

Sem ter o que propor ao eleitorado, após sofrer três derrotas consecutivas nas eleições presidenciais, e perder até mesmo em São Paulo na última disputa municipal, o PSDB e seus alíados na mídia e em outras instituições nacionais agora partem para o vale-tudo na tentativa desesperada de eliminar por outros meios o adversário que não conseguem vencer nas urnas.

Nada disso, porém, exime o ex-presidente Lula e o PT de virem a público para dar explicações à sociedade porque não dá mais para fazer de conta que nada está acontecendo e tudo se resume a uma luta política, que é só dar tempo ao tempo.

A bonita história do partido, que foi fundamental na redemocratização do país, e a dos milhões de militantes que ajudaram a levar o PT ao poder merecem que seus líderes venham a público, não só para responder a FHC e às denúncias sobre a Operação Porto Seguro publicadas diariamente na imprensa, mas para reconhecer os erros cometidos e devolver a esperança a quem acreditou em seu projeto político original, baseado na ética e na igualdade de oportunidades para todos.

Chegou a hora da verdade para Lula e o PT.

É preciso ter a grandeza de vir a público para tratar francamente tanto do caso do mensalão como do esquema de corrupção denunciado pela Operação Porto Seguro, a partir do escritório da Presidência da República em São Paulo, pois não podemos eternamente apenas culpar os adversários pelos males que nos afligem. Isso não resolve.

Mais do que tudo, é urgente apontar novos caminhos para o futuro, algo que a oposição não consegue, até porque não há alternativas ao PT no horizonte partidário, para uma juventude que começa a desacreditar da política e precisa de referências, como eu e minha geração tivemos, na época da luta contra a ditadura.

Conquistamos a democracia e agora precisamos todos zelar por ela.



Liberdade de Expressão não combina com oligopólio da Comunicação

29 de Novembro de 2012, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda



Google fica fora do ar por quase 2 horas em vários estados do Brasil

25 de Novembro de 2012, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

O site de pesquisas Google e os demais serviços ligados a esta empresa norte-americana de internet ficaram indiposíveis nesta segunda-feira, 26/11/2012, entre 16:15h e 18:00h.

Usuários de internet de vários estados do Brasil, tais como, SP, RJ, PE, RS, MS, GO, PR, BA, ES, DF, MG, relataram problemas ao acessar o Google e demais serviços mantidos por ele.

Especula-se que um ponto de troca da Embratel com a GLBX (Global Crossing) teria saído do ar e por isso usuários de algumas operadoras  não conseguiram acessar o Google e seus serviços.

Ok! mas se foi este o problema, por q
ue era possível acessar os demais sites e serviços não vinculados ao Google, inclusive outro sites e serviços hospedados no exterior?

Também não era possível acessar vídeos do Youtube, mesmo aqueles compartilhados em sites hospedados no exterior.

Tanto Google como as operadoras afirmaram que não houve nenhum problema, mas o fato é que o site de buscas e seus serviços ficaram indisponíveis, como bem mostra o PrintScreen tirado às 17:18h.

Seja como for, as perguntas sem resposta são muitas:

O que teria acontecido de fato?

Teria sido um teste contra a neutralidade na rede?

Um problema de conexão entre as redes de duas empresas privadas?

Quem vai investigar o ocorrido?

A Anatel?

O CGI-Br Comitê Gestor da Internet?

O Ministério das Telecomunicações?

O Procon?

O Ministério Público?

A blogosfera?

Fato é que se isso tivesse ocorrido com a Telebrás ou outra estatal qualquer já estaria a maior gritaria dos neoliberais e seus jornalistas e aluguel, cantando olas contra a incompetência do estado...

Veja também:
http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20121126111459AAJYN7W

http://tecnologia.terra.com.br/noticias/0,,OI6332864-EI12884,00-Usuarios+relatam+problemas+para+acessar+servicos+do+Google.html

http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2012/11/servicos-do-google-saem-do-ar-para-alguns-usuarios.html

http://ultimasdodianews.blogspot.com.br/2012/11/google-fora-do-ar-26112012-o-que.html

http://tecnoblog.net/119107/falha-tira-servicos-do-google-do-ar-buscador-e-operadoras-negam-problema/



GNU/Linux juntaDados 4.04r2

25 de Novembro de 2012, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Por Marcelo Soares SouzaLogo juntaDados

Uma nova revisão da distribuição GNU/Linux juntaDados foi disponibilizada em uma parceria do Pontão de Cultura Digital juntaDados com a Artéria Cultura e Cidadania. O GNU/Linux juntaDados é uma distribuição voltada para a produção audiovisual com foco nas atividades dos Pontos de Cultura, ações de Inclusão Digital e Cultura Digital. A nova revisão 4.04r2 traz melhorias na estabilidade, maior performance e novas ferramentas.

Esta revisão traz atualizações ao sistema base e adição de novas ferramentas e recursos. Entre as principais novidades estão a adição das ferramentas para construção de redes sociais Noosfero 0.38.2 e Friendica (Rede Social Federada), gerenciador de streamings Landell, atualizações no editor de vídeo Cinelerra (2.2-0.12) que proporciona maior estabilidade, a nova versão do navegador Web Firefox (17.0.0) e muito mais. O Kernel do Linux utilizado (3.6.7-ck1-bfq-juntadados) agora traz como padrão o escalonador de tarefas BFS (Brain Fuck Scheduler) e o escalonador de I/O BFQ (Budget Fair Queueing), que garantem uma melhor e mais suave experiência de uso do sistema.

Download: juntaDados-4.04r2-amd64.iso
Download Espelho 1: juntaDados-4.04r2-amd64.iso
Torrent: juntaDados-4.04r2-amd64.torrent


Esta distribuição é uma customização do Lubuntu 12.04.1 LTS (Precise Pangolin) com diversas atualizações feitas desde o seu lançamento. Todos os códigos-fontes, das ferramentas livres, disponibilizadas nesta imagem, incluindo o Kernel do Linux, estão disponíveis livremente nos repositórios Ubuntu e em diversos sites/repositórios na Internet.

Esta customização foi feita especialmente para a Oficina de Redes Sociais Livres que ocorrera na 11a Oficina para Inclusão Digital e Participação Social.
 
O que é?
Um Sistema Operacional completo e livre baseado no GNU/Linux que tem como objetivo simplificar e facilitar as atividades de produção audiovisual dos Pontos de Cultura, ações de Inclusão Digital e Cultura Digital. Algumas das ferramentas disponibilizadas nesta distribuição não são consideradas Software Livre tal como o Adobe Flash.
 
Esta distribuição GNU/Linux possui as principais Ferramentas para escritório, produção de conteúdo de Áudio, Vídeo, Imagem e Texto escolhidas através de levantamentos feitos em Pontos de Cultura e Ações de Inclusão Digital. Todos os códigos-fontes, das ferramentas livres disponibilizadas neste DVD, incluindo o kernel linux, estão disponíveis livremente nos repositórios Ubuntu para download ou em sites na Internet.
 
Quem somos?
Pontão de Cultura Digital, inicialmente sediado na Universidade do Estado da Bahia (UNEB), conveniado pelo Ministério da Cultura no final de 2008 através do Programa Cultura Viva e tendo suas atividades financiadas por este programa entre Janeiro de 2009 e Janeiro de 2010. Desde Janeiro de 2010 os integrantes do Pontão de Cultura Digital juntaDados continuam suas atividades de forma voluntária. Em 2012 iniciamos uma parceria com a Artéria Cultura e Cidadania.
 
A distribuição GNU/Linux juntaDados é um dos diversos produtos desenvolvidos pela equipe do Pontão que busca facilitar a produção, difusão e capacitação em ferramentas audiovisuais pelos Pontos de Cultura do Brasil.
 
Dúvidas e Sugestões nos envie um e-mail: juntadados@juntadados.org



Marco civil da internet é retirado de pauta sem previsão de nova votação

20 de Novembro de 2012, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Do Correio do Brasil

Marco Maia: “Enquanto continuar o impasse, não teremos condição de votar essa matéria”.

A votação em Plenário do marco civil da internet (PL 2126/11) foi adiada mais uma vez nesta terça-feira (20) depois que oito líderes de partido pediram a retirada do projeto da pauta. Diante de tanta controvérsia, a proposta agora não tem data para voltar à Ordem do Dia.

Alguns partidos, como o PR, o PTB, o PDT e o PSC, justificaram a posição favorável à retirada de pauta como uma manobra de obstrução para pressionar pela votação da proposta do fim do fator previdenciário (PL 3299/08).

“Enquanto não tiver um acordo para votação do fim do fator previdenciário, não se vota nada nesta Casa”, afirmou o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP).

O argumento, no entanto, não convenceu ao presidente da Câmara, Marco Maia. Ele disse que o fator previdenciário foi utilizado como “cortina de fumaça” para evitar a votação do marco civil.

“Há um debate sobre detalhes, influências pontuais, que estão se sobrepondo ao interesse maior. Essa matéria voltará à pauta assim que tivermos um acordo definitivo por parte da maioria dos líderes. Enquanto continuar o impasse, não teremos condição de votá-la”, disse o presidente.

Interesses econômicos
Para o relator da proposta, deputado Alessandro Molon (PT-RJ), o que tem inviabilizado a votação do marco civil são “interesses econômicos dos grandes provedores de conexão”. “O problema não é fator previdenciário, é o marco civil e os interesses que ele contraria”, disse.

Segundo Molon, para que o projeto volte à pauta, é preciso que a sociedade se organize para pressionar os parlamentares dos partidos que solicitaram a retirada de pauta. “É lamentável que a Câmara tenha mais uma vez negado ao internauta brasileiro o direito à liberdade de expressão, à privacidade, a uma internet neutra”, criticou.

Neutralidade de rede
Um dos pontos polêmicos do texto é o que estabelece a neutralidade, dispositivo que obriga os pacotes de dados a serem tratados de forma isonômica, sem distinção por conteúdo, origem, destino ou serviço. Isso significa, por exemplo, que um provedor de acesso não poderá diminuir a velocidade de aplicativos de vídeo ou de chamadas gratuitas.

O deputado Silvio Costa (PTB-PE), no entanto, defendeu a retirada de pauta. Segundo ele, o projeto ainda deixa muitas lacunas. “Não existe na Casa consenso sobre esse projeto, não dá para entender a urgência em votar. Ele não define de forma criteriosa os direitos do consumidor”, disse.

Íntegra da proposta: PL-2126/2011

Relatório Final do Marco Civil da Internet

Reportagem – Carol Siqueira
Edição – Pierre Triboli