Ir para o conteúdo

Lerd

Tela cheia

Blog do Lerd

3 de Abril de 2011, 21:00 , por Desconhecido - | No one following this article yet.
Lerds do Mundo Todo, Uni-vos!

Destruindo o Paraná: Tucano atropela Lei de Software e assina acordo com multinacional

26 de Abril de 2013, 21:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Por Derick Fernandes, do Diário do Estado

O Governador do Paraná, Carlos Alberto (PSDB), assinou no último dia (09) um acordo de intenções com a Microsoft no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. O presidente da Microsoft Brasil, Michel Levy, disse que o Paraná está "puxando o trem da competitividade" no país.

O fato interessante é que o Paraná é o único Estado do país que tem lei aprovada de incentivo e uso de Softwares Livres (Lei Estadual 14.058/2003), que determina que a Administração Pública do Paraná deve utilizar, preferencialmente, programas abertos de computador.

Na aquisição de softwares proprietários, deve ser dada preferência para aqueles que operem em ambiente multiplataforma, permitindo sua execução sem restrições em sistemas operacionais baseados em software livre.

Ou seja, a iniciativa também descumpre as leis 14.195/2003 e 15.6742/2007, todas da época do governador Roberto Requião (PMDB), mas que ainda estão em plena vigência.

O Governo do Estado do Paraná tem um dos principais órgãos tecnológicos do país, a CELEPAR, que foi criado para "executar políticas e ações envolvendo o Software livre" no âmbito do Estado do Paraná:

O Governo do Paraná é um dos principais usuários e desenvolvedores de software livre de todo o país.

A opção pelos programas de código aberto faz parte das políticas estratégicas de governo. Sua execução é de responsabilidade da CELEPAR. (leia mais aqui)

A Celepar é responsável por inúmeros projetos de Software Livre público, como por exemplo o Expresso Livre, e que acabarão  afundando no mar do esquecimento e subemprego.

Mas como um Estado que incentiva a prática do Software Livre no país aceita um acordo destes?

Os governos não são feitos de políticos e sim de partidos. No fim das contas, quem governa, manda e desmanda é o partido político do meliante cidadão em que votamos.

Segundo as nossas pesquisas, o PSDB, partido do Governador Beto Richa, tem um histórico interessante de "acordos com a Microsoft", vejamos:

- No próprio site do PSDB encontramos uma notícia de que o Governador de Goiás, Marconi Perillo, fez uma viajem aos EUA no ano passado (2012) afim de se reunir com a Microsoft e "agradecer" a empresa pela "economia de R$ 90 milhões aos cofres públicos de Goiás". Se a VERDADEIRA INTENÇÃO do PSDB fosse a economia, teriam usado software Livre e não teriam gasto um único centavo!

- Em 2009 o Governo do Estado do Rio Grande do Sul também fechou parceria com a Microsoft para implantação do "Windows Educação" nas escolas públicas.

- Segundo o Presidente da Microsoft do Brasil, a empresa está negociando os mesmos termos com outros estados do país, como por exemplo o Rio de Janeiro, que apesar de ser governado pelo "PMDBista" Sérgio Cabral, tem aliança com o PSDB.

- O Criador do AI-5 Digital, Eduardo Azeredo, que também é do PSDB, recebeu apoio da Microsoft em pesquisas sobre infecção por vírus no país, e usa este dado para basear sua escrúpula invernada contra a Internet brasileira. É engraçado falar que "se colocarmos rédeas na internet" as infecções por vírus diminuirão, mas ninguém comenta em se usar plataformas menos suscetíveis a vírus como forma de diminuição destes dados…

- Instalações do PSDB são usadas para eventos da Microsoft

Não é uma posição "esquerdista", muito menos "PTista" e nem sequer confiança ou apoio a algum partido político, mas deu pra ficar bem claro a parceria do tucanato com a Microsoft. A pergunta que não quer calar é: por que será que um partido político teria uma parceria com uma empresa desenvolvedora de software? E a resposta é você quem dá.

Com informações do "Seja Livre"



Globo consegue o que a ditadura não conseguiu: calar imprensa alternativa

26 de Abril de 2013, 21:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

por Luiz Carlos Azenha

Meu advogado, Cesar Kloury, me proíbe de discutir especificidades sobre a sentença da Justiça carioca que me condenou a pagar 30 mil reais ao diretor de Central Globo de Jornalismo, Ali Kamel, supostamente por mover contra ele uma “campanha difamatória” em 28 posts do Viomundo, todos ligados a críticas políticas que fiz a Kamel em circunstâncias diretamente relacionadas à campanha presidencial de 2006, quando eu era repórter da Globo.

Lembro: eu não era um qualquer, na Globo, então. Era recém-chegado de ser correspondente da emissora em Nova York. Fui o repórter destacado para cobrir o candidato tucano Geraldo Alckmin durante a campanha de 2006. Ouvi, na redação de São Paulo, diretamente do então editor de economia do Jornal Nacional, Marco Aurélio Mello, que tinha sido determinado desde o Rio que as reportagens de economia deveriam ser “esquecidas”– tirar o pé, foi a frase — porque supostamente poderiam beneficiar a reeleição de Lula.

Vi colegas, como Mariana Kotscho e Cecília Negrão, reclamando que a cobertura da emissora nas eleições presidenciais não era imparcial.

Um importante repórter da emissora ligava para o então ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, dizendo que a Globo pretendia entregar a eleição para o tucano Geraldo Alckmin. Ouvi o telefonema. Mais tarde, instado pelo próprio ministro, confirmei o que era também minha impressão.

Pessoalmente, tive uma reportagem potencialmente danosa para o então candidato a governador de São Paulo, José Serra, censurada. A reportagem dava conta de que Serra, enquanto ministro, tinha autorizado a maior parte das doações irregulares de ambulâncias a prefeituras.

Quando uma produtora localizou no interior de Minas Gerais o ex-assessor do ministro da Saúde Serra, Platão Fischer-Puller, que poderia esclarecer aspectos obscuros sobre a gestão do ministro no governo FHC, ela foi desencorajada a perseguí-lo, enquanto todos os recursos da emissora foram destinados a denunciar o contador do PT Delúbio Soares e o ex-ministro da Saúde Humberto Costa, este posteriormente absolvido de todas as acusações.

Tive reportagem sobre Carlinhos Cachoeira — muito mais tarde revelado como fonte da revista Veja para escândalos do governo Lula — ‘deslocada’ de telejornal mais nobre da emissora para o Bom Dia Brasil, como pode atestar o então editor Marco Aurélio Mello.

Num episódio específico, fui perseguido na redação por um feitor munido de um rádio de comunicação com o qual falava diretamente com o Rio de Janeiro: tratava-se de obter minha assinatura para um abaixo-assinado em apoio a Ali Kamel sobre a cobertura das eleições de 2006.

Considero que isso caracteriza assédio moral, já que o beneficiado pelo abaixo-assinado era chefe e poderia promover ou prejudicar subordinados de acordo com a adesão.

Argumentei, então, que o comentarista de política da Globo, Arnaldo Jabor, havia dito em plena campanha eleitoral que Lula era comparável ao ditador da Coréia do Norte, Kim Il-Sung, e que não acreditava ser essa postura compatível com a suposta imparcialidade da emissora. Resposta do editor, que hoje ocupa importante cargo na hierarquia da Globo: Jabor era o “palhaço” da casa, não deveria ser levado a sério.

No dia do primeiro turno das eleições, alertado por colega, ouvi uma gravação entre o delegado da Polícia Federal Edmilson Bruno e um grupo de jornalistas, na qual eles combinavam como deveria ser feito o vazamento das fotos do dinheiro que teria sido usado pelo PT para comprar um dossiê contra o candidato Serra.

Achei o assunto relevante e reproduzi uma transcrição — confesso, defeituosa pela pressa – no Viomundo.

Fui advertido por telefone pelo atual chefão da Globo, Carlos Henrique Schroeder, de que não deveria ter revelado em meu blog pessoal, hospedado na Globo.com, informações levantadas durante meu trabalho como repórter da emissora.

Contestei: a gravação, em minha opinião, era jornalisticamente relevante para o entendimento de todo o contexto do vazamento, que se deu exatamente na véspera do primeiro turno.

Enojado com o que havia testemunhado ao longo de 2006, inclusive com a represália exercida contra colegas — dentre os quais Rodrigo Vianna, Marco Aurélio Mello e Carlos Dornelles — e interessado especialmente em conhecer o mundo da blogosfera — pedi antecipadamente a rescisão de meu contrato com a emissora, na qual ganhava salário de alto executivo, com mais de um ano de antecedência, assumindo o compromisso de não trabalhar para outra emissora antes do vencimento do contrato pelo qual já não recebia salário.

Ou seja, fiz isso apesar dos grandes danos para minha carreira profissional e meu sustento pessoal.

Apesar das mentiras, ilações e tentativas de assassinato de caráter, perpretradas pelo jornal O Globo* e colunistas associados de Veja, friso: sempre vivi de meu salário. Este site sempre foi mantido graças a meu próprio salário de jornalista-trabalhador.

O objetivo do Viomundo sempre foi o de defender o interesse público e os movimentos sociais, sub-representados na mídia corporativa. Declaramos oficialmente: não recebemos patrocínio de governos ou empresas públicas ou estatais, ao contrário da Folha, de O Globo ou do Estadão. Nem do governo federal, nem de governos estaduais ou municipais.

Porém, para tudo existe um limite. A ação que me foi movida pela TV Globo (nominalmente por Ali Kamel) me custou R$ 30 mil reais em honorários advocatícios.

Fora o que eventualmente terei de gastar para derrotá-la. Agora, pensem comigo: qual é o limite das Organizações Globo para gastar com advogados?

O objetivo da emissora, ainda que por vias tortas, é claro: intimidar e calar aqueles que são capazes de desvendar o que se passa nos bastidores dela, justamente por terem fontes e conhecimento das engrenagens globais.

Sou arrimo de família: sustento mãe, irmão, ajudo irmã, filhas e mantenho este site graças a dinheiro de meu próprio bolso e da valiosa colaboração gratuita de milhares de leitores.

Cheguei ao extremo de meu limite financeiro, o que obviamente não é o caso das Organizações Globo, que concentram pelo menos 50% de todas as verbas publicitárias do Brasil, com o equivalente poder político, midiático e lobístico.

Durante a ditadura militar, implantada com o apoio das Organizações Globo, da Folha e do Estadão — entre outros que teriam se beneficiado do regime de força — houve uma forte tentativa de sufocar os meios alternativos de informação, dentre os quais destaco os jornais Movimento e Pasquim.

Hoje, através da judicialização de debate político, de um confronto que leva para a Justiça uma disputa entre desiguais, estamos fadados ao sufoco lento e gradual.

E, por mais que isso me doa profundamente no coração e na alma, devo admitir que perdemos. Não no campo político, mas no financeiro. Perdi. Ali Kamel e a Globo venceram. Calaram, pelo bolso, o Viomundo.

Estou certo de que meus queridíssimos leitores e apoiadores encontrarão alternativas à altura. O certo é que as Organizações Globo, uma das maiores empresas de jornalismo do mundo, nominalmente representadas aqui por Ali Kamel, mais uma vez impuseram seu monopólio informativo ao Brasil.

Eu os vejo por aí.

PS do Viomundo: Vem aí um livro escrito por mim com Rodrigo Vianna, Marco Aurelio Mello e outras testemunhas — identificadas ou não — narrando os bastidores da cobertura da eleição presidencial de 2006 na Globo, além de retratar tudo o que vocês testemunharam pessoalmente em 2010 e 2012.

PS do Viomundo 2: *Descreverei detalhadamente, em breve, como O Globo e associados tentaram praticar comigo o tradicional assassinato de caráter da mídia corporativa brasileira.

Leia também:

Justiça conclui que Ali Kamel não manda na Globo



Vinícius Vieira: A parceria de Beto Richa com a Microsoft

14 de Abril de 2013, 21:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Por sugestão do Buranello Ambrosio, no Facebook, via Viomundo

PSDB fecha parceria com Microsoft para tentar “afundar” projetos de Software Livre

Por Vinícius Vieira no #seja livre

É isso mesmo minha gente, vocês não estão no blog errado: estamos sim falando de política!

Nesta semana recebemos uma denúncia de que o Governo do Estado do Paraná estaria fechando parcerias com a Microsoft, afim de “alavancar” o ensino público estadual.

O Governador do Paraná, Beto Richa, do PSDB, assinou anteontem (09) um acordo de intenções com a Microsoft no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. O presidente da Microsoft Brasil, Michel Levy, disse que o Paraná está “puxando o trem da competitividade” no país.

O mais interessante é que o Paraná é o único Estado do país que tem lei aprovada de incentivo e uso de Softwares Livres (Lei Estadual 14.058/2003), que determina que a Administração Pública do Paraná deve utilizar, preferencialmente, programas abertos de computador.

Na aquisição de softwares proprietários, deve ser dada preferência para aqueles que operem em ambiente multiplataforma, permitindo sua execução sem restrições em sistemas operacionais baseados em software livre.

Ou seja, a iniciativa também descumpre as leis 14.195/2003 e 15.6742/2007, todas da época do governador Roberto Requião (PMDB), mas que ainda estão em plena vigência.

Se você não sabe leitor, o Governo do Estado do Paraná tem um dos principais órgãos tecnológicos do país, a CELEPAR, que inclusive foi criado para “executar políticas e ações envolvendo o Software livre” no âmbito do Estado do Paraná:

O Governo do Paraná é um dos principais usuários e desenvolvedores de software livre de todo o país.

A opção pelos programas de código aberto faz parte das políticas estratégicas de governo. Sua execução é de responsabilidade da CELEPAR. (leia mais aqui)

Celepar, cadê você???

A Celepar é responsável por inúmeros projetos de Software Livre público, como por exemplo o Expresso Livre, e que infelizmente com iniciativas como esta acabarão afundando no mar do esquecimento e subemprego.

Mas como um Estado que incentiva a prática do Software Livre no país aceita um acordo destes?

Os governos não são feitos de políticos e sim de partidos. No fim das contas, quem governa, manda e desmanda é o partido político do meliante cidadão em que votamos.

Segundo as nossas pesquisas, o PSDB, partido do Governador Beto Richa, tem um histórico interessante de “acordos com a Microsoft”, vejamos:

– No próprio site do PSDB encontramos uma notícia de que o Governador de Goiás, Marconi Perillo, fez uma viajem aos EUA no ano passado (2012) afim de se reunir com a Microsoft e “agradecer” a empresa pela “economia de R$ 90 milhões aos cofres públicos de Goiás”. Se a VERDADEIRA INTENÇÃO do PSDB fosse a economia, teriam usado software Livre e não teriam gasto um único centavo!

– Em 2009 o Governo do Estado do Rio Grande do Sul também fechou parceria com a Microsoft para implantação do “Windows Educação” nas escolas públicas.

– Segundo o Presidente da Microsoft do Brasil, a empresa está negociando os mesmos termos com outros estados do país, como por exemplo o Rio de Janeiro, que apesar de ser governado pelo “PMDBista” Sérgio Cabral, tem aliança com o PSDB.

– O Criador do AI-5 Digital, Eduardo Azeredo, que também é do PSDB, recebeu apoio da Microsoft em pesquisas sobre infecção por vírus no país (leia esta página, no fim do artigo), e usa este dado para basear sua escrúpula invernada contra a Internet brasileira. É engraçado falar que “se colocarmos rédeas na internet” as infecções por vírus diminuirão, mas ninguém comenta em se usar plataformas menos suscetíveis a vírus como forma de diminuição destes dados…

– Instalações do PSDB são usadas para eventos da Microsoft

Gente, não sou “esquerdista”, muito menos “PTista” e nem sequer confio ou apoio nenhum partido político, mas acho que deu pra ficar bem claro a parceria do PSDB com a Microsoft. A pergunta que não quer calar é: por que será que um partido político teria uma parceria com uma empresa desenvolvedora de software? E a resposta é simples: desvio de dinheiro público e Lobby!

Sinceramente esse Brasil me enoja…



LibreLogo: programação gráfica com o LibreOffice

11 de Março de 2013, 21:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Por Gilvan Vilarim

Com o lançamento da versão 4.0 do LibreOffice, um novo recurso foi incorporado ao conjunto de ferramentas do Writer: é o LibreLogo, um ambiente de programação que segue o estilo da linguagem Logo. No Logo, uma tartaruga é ensinada a fazer desenhos na tela do computador, como se estivesse caminhando pela tela com um lápis na sua “barriga”. Conforme ela se movimenta, o lápis “risca” a tela e monta desenhos.

Criado por Németh László e ainda oferecido como uma extensão do LibreOffice (nas versões 3.x), o LibreLogo permite comandar a tartaruga pela página de documento do Writer. A partir de comandos muito simples, a tartaruga pode fazer desenhos como se estivesse “riscando” a folha de papel mas, no Writer, os desenhos se transformam em gráficos vetoriais! Tudo ocorre como se estivéssemos utilizando as ferramentas de desenho para criar linhas, círculos, retângulos e outras formas.

Para utilizar a nova ferramenta, abra uma nova barra de ferramentas disponível no Writer (Exibir – Barras de ferramentas – Logo). Clique nas setas para mover e girar a tartaruga e experimente os outros botões!

O grande poder do LibreLogo está justamente na capacidade do usuário comandar a tartaruga de forma livre pela tela, e com recursos de programação, é possível criar desenhos muito mais sofisticados, que seriam muito difíceis de se fazer manualmente. Os comandos podem ser digitados como parágrafos do Writer, e depois executados pelo botão Iniciar.

Veja o exemplo a seguir. Copie e cole o texto abaixo exatamente como está, e clique no botão Iniciar da barra Logo:

aprender fazerUmQuad
 mudarcordolápis qualquer
 repita 4 [ parafrente 100 paradireita 90 ]
 paraesquerda 15
 fim
 tartaruga
 paracentro
 repita 24 [ fazerUmQuad mudarcordapintura qualquer pintar ]

Legal, não? O LibreLogo pode ser útil para ensinar programação e também criar desenhos em editoração eletrônica. Professores podem utilizar a ferramenta para trabalhar com conceitos de programação, e profissionais de editoração podem usar o LibreLogo para criar belas capas, bordas, cabeçalhos e muito mais!

logo

Na tradução do LibreLogo para o português do Brasil, a linguagem dos comandos também foi traduzida, facilitando o uso por crianças e por aqueles que não dominam o inglês. Para os que já utilizaram outros softwares de programação em Logo, houve um esforço de padronização da tradução e compatibilização dos comandos. É possível ainda programar com os comandos originais em inglês, e depois traduzir tudo com o botão da varinha mágica!

As diferenças entre o Logo original e o LibreLogo estão mencionadas na tela de ajuda do LibreLogo, pressionando-se F1 na barra de ferramentas Logo. A Ajuda também mostra toda a lista de comandos possíveis na versão atual e inclui alguns exemplos para se brincar.

Agora é só brincar e trabalhar. Ou, quem sabe, juntar as duas coisas?

Um abraço,
Gilvan.

Gilvan Vilarim é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Suas áreas de interesse são: novas tecnologias e trabalho; educação em computação; inovação tecnológica e social; formação profissional; economia do conhecimento; e programação de computadores.

Fonte: LibreOffice Brasil Blog



Blogueiro/Secretário Municipal cria blog para democratizar planejamento da cidade

26 de Janeiro de 2013, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

O blogueiro Hemerson Baptista, do Blog VivaSamas.net, foi recentemente empossado Secretário Municipal de Planejamento de São Mateus do Sul, PR.

Hemerson que já mantém seu blog (http://vivasamas.net) hospedado com domínio próprio no Blogoosfero, resolveu adotar esta plataforma livre de blogs e redes sociais, desenvolvida em software 100% brasileiro, para democratizar o processo de planejamento da cidade. Criou então o blog Plano Cidadão de São Mateus do Sul

http://blogoosfero.cc/plano-cidadao-sao-mateus-do-sul

cujo objetivo é Democratizar o processo de planejamento de São Mateus do Sul, bem como facilitar o acesso à informação e ampliar a participação popular nas decisões de governo e no desenvolvimento da cidade.

No blog, Hemerson disponibiliza também Softwares Livres, tais como o OpenProj,  que permite à população por a mão na massa, criar (elaborar), compartilhar e gerenciar projetos em parceria com o poder público.

http://blogoosfero.cc/plano-cidadao-sao-mateus-do-sul/openproj/nosso-sistema-de-gerenciamento-de-projetos

A iniciativa coloca São Mateus do Sul na vanguarda da autonomia tecnológica e já a transforma num case de bom uso dos recursos públicos e de democratização do acesso às informações ao usar ferramentas desenvolvidas em Software Livre e abrir espaço para que a população possa participar do planejamento da cidade.

Liberdade e Autonomia são importantes para o desenvolvimento de São Mateus, do Paraná e do Brasil!

Fonte: paranablogs



Confira o programa da Oficina para usuários do Blogoosfero / STOA em 23/01, na USP

26 de Janeiro de 2013, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Horário

Tema/Responsável

 09:00-09:30

Esquenta:

- Boas vindas

- Apresentação dos presentes

- Objetivos da Oficina

 09:30-09:50 

O que é o Noosfero?

 
Vicente de Aguiar, Colivre, via Hangout

 09:50-10:10                             

Por que os blogueiros escolheram o noosfero?

  Sérgio Luís Bertoni, Fundação Blogoosfero/TIE-Brasil

 10:10-10:30  

Por que o STOA usa noosfero?

                               
Ewtou ter Haar, CCSL-IME/USP

 10:30-10:45

Pausa

 10:45-11:30

Programe ou seja programado: a questão da independência tecnológica e o capitalismo informacional

  Sérgio Luís Bertoni, Fundação Blogoosfero/TIE-Brasil

 11:30-12:00

Introdução às funcionalidades Blogoosfero/STOA/Noosfero

  Paulo Meirelles - ASL e CCSL-IME/USP

 12:00-13:30

Intervalo para Almoço

 13:30-17:30

Funcionalidades Blogoosfero/STOA/Noosfero: Do Básico ao Avançado(*)

  Paulo Meirelles - ASL e CCSL-IME/USP
  Sérgio Luís Bertoni, Fundação Blogoosfero/TIE-Brasil
 
  • perfil pessoa
  • perfil comunidade
  • perfil empreendimento
  • mural
  • convidar amigos
  • blogs
  • agenda
  • fórum
  • galeria de imagens
  • painel de controle
  • gestão de conteúdo
  • clones de blogs
  • internacionalização
  • divulgação de conteúdos
  • sugestão de artigos
  • multimídia
  • busca
  • envio de mensagens
  • notificação de atualização
  • feed RSS
  • atividades na rede
  • site personalizado
  • anti-spam
  • formulários
  • escolha de perfil
  • mudanças no redator de e-mail
  • administração de licenças
  • tolerance adjustments
  • perfil modelo
  • sub-blogs
  • gerenciamento de lay-out

(*) Intervalo a combinar

Veja também:

Oficina para usuários Blogoosfero/STOA: 23/01/2013, na USP

Blogoosfero foi criado por blogueiros. Veja como utilizar essa ferramenta de comunicação



Banners da campanha: "Quem são os proprietários do Brasil"

26 de Janeiro de 2013, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Extraído do Blog Liberdade e Autonomia

 

 

Quem são os proprietários do Brasil? Clique para ver e apoiar!Extraído do Blog Liberdade e Autonomia



Só feras: presenças confirmadas no 2º Paraná Blogs

26 de Janeiro de 2013, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

O 2º ParanáBlogs acontecerá entre os dias 12 e 14 de abril de 2013, na nova sede do Sismuc, em Curitiba.

Já confirmaram presença:

Leonardo Boff

Maria Fro

Marcos Lula

Vito Gianotti

Participe você também!!!

Fonte: Paraná Blogs



Como pedir "reembolso pelo Windows, com danos morais"

14 de Janeiro de 2013, 22:00, por Lerd - 0sem comentários ainda

Por Paulo Meirelles

"Relatei em 2010 minha experiência com o reembolso pelo Windows OEM de um notebook Lenovo, quando fui reembolsado em R$ 229 pela licença do Windows XP Home OEM embutida. Depois daquele episódio, eu sabia que não ia demorar a passar pelo mesmo problema novamente. E não demorou.

Em março de 2011, comprei outro notebook, um G460 (também Lenovo) com Windows 7 Home na loja virtual do Ponto Frio. Depois de reclamar no Procon e entrar com uma ação no Juizado de Pequenas Causas, consegui outro reembolso, dessa vez com direito a indenização por danos morais."

Esse relato foi feito por Otto Teixeira e deve ser disseminado para todas as pessoas que compram um computador e não irão (não querem) usar o Windows, claramente, embutido como "venda casada". Vejam todas as explicações e passos para solicitar tal reembolso em: http://ottoteixeira.com/2013/01/09/reembolso-pelo-windows-novamente-dessa-vez-com-danos-morais



Iphone perde clientes. Bom para os usuários. Ruim para os Trabalhadores.

14 de Janeiro de 2013, 22:00, por Lerd - 0sem comentários ainda

As encomendas  feitas pela Apple junto às terceirizadas fornecedoras de telas de LCD e outros componentes do iPhone 5 foram reduzidas.

De acordo com o jornal japonês Nikkei a empresa norteamericana solicitou à Japan Display, Sharp e LG Display a redução da produção de telas LCD para cerca da metade dos 65 milhões de unidades planejadas inicialmente.

Caso se confirme a informação este é uma péssima notícia para a Apple, mas excelente notícia para os consumidores de produtos de informática, pois é mais uma derrota do modelo proprietário de desenvolvimento, aquele em que o código fonte é fechado e patenteado. No caso da Apple a derrota é dupla, pois além do software, o hardware dos equipamentos Apple também é proprietário. Só a Apple ou as empresas por ela contratadas podem produzí-lo, mas somente para a Apple que fica encarregada da distribuição mundial dos produtos.

Na história da informática, todos os sistemas fechados e proprietários acabam por ser suplantados por sistemas livres e abertos. A IBM entendeu isso ainda nos anos 1980 e deixou que empresas independentes produzissem clones de seu IBM PC. Já a Apple manteve seus hardware e software proprietários e a respectiva pouca participação no mercado.

Com o advento do iPhone e do iPad parecia que o jogo mudaria a favor dos sistemas proprietários. Mas desde a chegada do Android, baseado no sistema operacional livre Linux, o sistema proprietário e fechado da Apple foi perdendo terreno.

Quem deve perder com este processo são os trabalhadores da Japan Display, Sharp e LG Display, já que as empresas nunca assumem seus erros, nem corriqueiros, nem estratégicos, e quando há corte de produção demitem os trabalhadores.

Já os trabalhadores em empresas que fornecem componentes para os produtores de celulares e smartphones equipados com Android e outros sistemas operacionais livres, não precisam se preocupar tanto, já que as vendas destes equipamentos com software livre vai de vento e polpa e causa o mal estar da transnacional norteamericana.



Dilma sanciona lei que permite a redução das tarifas de energia elétrica e contas mais baratas aos consumidores

13 de Janeiro de 2013, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Por Danilo Macedo
Repórter da Agência Brasil

Brasília - A presidenta Dilma Rousseff sancionou a lei que prorroga as concessões de geração de energia elétrica e reduz encargos setoriais de forma a oferecer tarifas menores ao consumir. De acordo com a lei 12.783, de 11 de janeiro de 2013, publicada hoje (14) no Diário Oficial da União, as concessões de geração de energia elétrica poderão ser prorrogadas uma única vez, pelo prazo de até 30 anos, de forma a assegurar a continuidade, a eficiência da prestação e a tarifa mais baixa.

Para terem o contrato de geração renovado, as concessionárias devem atender a requisitos estabelecidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em relação a tarifas e qualidade do serviço. A agência também disciplinará o repasse, para a tarifa final paga pelo consumidor, de investimentos necessários para manter a qualidade e continuidade da prestação do serviço pelas usinas hidrelétricas.

A lei deixa claro que a prorrogação das concessões de energia elétrica “será feita a título
oneroso, sendo o pagamento pelo uso do bem público revertido em favor da modicidade tarifária, conforme regulamento do poder concedente”.

De forma a assegurar a continuidade, a eficiência da prestação do serviço e a segurança do sistema, a lei também autoriza a prorrogação, pelo prazo de até 20 anos, das concessões de geração de energia termelétrica. O pedido de prorrogação deve ser feito pela concessionária com antecedência de 24 meses do fim do contrato ou outorga.

Edição: Talita Cavalcante



Fique esperto: supostas mensagens do Facebook pedem que as contas da América Latina sejam atualizadas

13 de Janeiro de 2013, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Recebemos a mensagem abaixo,  supostamente proveniente do Facebook, em uma conta de e-mail que não está nem nunca esteve registrada naquela rede social:

Devido a uma falha em nossos sistemas, muitas das contas cadastradas foram hackeadas,
para que você não tenha os mesmos transtornos, pedimos que instale a sua atualização,
caso o contrario sua conta ficara suspensa por 30 dias.
Atualização obrigatoria para todos os usuarios da america latina.

Evidentemente se trata de um spam enviado por espertinhos que, além de não saber escrever direito em português, querem crackear as contas do Facebook.

Se não fosse um spam, mas sim uma mensagem oficial do Facebook, restaria perguntar:

- Onde o Facebook teria conseguido o endereço de e-mail que não está cadastrado lá?

- Que raios de segurança seletiva tem esta rede social que a deixa vulnerável apenas no continente latinoamericano?

De todas as formas, fique esperto e não caia no conto do vigário, pois mesmo que cancelassem sua conta, você não perdaria nada de importante neste mês de cancelamento. Ao contrário, ganharia tempo livre para fazer coisas mais interessantes.



Stoq 1.5 - Gestão Empresarial Open Source

10 de Janeiro de 2013, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Com muita satisfação, a Equipe Async Stoq anuncia a versão 1.5 do Stoq.

 Atrativos deste release:

=================

* Nova opção para troca de produtos.

* Devolução parcial de venda.

* Parâmetro "desabilitar vendas" para cliente com pagamentos atrasados, sendo possível também configurar uma tolerância para considerar um pagamento atrasado.

* Relatório de vendas por forma de pagamento.

* Relatório listando os totais de vendas por vendedor.

* Controle de acessos de usuários baseado por filial.

* Opção de desconto máximo para categorias de clientes.

* Novo campo de salário de cliente e possibilidade de cálculo automático de limite de crédito baseado em seu percentual (configurável via parâmetro).

* Seleção de uma conta financeira ao dar baixa em pagamentos do tipo dinheiro.

* Opção para configurar baudrate da Impressora Fiscal.

* Opção para cadastrar histórico de consultas de crédito de um cliente.

* Impressão de nota promissória junto com os carnês do crediário.

* Renegociação de pagamentos para vendas sem clientes.

* Criação de pedido para fornecedor com produtos ainda não associados, realizando neste momento o processo de associação ao mesmo.

* Somente as vendas pertencentes a filial atual são exibidas na pesquisa principal do aplicativo vendas.

Para visualizar a lista completa de novidades deste lançamento, acesse - http://www.stoq.com.br/novidades/

Como em versões anteriores, é suportada atualização da versão 1.4 para 1.5.

Fonte: Stoq



Cartaz do Curso Blogoosfero/STOA

3 de Janeiro de 2013, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda



Fazendo o microfone do Aspire One D150 funcionar no Google Voice e no Skype

3 de Janeiro de 2013, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

O som do Aspire One D150, apesar de funcionar com os aplicativos padrão do Kubuntu 12.04 LTS, apresenta um problema de reconhecimento do microfone no Google Voice e no Skype. Isso porque o hardware manda os canais esquerdo e direito invertidos e o ALSA entende que o microfone embutido é mono e tenta mixá-lo.

Para fazê-lo funcionar você instalar o pavucontrol:

$ sudo apt-get install pavucontrol

Depois de instalá-lo vá para a guia dispositivo de entrada, desbloqueie os controles deslizantes, ajuste o som do canal esquerdo em Zero e ajuste o canal direito no máximo. Deixe-os nesta posição.

Isso já o suficiente para que o microfone seja reconhecido no Skype.

Mas para que seja também reconhecido no Google Voice você precisará ainda:

Abra o arquivo /home/seu_usuário/.config/google googletalkplugin/options e edite a seguinte linha do arquivo com o valor 1

audio-flags = 1 (no Aspire que configurei esta linha estava com valor 15)

Abra o navegador e o microfone será reconhecido pelo Google Voice.

Testei o funcionamento do Google Voice no Firefox 17 e no Chrome.

Outras soluções, tais como instalação de novos módulos ALSA, você encontra em
https://help.ubuntu.com/community/AspireOneAOD250?action=show&redirect=AspireOne%2FAOD250