Ir para o conteúdo

Fr3d vázquez

Tela cheia

Blog

3 de Abril de 2011, 21:00 , por Desconhecido - | No one following this article yet.

Enquanto a Cidade silencia a Roça se levanta

15 de Outubro de 2016, 13:53, por Fr3d vázquez - 0sem comentários ainda

Toporedes saraunourubu 29102016
 

"Enquanto a Cidade silencia a Roça se levanta"

Coletivo de artistas e produtores culturais e digitais realizam no último sábado de cada mês encontros para celebrar a Cultura e estabelecer vínculos de Re-Existência em Brasília.
 
Sediado no Galpão Nós no Bambú, no Córrego do Urubu - próxima a antena de TV Digital, o mote do Sarau é uma referência clara à necessidade de toda sociedade ter espaços de elaboração, reflexão e construção de referências culturais.
 
Recentemente recebemos a notícia de que o Bar do Pardim, espaço de encontro de artistas e produtores culturais do DF na 405 norte, foi fechado por motivo, segundo informações, por queixas de vizinhos baseados na famigerada Lei do Silêncio e de um encontro de jovens que realizaram uma feijoada no local dias antes.
 
Esse movimento inviabilizou a realização do encontro Jiló na Guela - encontro de cineclubistas, assim como de muitos outros espaços e encontros.
 
O que não faltam nos últimos tempos são notícias de ataques a Vida cultural de Brasília, não apenas no Plano Piloto, baseados em uma lei que está em revisão pois ela não condiz copm normas internacionais de medição de ruído e sua aferição é feita de forma equivocada na maioria das vezes.
 
O coletivo #SarauNoUrubu acredita na importância da Cultura como elemento construtor da identidade de um povo, e Brasília (o Quadrado todo) é muito nova para ser impedida de construir sua identidade.
 
Por isso acreditamos, e celebramos, na Re-Existência de nossa gente criativa e amorosa para semearmos e colhermos nossa identidade candanga. Brasília é muito jovem para sofrer ataques às suas manifestações culturais e ser silenciada.
 
Brasília não dá mais conta de viver bucolicamente do serviço público, é um organismo vivo que cresce, com uma juventude pulsante e ansiosa de inovação, cultura e realização. É na Cultura Popular, candanga, que vão beber.
 
Neste dia 29 de Out. vamos nos entrelaçar uma vez mais e celebrar a Vida que pulsa em nossos corpos e almas.
 
Você está CONVIDAD@!
 
Veja e CURTA nossa progrmação:
 
Convite saraunourubu pb 29102016
=> Zé do Pife e as Juvelinas
=> Thais Kuri e Juliana Victória - Dança Contemporânea
=> Clara Lenzi - Aéreo/Gota
=> Albert Carneiro - Açougueiro Jack/Corda Indiana
=> Lívia - Bola de contato
=> Adeilton Lima - Poesia
=> Gui Campos - Curta Rosinha
=> Ricardo caldeira _ Pintura ao vivo
=> Marcelo Calil - Exposição Fotográfica
=> PALCO ABERTO
=> FOGUEIRA
=> Kelly Cristina Alves - Danças Populares e Circulares
 
 



Estupraram Roxxin e Agamben!

27 de Setembro de 2016, 22:18, por Fr3d vázquez - 0sem comentários ainda

Desde  o Conversa Afiada, que reproduziu desde o Viomundo, reproduzo, eu também, estupenda análise de Katarina Peixoto em seu Facebook:


 

Ontem dediquei algumas horas a ler decisões de juízes, desembargadores e ministros. Adoeci um pouco mais e espero conseguir fazer algo de positivo com o chorume que li.

Enunciados falsos podem fazer sentido. E nada há de trivial nisso. Um dos Diálogos platônicos de maturidade, O Sofista, é dedicado ao estatuto lógico dos enunciados falsos e sobre o passado (ou, mais precisamente, sobre o que não é). Desde O Sofista, avançamos na literatura secundária mas, como todo problema filosófico nos exige, não há uma solução para o estado do problema e, vale dizer, não deve haver. A filosofia não existe para resolver os problemas do verdadeiro e do falso, do que existe e do que não existe, mas para nos ajudar e entender e a descrever a natureza e o escopo desses problemas, inclusive na vida cotidiana. Inclusive frente ao poder político e ao direito.

Fui dormir com uma pergunta na cabeça: se um juiz ou desembargador brasileiro prescrever uma receita de ovo frito e, com base nela, autorizar a que se enjaule um cidadão antipático à opinião do Jornal Nacional e da Revista Veja, por que razão ele não estaria autorizado a fazê-lo?

Existe interpretação e há teorias da interpretação, as chamadas hermenêuticas. Existem distinções de método. Essas coisas não anulam e nunca anularão a ruptura entre o verdadeiro e o falso e, se o fizerem, nem são interpretação, nem hermenêutica, mas pilantragem, quando não, crime, caso envolvam violação documental e ideológica, tipificadas no código penal, ou o uso mal intencionado e vil de enunciados textuais, a fim de cometer atos sem amparo legal.

Há três casos de falsificação documental que extrapolam em muito a complacência estamental da hermenêutica jurídica e que dão a ver a seriedade dessa questão, acima.

Por ocasião da Ação 470, o caso do mensalão, um ministro do STF arregimentou e violou o sentido de uma doutrina, para produzir sua acusação. A chamada doutrina do "domínio do fato", inventada e utilizada como mera arregimentação, é, em termos estritos, uma falsificação do que Roxxin produziu. Na sua versão brasileira, o que ocorreu foi mais grave, em termos lógicos e penais, do que uma dublagem: a arregimentação serviu para se inventar uma teoria penal da responsabilidade objetiva que não visa a, como manda a filosofia penal moderna e o direito penal brasileiro e a teoria do domínio do fato, segundo Roxxin, buscar a pessoa ou as pessoas de direito que cometeram o crime (com base na identificação particular, subjetiva, no encadeamento de responsabilidade diante de crimes de magnitude e escopo coletivo), mas a atribuir à peculiar noção de objetividade ali exposta, uma totalidade adhoc tal que configure um crime coletivo, por associação qua associação. É como o crime cometido por um cnpj, uma aberração semântica, jurídica, penal, processual penal, judicial e real.

Que uma mídia familiar oligárquica, sonegadora e vinculada a regimes de exceção e deles advogada permanente faça isso, não surpreende. Que isso entre para a jurisprudência brasileira é uma violação de sentido naquilo que define o que se passou a chamar de condições de sentido de um enunciado: as condições para que ele seja dito verdadeiro ou falso.

Ainda assim, essa arregimentação, na medida exata em que não passa disso, pode fazer algum sentido, como falsidade. O acusador sofista, aposentado após a prestação de seu serviço, ao menos se retirou de cena. Com pouca repercussão e nenhum acolhimento conceitual entre os bacharéis superassalariados, o próprio Roxxin disse sua teoria havia sido falsificada, quando em visita ao Brasil, num seminário, após ter se tornado célebre (infelizmente, não por ter sido predado).

Outra falsificação grotesca, também de escopo nocivo e corrosivo da vida institucional do país, foi cometida pelo juiz moro. Ele conseguiu transmutar a descrição, feita por Vannuci, o cientista político italiano, no célebre "O Fracasso da Operação Mãos Limpas", segundo a qual a operação teria produzido uma "deslegitimação da política", em prescrição. Num artigo cometido em revista especializada, cita o Vannuci para defender, vejam só o desvio além da hermenêutica: operações de combate à corrupção deveriam promover a deslegitimação da política.

Dizer que algo produziu a deslegitimação da política não é, por critério algum, dizer que algo deve produzir a deslegitimação da política. Pior: identificar ambos os enunciados ao citá-los como idênticos é falsificar o enunciado original.
A terceira falsificação escandalosa que autoriza a gravidade da questão acima, a respeito do ovo frito, foi cometida há muito pouco tempo, por desembargador federal, prontamente apoiada por uma maioria de falsificadores ou complacentes com a falsificação.

A propósito da análise de representação contra as violações, como tais reconhecidas pelo próprio TRF4, do juiz sergio moro, da Lei Orgânica da Magistratura, que veda o expediente delinquente de grampear advogados e violar a relação entre esses e seus clientes, os senhores desembargadores não somente arregimentaram um filósofo, como o fizeram por segunda mão, via Apud, de texto, inacreditavelmente, cometido por um ex-ministro do STF. O ex-ministro comete a inversão completa e falsificadora do sentido de "exceção jurídica" analisado pelo filósofo italiano Giorgio Agamben. Eros Grau preda o que diz Agamben e os senhores do TRF4, sem timidez nem respeito ao texto do Agamben, aliás com boa tradução para a língua portuguesa, e para a vergonha e a explicitação de um grau periculoso de indigência intelectual e jurídica que assola e ameaça as instituições do país, julgam válida a falsificação do sentido de "exceção jurídica" e usam uma falsificação para assegurar outra.

Trata-se de uma falsificação de segunda ordem, para escândalo de qualquer pessoa letrada. Essa falsificação é grave e nos leva a muitas questões, igualmente graves: se e quantos outros casos há, de falsificações gritantes de teorias, arregimentadas por juízes que não respondem pelo que fazem, não prestam contas a ninguém e, por isso, mandam para a cadeia e inviabilizam a vida de quem for?

Enganam-se os que pensam que isso vai parar ou que isso é só contra o PT e seus dirigentes. Essa ingenuidade não tem o menor cabimento, quando juízes não se envergonham de falsificar teorias, prender sem provas e dizendo que a falta de provas é motivo para prender.

Pode ser analfabetismo funcional, pode ser ignorância, pode ser miséria intelectual carregada do câncer atávico, residual, da cultura bacharelesca, de colônia escravagista. Há muitas hipóteses que exigem o acompanhamento judicioso do que juízes dizem que usam como fundamento de suas decisões e o que procuradores e promotores usam para fundamentar suas denúncias. Fico pensando se alguém que denega a existência pregressa dos dinossauros ou o legado epistêmico do darwinismo pode saber em que consiste uma relação de causalidade, de inferência e de probabilidade. Custo a crer, mas eu sou só uma doutora em filosofia, que se graduou em direito numa das melhores escolas do país, caracterizada, exatamente, por nos prevenir das metástases antilegalistas. Quanto a isso, sou grata.

Descrever algo é uma das coisas mais difíceis e também requer compromissos semânticos explícitos. Quando eu digo: "a teoria do domínio do fato é o modo de fritar ovos", estou dizendo que essa teoria, não uma outra, é o modo, não nenhum outro, de fritar ovos.

Se esse não é o modo de fritar ovos, incorro em falsidade, isto é, enuncio algo falso, mesmo que possa fazer tanto sentido como um ou o modo x de fritar ovos.

Mas uma criança em idade escolar, antes da reforma do ensino médio imposta pelo subletrado da força de usurpação do MEC, pode distinguir sem problema algum entre "o modo de fritar ovos" e "o modo como se deve fritar ovos". Uma criança saberá que essas frases e seus enunciados não são idênticos e que, portanto, identificá-las é errado.

De que natureza é esse erro? Um das coisas mais graves, além do fato melancólico e estarrecedor de que juízes podem mandar enjaular pessoas com base em falsificações feitas por eles mesmos, ou que podem autorizar um outro juiz a fazê-lo, com base em outras falsificações, feitas e cometidas em publicações sem filtro intelectual minimamente alfabetizado, é que esses servidores públicos recebem salários elevados sem que, para tanto, seja requerido mais do que a graduação em direito e, podemos inferir muito tranquilamente, concursos públicos com baixa exigência intelectual e cultural.

Eles não dão aulas em dois ou três expedientes, após doutorado e mestrado, recebendo bolsas simbólicas que mal compram livros e pagam passagens de ônibus. Eles não são obrigados a ler e escrever em mais de um idioma. Não são julgados por pares e pelos que dependem de seu trabalho, para se formarem. Eles não respondem a ninguém e vivem num estado orçamentário e burocrático cujo nível de accountability é irredutivelmente separado do que se passa na vida fiscal, orçamentária e institucional, do país.

Proposições falsas podem fazer sentido, mas não ciência. Proposições falsas e verdadeiras não podem e não devem ser transportadas, sem filtros como os das prerrogativas fundacionais do estado de direito e dos direitos fundamentais, para o âmbito judicial. Proposições falsas não podem é mandar ninguém preso e nem fundamentar o enjaulamento de pessoas.

E aí o problema lógico ganha um contorno mais grave: ele serve ao delito, ao crime, ao arbítrio.

Agora respondam: por que um juiz brasileiro não pode enviar alguém para a cadeia ou autorizar a delinquência de um par, com base na receita de ovo frito?

Espero em breve ter isso mais organizado (estudo o Roxxin, no momento, e espero publicar este texto, se ele ficar mais bem trabalhado). Uma das vantagens de ter perdido tantas coisas e de viver o direito como algo nada trivial, é poder, sem medo de punição além das que já recebi e receberei, chamar atenção para isto: o golpe em curso, no Brasil, não é parlamentar. E quem pensa em termos democráticos e defende a democracia precisa voltar os olhos e a inteligência para esses setores de opacidade, predação e violação de direitos, que contaminam e inviabilizam a economia, a vida institucional e as relações de representação, no país.



Golpistas não elegem prefeitos! e nem se elegem

11 de Maio de 2016, 0:46, por Fr3d vázquez - 0sem comentários ainda

Carta @s Senador@s,

Ontem (10/5) acordei com notícias de que manifestantes bloquearam rodovias em 16 estados e no Distrito Federal e também em vias importantes das duas maiores cidades do país – Rio de Janeiro e São Paulo.

Isso demonstra claramente que a população está insatisfeita com o Golpe travestido de "impeachMENTE", travestido de jurídico com ares de legalidade. E está insatisfeita porque não acredita mais nas histórias da carochinha que a Globo conta e é repetida pelos papagaios de auditório nos demais veículos empresariais.

Não perceberam que o PIG (Partido da Imprensa Golpistas) não pauta mais @s brasileir@s como pautava antes? Para que povo vocês legislam?

Mesmo parte da população, cuja cultura é o buzinasso (por que só andam de carro) e o panelaço para não ter que ouvir o contraditório - igual criança mimada e birrenta, após a aprovação criminosa de impeachMENTE no domingo 17 de abril não saiu eufórica e nem ficou uma semana comemorando, pois caiu a ficha do baixo nível do clero e dos que virão a assumir o governo. A começar por Eduardo Cunha, deputado recém afastado da Câmara pelo STF, seguindo pelo vice conspirador Michel Temer e continuando pelos seus proto-ministros, também golpistas e entreguistas da Soberania brasileira.

Está claro para a população que este grupo (de golpístas) irá promover o maior desmonte das políticas públicas de inclusão e transformação social jamais vividas no Brasil. Políticas que permitiram a el@s, que nunca tiveram nada, entrar nas Universidades, conquistar seus Direitos sociais, ter comida na mesa, casa ṕrópria para morar dignamente e a possiblildade de não apenas sonhar, mas participar ativamente da construção de um futuro promissor para seus filhos e filhas, para o Brasil que também lhes pertence.

Se @s brasileir@s sempre fomos conhecidos como um povo cordial e passivo, essa história tende a mudar. Continuaremos cordiais, mas passivos não mais. A juventude estudada e organizada está aí para gritar em nossas caras os desmandos com a Democracia que vocês devem cuidar.

Além das manifestações de rua, que parece não preocupar aos golpistas, teremos eleições.

As eleições para prefeito estão aí.

Em Outubro tod@s @s brasileir@s, menos aqui no Distrito Federal, irão às urnas eleger @s prefeit@s e vereador@s que irão cuidar (no modelo democrático que vivemos) de suas cidades e das políticas que garantirão os Direitos fundamentais pelos próximos 4 anos. Se tem um tipo de pessoa que brasileir@ não gosta é de traíra, de traidor, de Golpista.

E todo e toda candidat@ a prefeit@ e vereador@ que esteja alinhado, identificado ou envolvido com @s Golpistas não receberá voto de confiança, não será eleito, pois com a internet a população saberá quem lhe roubou o voto que elegeu a presidenta Dilma. Sabemos que quem vota pelo impechMENTE e faz juras eternas de amor, irá trair na primeira esquina, e ainda roubará o voto. Usurpará nossa cidadania.

Se não tiveram vergonha na cara de roubar mais de 54 milhões de votos para homeagear suas filhas, esposas e interesses pessoais em cadeia nacional de Rádio e TV, o que dirá dos votos municipais?

Por isso senhor@s Senador@s, ao proferirem seus votos no plenário do Congresso neste dia 11 de maio lembrem-se de que lado estão e que TRAIDORES DA DEMOCRACIA (Golpistas) NÃO ELEGEM, E NEM SE ELEGEM.

E se contarem com a repressão para se manterem no poder, vejam as fotos das ocupações de ontem: a população já está nas ruas e cansada de ser usada, pois como diz o PHA, o pau vai comer (metaforicamente).

E a História não os esquecerá.

Fred Vázquez



Jairo Mendonça e o Pentagrama da Vida

15 de Abril de 2016, 10:05, por Fr3d vázquez - 0sem comentários ainda

Jairo Mendonça, poeta e músico tocantinese, conta com aopio de simpatizantes da arte e da cultura para levar adiante seu novo projeto: Pentagrama da Vida.

Projeto autoral é resultado de anos de trabalho e participação em festivais pelo Brasil afora.

Como resultado desa história de canto e poesia, Jairo morador do Gama, convida-nos a contribuir com a realização deste projeto.

Faça parte do Pentagrama da Vida.

Contribua com o financiamento coletivo e escolha qual recompensa você quer ter. Ou faça contato com Jairo pela página no Facebook e saiba com contribuir.

 

Acesse o link abaixo e veja as recompensas disponíveis

http://www.kickante.com.br/campanhas/pentagrama-da-vida

 

 



Enquanto Cunha comanda O Golpe, Rollemberg golpeia a Cultura

13 de Abril de 2016, 19:04, por Fr3d vázquez

No meio desta batalha em defesa da Democracia, me deparo hoje, navegando nas redes sociais, com mais uma pataquada do Governo do Distrito Federal.

Desde que iniciou sua gestão, eleito com pouquinho mais de 55% dos votos, o governador Rollemberg tem conduzido de forma errante as políticas para a cultura e para a ocupação dos espaços públicos.

Iniciando sua gestão cultural com o "saqueio" do FAC, que por lei deve ser obrigatoriamente aplicado para o financiamento da Cultura, e até hoje não totalmente pago aos artistas e produtores culturais contemplados, passando pelo fechamento de espaços comerciais e culturais, ancorando suas covardia em assumir os desafios  a antiquada Lei do Silêncio, chega-me agora a nota do Irlan Rezende, articulador e promotor do Samba do Banquinho, que vai parar de promover o encontro. Mais cômodo que a sociedade pague pela omissão do governador do que o mesmo assumir algum protagonismo e responsabilidade como chefe do executivo local.

Sambadobanquinhocancelado

 

O Samba do Banquinho é (ou era) um encontro de amigos, que acontece há 3 anos, e que surgiu espôntaneamente e foi se tornando em uma roda de celebração do Samba, da amizade, de cidadania e convívio saudável e criativo, no Parque da Cidade - estacionamento 10.

Sempre que participei, bastava chegar com meu Cajon, sentar na roda e aprender a tocar samba. Sem taxas, sem publicidade, sem custo ou cobrança ou venda nenhuma, foi, e será, sempre uma referência de festividade comunitária. e isso valia para tod@s alí.

Pois bem, o GDF decidiu que as pessoas não podem se reunir e celebrar a vida, só se pagarem N taxas, assumirem caráter comercial e atenderem a sanha do ECAD. Aqui pergunto: será que o GDF e seus pré-postos tem alguma parceria com o ECAD? Pois a mesma coisa aconteceu com os blocos alternativos de carnaval, que não vivem disso e nem comercializam. Será que se eu cantar na rua, ou no ônibus terei que pagar o ECAD?

E pensar que o mininu rollemberg convidou duas figuras, que teóricamente, são da vanguarda da cultura e do turismo no DF: Jaime Recena e Guilherme Reis, para fazer uma gestão moderna da cidade.

Pois bem, é com grande pesar, e pensando em como ajudar a reverter essa estúpida decisão do governo de Brasília, e seus prepostos, que posto aqui a mensagem do cidadão Irlan:

https://www.facebook.com/irlancarioca/posts/990451247704113

É COM PROFUNDA TRISTEZA QUE COMUNICO QUE O SAMBA DO BANQUINHO ESTÁ SUSPENSO PROVISORIAMENTE.
NÃO ACONTECERÁ ATÉ REGULARIZARMOS TODAS AS EXIGÊNCIAS FEITAS PELO GDF E QUE MUITAS EXIGEM RESPONSABILIDADES A TERCEIROS E QUE RECAEM SOBRE A MINHA PESSOA COMO RESPONSÁVEL PELO EVENTO, FORA AS TAXAS QUE TERÃO QUE SER PAGAS TODOS OS MESES COM ECAD E OCUPAÇÃO DA ÁREA PÚBLICA.
COM AS REGRAS IMPLANTADAS E QUE JÁ EXISTIAM, MAS NÃO ERAM COBRADAS, TEM ALGUMAS DE GRANDE RESPONSABILIDADE COMO A PRESENÇA DE MENORES NO EVENTO, A VENDA DE BEBIDAS ALCOÓLICAS A MENORES, QUE NEM VENDEMOS, MAS SOMOS OS RESPONSÁVEIS, A DEPREDAÇÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO, NÃO OBSTRUIR AS ÁREAS DE ACESSO, TAIS COMO PASSEIO PÚBLICO, SEGURANÇA, SEM FALAR NA RENOVAÇÃO MENSAL DE TODA A DOCUMENTAÇÃO QUE É UMA VIA CRUCIS.
EM FUNÇÃO DESSA RESPONSABILIDADE TODA QUE RECAI SOBRE MIM, AVALIAREI MELHOR E FUTURAMENTE DECIDIREI SOBRE A REALIZAÇÃO OU NÃO DO EVENTO.
PEÇO DESCULPAS A TODOS. MAS NÃO POSSO ASSUMIR RISCOS SOZINHO, JÁ QUE É O MEU NOME QUE ESTARÁ NA DOCUMENTAÇÃO.
TUDO COMEÇOU DE FORMA DESPRETENSIOSA, SE TORNOU UM GRANDE EVENTO E NO MOMENTO NÃO SEI O FUTURO.
PEÇO A TODOS COMPREENSÃO E TEMPO PARA PENSAR MELHOR.
OBRIGADO E ATÉ BREVE SE DEUS QUISER.
Irlan Rezende

 



Mulheres Com Dilma - TV NBR/Ao Vivo

7 de Abril de 2016, 11:47, por Fr3d vázquez - 0sem comentários ainda

Ao Vivo - TV NBR

#TVPública / #TelevisãoPública / #Democracia / #ComunicaçãoPública



Para representante LGBT, direitos conquistados pelas minorias incomodam forças conservadoras

1 de Abril de 2016, 23:20, por Fr3d vázquez - 0sem comentários ainda

 

"Observamos hoje no Brasil uma tentativa em cassar direitos conquistados pelos seguimentos sociais, entre eles a população LGBT, historicamente discriminados e excluídos nesse País. Nos governos Lula e Dilma a gente conseguiu avanços no combate a discriminação por orientação sexual ou identidade de gênero e conquistas como o acesso integral da classe LGBT ao SUS”, afirmou Andrey Lemos, presidente da União Nacional LGBT (UNA-LGBT), ao comentar o golpe em curso no Brasil com a tentativa de impeachment da presidenta Dilma.

Para Andrey, "forças conservadoras se incomodam em ver as minorias, a população negra, LGBT, a população em situação de rua, conquistar direitos, cidadania. A Direita quer nos fazer voltar à senzala. É preciso enfrentar o golpe, defender a democracia e os direitos das pessoas LGBTs", disse em entrevista ao Portal CTB.

Lemos esteve nesta segunda (28), em uma plenária realizada no Posto Avançado de Ação Sindical, Social e Institucional da CTB (PASSI-CTB), estrutura criada pela central, em Brasília, para atender trabalhadores, entidades e movimentos sociais. A reunião teve a presença de representantes de organizações que compõem as Frentes, Brasil Popular (FBP) e Povo Sem Medo (PSM), que discutiram a organização do grande ato em defesa da democracia, contra o impedimento do mandato da presidenta, no dia 31.


A manifestação convocada pelas frentes terá ampla participação de entidades e movimentos sociais que representam as minorias no Brasil. A mobilização mostra a pluralidade dos seguimentos sociais envolvidos na luta contra o golpe.

Andrey afirma que a UNA-LGBT sairá às ruas nesta quinta, assim como fez no último dia 18, para defender o Estado Democrático de Direito e a permanência deste governo que contemplou, “como nunca antes no País”, parcelas excluídas da população, com políticas inclusivas e de combate ao preconceito.

Lemos citou benefícios obtidos pela classe durante os governos Lula e Dilma, entre eles a criação do Programa Brasil Sem Homofobia, o acesso integral da população LGBT ao SUS; o direito ao processo transexualizador, ao uso do nome social; promoção dos Direitos Humanos de LGBTs, medidas de enfrentamento à violência, como o Disque 100 LGBT, para denúncias de agressões contra a comunidade.

 

Por que a UNA-LGBT é contra o impeachment?


Andrey Lemos: Nós da UNA-LGBT temos um compromisso com a defesa da democracia, das liberdades individuais e coletivas e também dos direitos humanos. Defendemos como Direitos Humanos a liberdade da auto identificação, da identidade de gênero, da livre expressão, da orientação sexual. São especificidades humanas, então esses aspectos da vida da pessoa precisam ser respeitados. Precisamos ir às ruas em defesa da democracia porque nós, LGBTs, atuamos na defesa do processo democrático, apoiamos a reeleição da Dilma, por considerar seu projeto político mais avançado e comprometido com as demandas da nossa população. Reconhecemos que este governo tem um compromisso com a participação popular.


Reconhecemos neste governo também um compromisso com o controle social, por isso tanta visibilidade dos crimes que estão sendo descobertos, investigados. A presidenta tem demonstrado compromisso com o combate a corrupção. Nunca no Brasil se combateu tanto a corrupção. Por isso somos contra o golpe que está sendo pensado, elaborado, arquitetado pelas forças conservadoras obscuras que têm encontrado apoio em setores do Legislativo, Judiciário e na imprensa golpista.

 

Que ameaças o golpe representa à comunidade de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais?


AL: Diante do cenário que temos hoje no Brasil com a possível perda da democracia, observamos uma tentativa em cassar direitos conquistados pelos seguimentos sociais historicamente discriminados e excluídos nesse País, entre eles a população LGBT. Nos governos Lula e Dilma a gente conseguiu ter uma política nacional de saúde para o cuidado das pessoas LGBTs. Nós avançamos quando a presidência da república criou um conselho nacional de combate à discriminação, com um serviço como o disque 100, que monitora a violência ainda praticada contra nós. Avançamos por várias políticas que existem hoje, como o Transcidadania  - programa que promove os direitos humanos e oferece condições de recuperação e oportunidades de vida a travestis e transexuais em situação de vulnerabilidade social - a inclusão das nossas demandas no Fórum Nacional de Educação, que nos últimos planos nacionais vem dialogando de forma cada vez mais ampla com o conjunto da pluralidade dos sujeitos, reconhecendo que todos merecem espaço na política pública, principalmente para enfrentar a nossa desigualdade histórica. 


O que nós identificamos é que, se estabelecendo o golpe, o impeachment, consequentemente a população LGBT será um dos primeiros segmentos a terem seus direitos cassados, negados. Ainda precisamos avançar muito, principalmente no enfrentamento à violência, mas hoje temos um canal aberto de diálogo com o Governo Federal, com os três poderes, e a gente não pode perder isso.


O movimento LGBT é político de vanguarda, que reconhece a importância de lutar pela liberdade, pela democracia, pelo Estado Democrático de Direito e a gente vai continuar defendendo que a Constituição brasileira, que é a Carta Magna do nosso País seja respeitada e seja o principal norte político dos poderes constituídos.

 

Como a UNA-LGBT se preparou para o ato desta quinta?


AL: Formamos comitês LGBTs nos estados, em defesa da democracia e contra o golpe, articulando com outras redes, outras entidades da categoria e outras instituições que têm compromisso com as nossas bandeiras, demandas, para que essa mobilização seja maior, mais forte e a gente possa enfrentar junto o golpe, o impeachment. Dia 31 estaremos todos juntos em Brasília.

 

De Brasília, Ruth Helena de Souza – Portal CTB

 

fonte: http://portalctb.org.br/site/estaduais/norte/amazonas/84-movimentos-sociais/28601-forcas-conservadoras-se-incomodam-em-ver-minorias-conquistar-direitos-diz-presidente-da-una-lgbt

 



Saídas midiáticas para o cerco informacional do PIG

27 de Março de 2016, 11:43, por Fr3d vázquez - 0sem comentários ainda

Nesse momento em que os 5 maiores conglomerados da grande mídia controlam 99% das notícias que circulam nos meios de comunicação sobre política, economia, sociedade, etc, torna-se importantíssimo divulgarmos canais alternativos de informação.

Segue uma pequena lista da blogsfera independente, que lhe permite acessar outros pontos de vista, com análises independentes e críticas.

Vale Compartilhar!

Blogosfera, Jornais e Revistas Virtuais

  1. A Pública - http://www.apublica.org/
  2. Balaio do Kotscho – http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/
  3. Blog Brasil 247 – http://www.brasil247.com/
  4. Blog do Arretadinho - http://blogoosfero.cc/blogdoarretadinho
    1. http://blogdoarretadinho.blogspot.com.br/
  5. Blog do Miro - http://altamiroborges.blogspot.com.br/
  6. Blog do Renato - http://http://renatorabelo.blog.br/
  7. Blog do Rovai - http://www.revistaforum.com.br/blogdorovai/
  8. Blog do Sakamoto - http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/
  9. Blog Teoria Versus Prática – http://teoriaversuspratica.blogspot.com/
  10. Blogoosfero - http://www.blogoosfero.cc/
  11. Brasil 247 - http://www.brasil247.com/
  12. Brasil Debate - http://brasildebate.com.br/
  13. Brasil de Fato - http://brasildefato.com.br/
  14. Brasil Popular - http://http://www.brpopular.com.br/
  15. Carlos Brickmann – http://www.brickmann.com.br/artigos.php
  16. Carta Maior – http://www.cartamaior.com.br/
  17. Conversa afiada - http://www.conversaafiada.com.br/
  18. Diário do Centro do Mundo – http://www.diariodocentrodomundo.com.br
  19. Jornalistas livres - http://jornalistaslivres.org/
  20. Le monde diplomatique Brasil - http://www.diplomatique.org.br/
  21. Luis Nassif – Jornal GGN – http://jornalggn.com.br/luisnassif
  22. Marcelo Auler - http://www.marceloauler.com.br/blogosfera/
  23. Melhores Links da mídia alternativa - http://osmelhoreslinksdamidiaalternativa.blogspot.com.br/
  24. Memórias Reveladas – http://www.memoriasreveladas.gov.br
  25. O cafezinho - http://www.ocafezinho.com/
  26. O Escrevinhador - http://www.revistaforum.com.br/rodrigovianna/
  27. Observatório de Imprensa – http://observatoriodaimprensa.com.br/
  28. Outras Palavras - http://outraspalavras.net/
  29. Passa Palavra - http://www.passapalavra.info/
  30. Pátria Latina - http://www.patrialatina.com.br/
  31. Paulo Moreira Leite – http://paulomoreiraleite.com/
  32. Pragmatismo Político – http://www.pragmatismopolitico.com.br/
  33. Projeto Brasil Nunca Mais – http://dhnet.org.br/memoria/nuncamais/
  34. Revista Carta Capital – http://www.cartacapital.com.br/
  35. Revista Fórum – http://www.revistaforum.com.br/
  36. Socialista Morena - http://www.socialistamorena.com.br/
  37. Tijolaço – http://www.tijolaco.com.br/blog/
  38. TV Comunitária DF - http://www.tvcomunitariadf.com/
  39. Portal Vermelho - http://http://www.vermelho.org.br/

 

Se tiver outro link interessante, que permita aos navegantes acessar conteúdo que fure o cerco da mídia golpista (PIG), indique nos comentários abaixo que o incluiremos aqui.



Contra los puentes levadizos

17 de Março de 2016, 1:28, por Fr3d vázquez - 0sem comentários ainda

De las plumas del maestro Benedetti

 

Contra los puentes levadizos
(1965-1966)

 

1

Nos han contado a todos
cómo eran los crepúsculos
de hace noventa o novecientos años

cómo al primer disparo los arrepentimientos
echaban a volar como palomas
cómo hubo siempre trenzas que colgaban
un poco sucias pero siempre hermosas
cómo los odios eran antiguos y elegantes
y en su barbaridad venturosa latían
cómo nadie moría de cáncer o de asco
sino de tisis breves o de espinas de rosa

otro tiempo otra vida otra muerte otra tierra
donde los pobres héroes iban siempre a caballo
y no se apeaban ni en la estatua propia

otro ocaso otro nunca otro siempre otro modo
de quitarle a la hembra su alcachofa de ropas

otro fuego otro asombro otro esclavo otro dueño
que tenía el derecho y además del derecho
la propensión a usar sus látigos sagrados

abajo estaba el mundo
abajo los de abajo
los borrachos de hambre
los locos de miseria
los ciegos de rencores
los lisiados de espanto

comprenderán ustedes que en esas condiciones
eran imprescindibles los puentos movedizos.

2

No sé si es el momento
de decirlo
en este punto muerto
en este año desgracia

por ejemplo
decírselo a esos mansos
que no pueden
resignarse a la muerte
y se inscriben a ciegas
caracoles de miedo
en la resurrección
qué garantía

por ejemplo
a esos ásperos
no exactamente ebrios
que alguna vez gritaron
y ahora no aceptan
la otra
la imprevista
reconvención del eco

o a los espectadores
casi profesionales
esos viciosos
de la lucidez
esos inconmovibles
que se instalan
en la primera fila
así no pierden
ni un solo efecto
ni el menor indicio
ni un solo espasmo
ni el menor cadáver

o a los sonrientes lúgubres
los exiliados de lo real
los duros
metidos para siempre en su campana
de pura sílice
egoísmo insecto
ésos los sin hermanos
sin latido
los con mirada acero de desprecio
los con fulgor y labios de cuchillo

en este punto muerto
en este año desgracia
no sé si es el momento
de decirlo
con los puentes a medio descender
o a medio levantar
que no es lo mismo.

3

Puedo permanecer en mi baluarte
en ésta o en aquella soledad sin derecho
disfrutando mis últimos
racimos de silencio
puedo asomarme al tiempo
a las nubes al río
perderme en el follaje que está lejos

pero me consta y sé
nunca lo olvido
que mi destino fértil voluntario
es convertirme en ojos boca manos
para otras manos bocas y miradas

que baje el puente y que se quede bajo

que entren amor y odio y voz y gritos
que venga la tristeza con sus brazos abiertos
y la ilusión con sus zapatos nuevos
que venga el frío germinal y honesto
y el verano de angustias calcinadas
que vengan los rencores con su niebla
y los adioses con su pan de lágrimas
que venga el muerto y sobre todo el vivo
y el viejo olor de la melancolía

que baje el puente y que se quede bajo

que entren la rabia y su ademán oscuro
que entren el mal y el bien
y lo que media
entre uno y otro
o sea
la verdad ese péndulo
que entre el incendio con o sin la lluvia
y las mujeres con o sin historia
que entre el trabajo y sobre todo el ocio
ese derecho al sueño
ese arco iris

que baje el puente y que se quede bajo

que entren los perros
los hijos de perra
las comadronas los sepultureros
los ángeles si hubiera
y si no hay
que entre la luna con su niño frío

que baje el puente y que se quede bajo

que entre el que sabe lo que no sabemos
y amasa pan
o hace revoluciones
y el que no puede hacerlas
y el que cierra los ojos

en fin
para que nadie se llame a confusiones
que entre mi prójimo ese insoportable
tan fuerte y frágil
ese necesario
ése con dudas sombra rostro sangre
y vida a término
ese bienvenido

que sólo quede afuera
el encargado
de levantar el puente

a esta altura
no ha de ser un secreto
para nadie

yo estoy contra los puentes levadizos.

 

origen: http://www.literatura.us/benedetti/puentes.html



BlogProgDF em defesa da Democracia

17 de Março de 2016, 0:14, por Fr3d vázquez - 0sem comentários ainda

10609630 1754735094749282 4465401305380814588 n

Estimad@s blogueir@s do Distrito Federal,

Desde a prisão coercitiva ao ex-presidente Lula que esta comissão organizadora vem acompanhando os acontecimentos e buscando formas de que o I Encontro de Blogueiros Progressistas do DF e Entorno ocorresse.

No fim de semana, em diálogo com a coordenação local e nacional decidimos não realizar este encontro. Infelizmente os acontecimentos nos tomaram de assalto e não pudemos parar para enviar este comunicado.

Agora, diante da gravidade do criminoso vazamento de escutas telefônicas, realizadas no âmbito da Lava-Jato e autrizadas por um juiz de 1ª instância, o senhor sergio Moro, que violou inclusive sua competência autorizando escuta na Presidência da Repúlbica e abrindo o sigilo das escutas para a imprensa (https://soundcloud.com/julia-affonso-2/audio-entre-lula-e-dilma-rousseff), convocamos a tod@s @s comunicador@as, comprometidos com a Legalidade, a participar da rede de defesa da Democracia, a partir de hoje (17/03), dia da posse do novo Ministro da Casa Civil, promovendo a Rede da Democracia Viva.

Envie-nos seu contato, suas postagens, seu blog/portal entre outras ações midiáticas para articular uma central de profusão comunicacional e democrática.

Vamos fortalecer a Voz da Legalidade.

Convocamo-os, também, para no dia 18 de março participar ativamente das manifestações coordenadas pela Frente Brasil Popular, da qual o Barão de Itararé e o #BlogProg apoiam

Distrito Federal
Cidade: Brasília
18/03 -18h: Ato no museu da república

10403183 1706557709586893 8326889162978937102 n

Contra o arbítrio e em defesa da Democracia, #NãoVaiTerGolpe!

Em nome da coordenação do #BlogProgDF,

Fred Vázquez
Coordenação do Barão de Itararé-DF