Go to the content

Blogoosfero

Full screen

Blogoosfero

April 3, 2011 21:00 , by Unknown - | 2 people following this article.
Licensed under CC (by)

Youtube está sob ataque

October 16, 2018 23:37, by Feed RSS do(a) News

Notamos que vários posts que continham vídeos do youtube estavam com a seguinte mensagem:
500 internal server error

Youtube sob ataque

Esta mesma mensagem aparece e desaparece na página do Youtube, que está instável no momento. Ora funciona, ora redireciona para outra página.

Esperamos que a equipe do Youtube consiga reestabelecer o perfeito funcionamento de sua plataforma.



Honrem Leonel Brizola, Darcy Ribeiro e Luiz Carlos Prestes

October 16, 2018 22:59, by Feed RSS do(a) News

Outro dia, ainda no meio da campanha, me ligaram da sede nacional do PDT para confirmarem o endereço da minha vó no Rio. Segundo a voz ao telefone, o presidente nacional Carlos Lupi queria enviar para a viúva de Prestes uma caixa da publicação Memórias Trabalhistas que homenageia meu avô.

A publicação é muito bem feita, diga se de passagem.

Nos últimos dias, ao pensar com meus botões que diabo o PDT está fazendo ao ajudar a abrir os flancos para o exército de bolsonazis que ameaçam nossa democracia, me recordei da cartilha e fui buscá-la para reler.

Qual não foi minha surpresa, ao me deparar já no primeiro texto introdutório, de autoria do presidente Carlos Lupi, com o seguinte relato pessoal:

<"Eu me lembro que, ainda jornaleiro, uma única vez nessa fase inicial estive com ele (L.C.Prestes), em uma reunião no Rio de Janeiro, no começo dos anos 80. O PDT ainda nem tinha sido criado. (...)

(...) vi o Prestes expor seus pensamentos, suas ideias, e em um determinado momento fiz-lhe a seguinte pergunta:

"Comandante,  como o senhor explica ter aceitado apoiar a ditadura Vargas que colocou no exílio Olga Benário, que acabou sendo entregue aos alemães, grávida de uma filha sua?"

Foto capa cartilhapdt2018 comprestes Foto detalhe cartilhapdt2018 comprestes

 

 

Prestes olhou-me e disse: "Qual é seu nome mesmo, meu filho? respondi: "Carlos Lupi", e ele prosseguiu:

"Você tem que entender que a pátria brasileira é maior do que a minha família. Getúlio uniu a pátria brasileira, por isso eu fiquei com Getúlio para impedir um mal maior".>

...

Depois de ler e reler, pensei que talvez fosse bom dar uma passada lá na sede nacional do PDT e devolver algumas cartilhas para o Lupi. Distribuíram muitas e ficaram com poucas para lembrar que muitas vezes a pátria brasileira é maior do que uma família ou qualquer projeto, quando é para impedir um mal maior, um mal maior, um mal maior...

Honrem Leonel Brizola, Darcy Ribeiro e Luiz Carlos Prestes, por favor. Enquanto há tempo.

 

por Ana Prestes @feicibuqui

 



Ainda que os ouvidos estejam tapados e os olhos turvos pelo ódio disseminado pela manipulação digital

October 15, 2018 22:29, by Feed RSS do(a) News

Iremos denunciar e mostrar que as coisas acontecem não somente pela burrice dos brasileiros e brasileiras, mas também pelo oportunismo dos José Silvérios do Reis e da esperteza do capital que os compra.

Que fique registrado nestes dígitos apagáveis que tudo o que está acontecendo não é somente insanidade, mas uma política bem elaborada e cuidadosamente aplicada pelos capitalistas, fazendo que os trabalhadores, pobres, ataquem a outros trabalhadores, mais pobres ainda.

Se algum dia o Youtube retirar este vídeo do ar, arrumaremos um jeito de subí-lo novamente.



Cristãos evangélicos explicam porque #EleNão

October 15, 2018 9:26, by Feed RSS do(a) News



Escravidão

October 15, 2018 8:57, by Feed RSS do(a) News



Brasil: Cuando la esperanza no basta. Por Iroel Sánchez

October 12, 2018 13:11, by Feed RSS do(a) News

Entonces, ¿de qué sirve decir la verdad sobre el fascismo que se condena si no se dice nada contra el capitalismo que lo origina? Una verdad de este género no reporta ninguna utilidad práctica.

Estar contra el fascismo sin estar contra el capitalismo, rebelarse contra la barbarie que nace de la barbarie, equivale a reclamar una parte del ternero y oponerse a sacrificarlo.

Bertolt Brecht,  Las cinco dificultades para decir la verdad

La amplia ventaja obtenida por el candidato ultraderechista Jair Bolsonaro en las elecciones brasileñas, aunque insuficiente para la victoria, que deberá esperar a segunda vuelta,  ha desatado las alarmas entre analistas políticos del mundo entero. El claro comportamiento xenófobo, racista, misógino, pro dictaduras militares y neoliberal extremo del candidato delantero parecen justificarlo.

Y lamentablemente la internet está repleta de frases del casi próximo Presidente brasileño que prueban la exactitud de esos calificativos que han sido profusamente citados en estos días, comenzando por sus elogios a Pinochet y a la tortura. 

Una alianza de banqueros, militares, jueces y medios de comunicación le ha abierto a Bolsonaro el camino a  la presidencia del país más poblado y con la economía más potente de Latinoamérica. Si se mira con atención son los mismos sectores que los gobiernos del Partido de los Trabajadores se esmeraron en no molestar, especialmente durante el segundo mandato de Lula, cuando contó con altísima popularidad que sin embargo no utilizó para realizar una reforma a fondo del sistema político, mediático y económico brasileño que emergió intacto a pasarle las cuentas a él y a Dilma Rouseff tras derrocar con un golpe parlamentario a esta última, cuando los precios del petróleo y otras materias primas impidieron mantener la amplitud de los programas sociales inaugurados por el petismo sin entrar en contradicción con los intereses de la minoría que nunca entregó el verdadero poder. 

¿Qué pasará ahora? Si miramos la historia reciente, las elecciones tras el golpe militar de 2009 en Honduras no han permitido regresar al gobierno a las fuerzas progresistas, tampoco ha sucedido en Paraguay tras el golpe parlamentario a Fernando Lugo.

Pero vayamos más atrás. La “transición a la democracia” en Chile o en España, muchos años después de que las dictaduras hicieran el exterminio físico y espiritual suficiente, no han permitido nunca que regresen al gobierno las “izquierdas”y si se han llamado “de izquierda” quienes han gobernado ha sido  para ejecutar políticas de derecha. 

En Suramérica, de todos los proyectos postneoliberales que emergieron desde fines del Siglo XX sólo los dos que se han atrevido a modificar en algo el alcance de los poderes fácticos que están tras Bolsonaro han podido sobrevivir, no sin costos y enormes desafíos, la actual embestida dirigida desde Washington y que comenzara Barack Obama: Bolivia y Venezuela. Las estructuras militares, jurídicas, economicas y mediáticas de ambos países han sido impactadas por transformaciones que sin ser totales sí les han permitido resistir y sostener en el poder un proyecto de liberación nacional y popular. 

Desde el inicio del proceso fraudulento que sacó del gobierno a Dilma asombra ver cómo hasta último momento se creyó por los propios petistas que un Congreso compuesto en su mayoría por oligarcas o empleados de oligarcas iba a proceder contra sus intereses de clase. Como mismo confiaron en que un sistema judicial en buena parte procedente de los mismos sectores que odian a Lula iba a darle la oportunidad de presentarse a unas elecciones que muy probablemente ganaría, mucho más cuando buena parte de esos jueces recibió formación en lo que se ha llamado nueva Escuela de las Américas” en EE.UU. para jueces y fiscales, que están  cargo de la judicialización de la política en marcha contra líderes de izquierda en varios países del Cono Sur.

Lula, desde la cárcel, ha dicho que “la esperanza vencerá al odio” pero doce años de mandato petista que sirvieron para sacar a millones de brasileños de la pobreza, para crear decenas de universidades donde estudiaran quienes antes no podían hacerlo y dar salud con el programa Mais Médicos a aquellos que antes morían sin saber de qué no han impedido que casi 50 millones de brasileños vea su esperanza en un hombre que actúa y habla como un fascista.

OGlobo -el oligopolio mediático que viene de la época de los militares- y Récord, la segunda empresa televisiva de Brasil controlada por la Iglesia Universal del Reino de Dios que ha convertido a Bolsonaro en “Mesías”, son la fábrica de sentido común que ha acuñado a todos los petistas como corruptos y culpables de tolerancia con los delincuentes  y la violencia. Entre ambas parecieran no dejar espacio para otra cosa que no sea rezar pero tal vez haya una segunda oportunidad para los condenados a Cien años de soledad si se logra movilizar en tres semanas a buena parte del 20% de los brasileños que no votó, junto a aquellos que sufragaron por alguna de las opciones diferentes a la del que ya muchos llaman el Trump latino, y ojalá sea por su discurso extremista y no por su capacidad para imponerlo contra todo pronóstico.

(Al Mayadeen)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Democracia, já!

October 9, 2018 13:56, by Feed RSS do(a) News

Saudosa memória da imensa manifestação “Diretas, já!” que meteu no fundo da gaveta da História a ditadura fascista de 64! Mas precisamos lembrar que a geração de novos eleitores, que agora votaram, eram bebês ou crianças naquela época.

Por Zillah Branco – de Brasília

Esta juventude talvez não saiba o que é fascismo, mas eles e elas que agora votam, devem ter ouvido falar em repressão, perda de liberdade, invasão de casas familiares e escolas, prisões e torturas, assassinatos de militantes democratas, comunistas e petistas, ou mesmo alguns membros do PMDB que lutavam contra a ditadura. Este horror que dominou o Brasil por 21 anos é o programa que o ex-capitão Bolsonaro defende para ocupar o lugar de Presidente do Brasil. Ele é a ponta de lança da ditadura retrógrada.

Saudosa memória da imensa manifestação “Diretas, já!”

Os apoiantes de Haddad e Manuela consideram uma necessidade urgente a de lutarem para que a ditadura, com Bolsonaro, Nunca mais volte ao nosso país!. Por isso apelam a cada uma e a cada um dos eleitores para que pensem com o cérebro e o coração na responsabilidade que temos de limpar o Brasil dos crimes do golpe que anulou a democracia, destruiu o sistema de Justiça, vendeu as riquezas nacionais a troco de bananas, congelou os orçamentos da saúde, do ensino, da segurança social, entregou a polícia federal aos subalternos da CIA que organizaram o governo golpista de Temer.

Porque Lula é o nosso herói? Porque é um brasileiro representante da maioria dos brasileiros nascido na miséria, passou fome quando criança, fez-se homem com a ajuda de familares, começou a trabalhar ainda criança, cultivou a honra inspirado no exemplo da sua mãe, formou-se na vida de trabalho como sindicalista para ajudar os demais companheiros de vida e de luta. Vejam o filme que está na internet (sobre a História de vida de Lula).

Pátria sem desigualdades

Pelas suas qualidades aprendeu a pensar na organização da sua pátria sem desigualdades, foi eleito Presidente da República por mérito próprio. Revelou-se um estadista reconhecido em todo o mundo – na Europa rica, nos Estados Unidos, na América Latina e Caribe, na África e na Ásia. Recebeu elogios da ONU, a qual passou a levar os seus planos aplicados no Brasil para combater a fome em países mais pobres – com a Bolsa Família – na criação de bolsas de estudo para que os mais pobres pudessem estudar e contribuir com a sua inteligência no desenvolvimento das ciências, da arte, das técnicas a nível superior, – na efectiva expansão do SUS (sistema universal de saúde) e da segurança social, no aumento do salário mínimo nacional, na ligação da reforma agrária com a alimentação escolar, no controle dos preços da alimentação básica, no transporte público, na irrigação das zonas secas do país, na construção de casas financiadas pelos bancos com prestações compatíveis com o rendimento familiar, na canalização de água e energia elétrica domiciliar.

Não teve tempo para corrigir todas as maldades provocadas por governantes de famílias oligárquicas que há 300 anos impediram o desenvolvimento de uma nação rica e povoada por bons cidadãos, que são escravisados pelos impérios colonizadores e recolhem as riquezas nos bancos privados.

O mundo inteiro tem sido vitimado pela ambição de uma elite poderosa que impōe as injustiças do sistema capitalista. Diante dos êxitos alcançados por Lula e outros heróis mundiais, organizaram uma sabotagem financeira para destroçar os países que constroem a sua soberania por processoa históricos inspirados no modelo que as revoluçôes socialistas de mostraram ser possível uma alternativa ao sistema capitalista no século vinte. Assim ocorre com Cuba e Venezuela, para só mencionar os mais próximos.

Nessas tres semanas, a partir do dia 8 de Outubro, temos de despertar todos os eleitores do Brasil para a responsabilidade de conduzirem a pátria ao lado certo da História com o voto na democracia. Não desanimem, acreditem no poder de um povo unido consciente da luta que obrigará o governo a cumprir um projeto de desenvolvimento do povo e da produção nacional para reter as riquesas e afirmar a soberania perante o mundo, de um Brasil progressista!

Zillah Branco, é Cientista Social, consultora do Cebrapaz. Tem experiência de vida e trabalho no Chile, Portugal e Cabo Verde.



Réquiem para Dilma, após a nova derrota na curta vida política

October 8, 2018 20:25, by Feed RSS do(a) News

Em lugar de uma política de transparência na administração pública, durante a gestão Dilma, houve o aumento exponencial, desde a Era Lula, do número de ‘notícias exclusivas’ aos meios de comunicação conservadores. E nenhuma. Repito, para deixar claro. Nenhuma entrevista aos jornais independentes, ao longo de todos os cinco malditos anos em que permaneceu no comando do país.

 

Por Gilberto de Souza – do Rio de Janeiro

 

Quando Dilma foi eleita para a Presidência da República pela primeira vez, em 2010, escrevi uma carta à presidenta, na qual relembrei a luta que foi – e é – manter um jornal diário independente, no qual praticamos o Jornalismo maiúsculo, equidistante no seu noticiário, mas de esquerda na Opinião. Este mesmo Jornalismo que denunciou a hipocrisia na campanha de seu então adversário, José Serra, e encerrou um dos capítulos mais sórdidos naquela campanha eleitoral. No texto, resumia a necessidade da revisão profunda na forma como o Estado brasileiro se relaciona com a mídia independente; e a imediata libertação do cartel liderado pelas Organizações Globo.

Dilma, em sua última aparição pública, neste domingo, após conhecer da sua derrota na eleição para o Senado, por Minas GeraisDilma, em sua última aparição pública, neste domingo, após conhecer da sua derrota na eleição para o Senado, por Minas Gerais

Quero crer que a missiva jamais lhe chegou às mãos, embora eu a tenha entregue, pessoalmente, à então ministra da Comunicação Social, Helena Chagas, em seu gabinete. Por mero senso de justiça, registro que a espera foi pouca, a água estava gelado e o cafezinho, uma delícia. Penso assim por não ter recebido, até agora, sequer um simples agradecimento pela gentileza da visita; além de reparar que nenhuma das sugestões foi aceita.

Trem bala

Em lugar de uma política de transparência na administração pública, durante a gestão Dilma, houve o aumento exponencial, desde a Era Lula, no número de ‘notícias exclusivas’ aos meios de comunicação conservadores. E nenhuma. Repito, para deixar claro. Nenhuma entrevista aos jornais independentes, ao longo de todos os cinco malditos anos em que permaneceu no comando do país.

Foi assim até que o risco de ser apeada do poder se agigantasse ao ponto de convocar uma tímida coletiva a uns poucos blogs aliados. Para se ter ideia do nível, enquanto o mundo caía sobre a cabeça da mandatária, uma das perguntas versava sobre a premente necessidade de se instalar um trem-bala, entre Rio e São Paulo. Os pais do Jornalismo, esse que se pratica aqui, no CdB, contorceram-se nos mausoléus.

Pedra sobre pedra

Percebe-se, agora, que a presidenta deposta tem esse traço: o da descortesia, em seu comportamento; naquele seu jeitão desatencioso de ser, no qual a delicadeza passa ao largo. Talvez, tenha sido este um dos fatores que colocaram para correr os eleitores mineiros, nas eleições recém-encerradas, quando não contou com o apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cuja amabilidade compensou, enquanto pode, a pisada mais dura de sua sucessora. Esta, agora, afasta-se do ambiente político-eleitoral – parece que de uma vez por todas. E o faz sob o desvio angular que fez perseguir o Correio do Brasil, de forma sistemática, ao longo de seus quase seis anos à frente do Palácio do Planalto; enquanto quebrava ovos para a Rede Globo bater, desde o seu primeiro dia no governo.

Que Deus a perdoe. Sim, porque jamais poderei deixar adormecer a certeza de ter essa senhora jogado o Brasil no colo do fascismo que ora se instala, seja ou não eleito o seu pior representante; após a desconstrução da trilha aberta por Lula para um país mais justo e democrático. Não restou pedra sobre pedra. Dilma destinou mais de R$ 3 bilhões somente à Globo; a mesma emissora que apoia o golpe de Estado, ainda em curso. Cada centavo foi usado, com certeza, para aumentar a renda da família mais rica e influente destas plagas, desde o último século; e oprimir os jornalistas brasileiros que, a exemplo deste que vos escreve, insiste em construir este diário, respeitado internacionalmente pela independência do noticiário que leva, há 18 anos, aos nossos leitores.

Nervos de aço

Em países ainda em fase de desenvolvimento, compreendo, é difícil aceitar a existência de um veículo de comunicação fundado na tese de que os fatos devam ser levados aos leitores em sua essência. Dispostos, de forma clara, diante da visão crítica de um público que não precisa – e não gosta – de ser subestimado. Jamais embrulhados nos papéis celofanes do embuste, a exemplo do que faz a mídia conservadora e subserviente aos capitalistas de aluvião. Ou delineados de forma a caber no modelito que a esquerda bem comportada tanto gosta de usar. Fazer Jornalismo independente, no Brasil, é uma tarefa para quem tem nervos de aço.

Assim, depois de tanto alertarmos à presidenta, empurrada de palácio em palácio até o olho da rua por aqueles mesmos golpistas que alimentou a pão de ló, quanto ao erro crasso que cometia com os destinos da nação, resta-nos esta singela despedida, perante a derrota fragorosa que a soterra. Não são, obviamente, palavras de conforto ou de carinho, mas tão frias quanto as pedras que atirou contra a trincheira da liberdade, ora em alto risco. Tão geladas quanto o tratamento que dispensou àqueles que seguem na luta contra a horda fascista que se avizinha. Sem um pingo de ódio sequer ou nenhuma gota de solidariedade. Tão somente, o merecido registro no rodapé da História.

Que o arrependimento lhe seja eterno.

Gilberto de Souza é jornalista, editor-chefe do jornal Correio do Brasil.



Eleições 2018 - Balanço preliminar necessário

October 8, 2018 20:25, by Feed RSS do(a) News

Carruagemgolpista

As eleições 2018 no primeiro turno encerraram no domingo 7 de Outubro. A disputa presidencial vai ao segundo turno no dia 28 de Outubro entre o candidato da civilização Fernando Haddad (PT) e o cadidato das Trevas - capitão Bolsonaro (PSL).

No primeiro turno também ocorreu as eleições majoritárias para governadores estaduais, para o senado e para a câmara federal e assembléias legislativas estaduais. O que se observa no resultado geral é uma pulverização na estrutura partidária que no geral são velhas raposas políticas que migraram de agremiações partidárias desgastadas para novas "roupagens" como: Novo, Podemos, Avante, Patriota, PSC, PTC.

Portanto, de certa forma, a pulverização na câmara e no senado, principalmente, com deputados e senadores do chamado baixo clero que comporão o senado federal. Lamentamos que o país perca senadores no campo dos trabalhadores e trabalhadoras, como: Lindberg Farias (RJ), Requião (PR), infelizmente! é uma dura derrota a não eleição de Dilma (MG), Chico Alencar (RJ), Suplicy (SP), Luiz Couto (PB), Vanessa Grazzioniti (AM).

A eleição deixa resultados infalíveis para os operadores do golpe contra a presidenta Dilma com a não eleição de Scaf (SP) o financioador dos patos - manifestoches, Mendonça Filho (PE), Romero Jucá (RR), Waldir Raup (RO), Eunicio (CE), familia Sarney (MA), Cassio Cunha Lima (PB), Cristovam Buarque (DF), Marta Suplicy (SP), Agripino Maia (RN), Garibaldi ALves (RN), Beto Richa (PR), José Anibal (SP), Wladimir e seu filho (PA), senador açaí - Flexa Ribeiro (PA). Vários deputados que votaram no golpe não voltam a câmara, falaremos disso posteriormente.

As eleições deixam a sua principal baixa que foi a eleição do principal operador do golpe junto com Eduardo Cunha, Temer, Jucá e o STF com tudo. Estamos falando de Aécio Neves (PSDBMG) que se elegeu deputado federal com pouco mais de 90 mil votos. Mesmo com a eleição a câmara federal para quem obteve em 2014 mais de 50 milhões de votos e rebaixa sua representatividade de senador para deputado federal é uma derrota cavalar. Mesmo que Aécio esteja comemorando que seu pupilo - Anastasia esteja no segundo turno nas eleições em MG derrotando Fernando Pimentel (PT), o que se vislumbra é que Anastasia está com sérias dificuldades de ganhar o governo no segundo turno. Se isso se confirmar, o destino de Aécio na câmara Federal deverá ser de um parlamentar zumbi.

Finalmente, deixei o último conteúdo para tratar do resultado eleitoral do partido dos trabalhadores (PT), que se agregarmos resultados macros no país, o primeiro turno representa uma vitória política, principalmente, em relação as eleições de 2016. O PT elegeu a principal bancada de deputados federais (55), relegeu a maioria de seus governadores em primeiro turno, muito embora tenhamos perdido dois governos importantes - AC e MG. Neste segundo turno vamos disputar o governo do Rio Grande do Norte contra o PDT de Ciro Gomes.

Fazendo paralelo com o item acima há mais um fator de derrota do golpe que foi a não extinção do PT como queria a farsa lava jato e a midia golpista através da triplice aliança Globo, Estadao e a falida VejaMente e seus aglomerados como Bandeirantes, Record, Folha de São Paulo, Epoca, QuantoÉ (ops IstoÉ), os ratos do Antagonista e MBL. Desde a eleição em 2002 com a primeira eleição de LULA, passando pela governança Dilma e até o dia de hoje há um verdadeiro massacre da midia escravocrata contra o partido dos trabalhadores. A Globo instalou um programa de jornalixo que começa na madrugada se alavanca no almoço, no início na noite fazendo transição do jornal da globo com pouquissímo intérvalo para a madrugada. Todo esse arsenal tóxico em conluio com GloboNews e VejaMente e a novidade nestas eleições é a sua total falência.

Independente de qual for o resultado do segundo turno para presidente da república o PT segue vivo, forte, consistente e consolidado como o maior partido do Brasil, da América Latina e um dos principais do mundo. Tem 30% de preferência na população brasileira, mas avisamos que não somos perfeitos por quê não existe nada perfeito (isso é dialético). Aliás, a esquerda sai fortalecida nestas eleições com PCdoB, PSOL sem contar que partidos como PSB, PDT cresceram suas bancadas. Ao contrário, as bancadas golpistas - PSDB, MDB, PR, PRB, DEM, PTB, PSD, SDD, PPS todos que compõem o CENTRÃO POLÍTICO reduziram suas bancadas. Muitos golpistas, pelo menos nestes 4 anos estarão fora do parlamento, muito embora, algumas figuras carimbadas não tem nada de renovação. A conferir!!!

Não há tantas escolhas no segundo turno mesmo que a guinada, hoje, seja para a extrema direita no país. Infelizmente observamos o espectro do retrato político do que aconteceu no Rio de Janeiro e São Paulo para o governo e senado e, nenhuma novidade com o sul do país (RS, SC, PR), onde o ovo da serpente da direita e da extrema direita, majoritariamente choca com todo vigor.

Civilização com Fernando Haddad (PT/PCdob) ou capitão Bolsonaro (PSL/Record/Banqueiros/Empresários/STF/TSE/CENTRAO/Igrejas Evangélica/MidiaGolpista/Rede de fakenews). A escolha é sua. As consequências também.

 

 



O que Jesus diz não condiz com #elenão

October 6, 2018 17:16, by Feed RSS do(a) News

  Jesusxelenão