Aller au contenu

Blogoosfero

Plein écran

Blogoosfero

April 3, 2011 21:00 , par Inconnu - | 2 people following this article.
Licensed under CC (by)

América Latina já tem alternativa LIVRE às redes digitais privadas e proprietárias

July 15, 2013 13:45, par Inconnu - 0Pas de commentaire

A Rede Social Livre Blogoosfero.cc, baseada no software livre nacional noosfero, é resultado da luta dos blogueiros progressistas por garantias de privacidade no armazenamento dos dados, autonomia na gestão da política de conteúdos e liberdade de expressão.

Em maio de 2012, no III Encontro Nacional de Blogueiros em Salvador-BA, com a presença de Marcio Pochmann, Franklin Martins, Paulo Henrique Amorim, entre tantos outros, lançou-se esta rede social que é hoje referência quando o debate é: soberania tecnológica, liberdade de expressão e segurança dos dados.

Hoje, com mais de 3 milhões de acessos, a rede reúne blogueiros, movimentos sociais, organizações educativas, telecentros, TVs Comunitárias, ONGs e atividades parlamentares como, por exemplo:

Comunidade da Escola Vivendo e Aprendendo em Brasília
www.vivendoeaprendendo.org.br

Rede da Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados
www.blogoosfero.cc/comculturanacamara

Blog do Ipea – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
www.blogoosfero.cc/ipea

Blog do Marcio Pochmann
www.marciopochmann.com.br

Rede de educadores das estações digitais da Fundação Banco do Brasil
www.blogoosfero.cc/conexoesdigitais

TV Comunitária Cidade Livre – DF
www.blogoosfero.cc/tv-cidade-livre-df

O escrevinhador
www.blogoosfero.cc/rodrigovianna

Ao escolher a plataforma Blogoosfero.cc, você não está apenas criando um novo canal de comunicação. Está acessando uma rede crítica e capaz de mobilizar outros sujeitos que permitirão promover o diálogo construtivo e propositivo, além de possibilitar uma nova dinâmica de construção e disseminação dos conteúdo produzidos em rede.

No Blogoosfero.cc a disseminação de conteúdo é facilitada por várias das funcionalidades disponíveis na plataforma, entre as quais destacamos o Mural de Recados e a Divulgação.

Toda vez que um conteúdo novo é publicado no Blogoosfero.cc automaticamente todas as pessoas que participam de sua Rede e dos círculos de amizade digitais recebem um aviso no Mural de Recados de seu perfil. Quanto mais diverso for o círculo de amizades, mais diversos serão os públicos quer terão acesso à informação publicada. Como no Blogoosfero.cc a Rede Social e o Blog/Site estão integrados, os comentários publicados no Mural da Rede Social automaticamente são inseridos na lista de comentários dos artigos relacionados e vice-versa, aumentando a disseminação da informação, a interatividade e o debate entre autores e usuários.

Já a funcionalidade Divulgação permite ao autor de um artigo solicitar a publicação do mesmo em outras comunidades da qual faz parte atingindo públicos e seguimentos diferentes daquele do Blog/Site da publicação original, além de ofercer a outros autores e mantenedores de blogs/sites, conteúdo diferenciado e atualizado diretamente de uma fonte segura e confiável.

No Blogoosfero, o foco é interação entre usuários de redes sociais digitais e produção e publicação de conteúdo multimídia na Internet.

Tudo o que é inserido na plataforma web pode ser compartilhado de forma colaborativa. Ao se cadastrar, a/o usuária/o internauta cria um perfil, que pode também ter a função de site ou blog, com sistema de notificação de comentários. Todas essas possibilidades se somam às opções básicas de se criar Comunidades e Adicionar Amig@s.

Caso o usuário já tenha um blog ou site com sistema de notícias, ele pode aproveitar todo o conteúdo já produzido (na plataforma antiga) e usá-lo em qualquer novo perfil (usuário, comunidade ou empreendimento) do Blogoosfero. Para isso, o usuário do Blogoosfero conta com uma ferramenta que permite que esse histórico de conteúdo seja “clonando” e, até mesmo, sincronizado em dois ambientes diferentes – caso isso seja do interesse do usuário. Dessa forma, é possível que, por exemplo, duas notícias, sejam publicadas ao mesmo tempo em ambas plataformas: no Blogoosfero e na antiga.

E mais ainda: cada perfil de usuário funciona como uma página pessoal com o privilégio de se poder personalizar tanto o layout, como também endereço (URL); o usuário pode ainda utilizar o espaço para expor suas ideias, montar galeriasde fotos e vídeos, criar eventos (agenda), compartilhar interesses e preferências, além de promover debates. Isso significa que conteúdos diversos, como imagens, textos, documentos e agenda de eventos podem ser inseridos de maneira descentralizada por pessoas que não entendem nada de programação nem de linguagem de computador.

Na Rede Social Livre Blogoosfero existem, por padrão (e que pode ser alterado), três tipo básicos de "perfis de uso", ou seja, três possibilidades de interação do usuário com o sistema:

Perfil Pessoa

Qualquer usuário que possua um login e uma senha para acessar o sistema possui um perfil de pessoa atrelado a ele. Com este perfil o usuário poderá criar conteúdo utilizando-se de blogs, fóruns e páginas, além de poder participar e/ou criar comunidades e organizações.

 

 

 

Perfil Comunidade

Criada por uma pessoa e mantida por uma ou mais, esse perfil é uma espécie de coletivo de usuários que tem como objetivo agregar pessoas em torno de interesses comuns.

 

 

 

 

Perfil Empreendimento

Esse perfil possui características semelhantes ao perfil das comunidades, entretanto possui algumas peculiaridades ligadas ao conjunto de ferramentas para comércio eletrônico, ou seja, exposição e venda de produtos e serviços.

Cada perfil de uso cadastrado na plataforma Blogoosfero também pode ser transformado num Site 2.0, isso significa que dizer que todas as funcionalidades do Blogoosfero, demonstradas abaixo, podem ser usadas em cada um desses perfis ou sites criados por meio dessa plataforma:

 

Blogs

 

Esta ferramenta permite que o usuário crie quantos blogs ele tenha interesse em cada site.

 

 

 

Clones de Blogs

 

Caso o usuário já tenha um ou mais blog fora do seu perfil, o Blogoosfero permite que esse blog externo seja “clonado” via RSS de forma sincronizada, ou seja, toda vez que a pessoa atualiza o seu blog externo, o Blogoosfero atualizará o seu clone na plataforma.

 

 

Galeria de Imagens

 

Com esta funcionalidade o usuário desfruta de um ambiente para disponibilizar as suas imagens e exibi-las de em formato de slideshow.

 

 

 

Sistema de Gestão de Conteúdo

 

O Blogoosfero permite que qualquer um dos perfis de uso organize todo o conteúdo criado no sistema, utilizando pastas que lembram bastante as utilizadas nos computadores pessoais. Assim, os textos, arquivos de imagens, blogs, feeds, vídeos, etc podem ser facilmente gerenciados pelos usuários.

 

 

Internacionalização

 

Atualmente, o Blogoosfero possui tradução para 8 idiomas: português, inglês, espanhol, francês, alemão, japonês e russo e armeno. Além disso, o sistema também permite que todo conteúdo gerado possa ser traduzido para cada um dos idiomas habilitados no ambiente.

 

 

Divulgação de Conteúdos

 

Todo conteúdo criado no sistema pode ser divulgado para comunidades, pessoas, organizações ou mesmo o ambiente para que a informação possa fluir pela rede. No entanto, a aprovação do conteúdo em cada um dos perfis ou no ambiente dependerá das permissões de cada usuário.

 

 

Fóruns

 

O Blogoosfero também permite a realização de debates e discussões no formato de fóruns que são amplamente conhecidos na internet.

 

 

 

 

Conteúdo Multimídia

 A criação de conteúdo no Blogoosfero dá ao usuário total controle sobre a disposição, tamanho e tipo de fonte e mídia na construção da página. Com o editor, conhecido como "WYSIWYG" do Blogoosfero, o usuário pode colocar imagens, vídeos (Youtube, Vimeo, Dailymotion, dentre outros), links e utilizar uma grande variedade de outros recursos para a elaboração do conteúdo das página.

 

 

Busca

O sistema permite que os usuários façam busca tanto por todo o conteúdo do sistema, ou seja, busca pelas pessoas, comunidades e organizações e todo o conteúdo gerados por estes perfis, como também uma busca específica no conteúdo de somente um perfil. Assim, caso um usuário deseje buscar um post num blog de um usuário específico do sistema ele poderá fazer isso utilizando o Blogoosfero.

 

 

Envio de Mensagens

 

O administrador do ambiente pode enviar mensagens via email ("mala direta") para todos os usuários do sistema. Além disso, os gestores de cada um dos sites ou das comunidades e das organizações possuem permissão para enviar e-mails para todos os usuários que fazem parte da respectiva comunidade.

 

 

Sugestão de Conteúdo

 

Os usuários que não possuem nenhum login no Blogoosfero podem sugerir conteúdo para todo site de uma comunidade, uma organização ou mesmo para uma página de um usuário. Essa sugestão depois de analisada pode ser aprovada e então passa a fazer parte do conteúdo do respectivo perfil.

 

 

Notificação de Atualização

 

Algumas ações no sistema podem disparar o envio de e-mails para um ou mais usuários para alertá-los da determinada ação. Dentre outros exemplos de ações que se encaixam nesta situação são: comentários feitos em algum post ou artigo, nova relação de amizade criada, nova mensagem enviada no mural, etc.

 

 

Feed RSS

 

 

Todo blog criado no Blogoosfero possui um Feed RSS que pode ser utilizado por pessoas que não utilizam o sistema para acompanhar os posts dos usuários do Blogoosfero utilizando qualquer leitor RSS.

 

 

 

Atividades da Rede

Através das atividades da rede os usuários podem ver todas as ações realizadas por outros usuários, por outras comunidades e pelas organizações. Com isso um usuário pode conhecer melhor um perfil de uma comunidade antes de entrar nela, saber quais atualizações foram feitas nos perfis de seus amigos e suas comunidades sem precisar acessar cada perfil individualmente, encontrar novos amigos a partir das relações de amizade feitas por seus amigos, dentre outros. E tudo isso é feito observando as devidas permissões de acesso de cada usuário.

 

 

Site Personalizado

No Blogoosfero cada usuário tem uma web-página pessoal, podendo modificar o conteúdo, as cores ou mesmo a disposição dos elementos da página com muita facilidade, além de poder criar e adminsitrar vários blogs e comunidades com um mesmo perfil.

O Blogoosfero permite que o ambiente do site/blog seja personalizado, adotando a identidade visual escolhida pelo usuário. Além disso cada usuário, comunidade ou empreendimento pode possuir páginas completamente diferentes umas das outras, assim como, da página padrão do ambiente, transformado-a num site.

Cada site/blog pode ter o seu próprio endereço web. Assim, o usuário tem site/blog(s) independente(s) e, ao mesmo tempo, integrados à Rede Social Blogoosfero.

 

Agenda

 

Com a agenda é possível visualizar todos os eventos criados por uma determinada pessoa, comunidade ou empreendimento, possibilitando assim uma maior possibilidade de interação na rede.

 

 

Mural de Recados

 

O mural de recados é o mecanismo mais utilizados para a interação entre os usuários e as comunidades, organizações e outros usuários. Essa também é uma funcionalidade muito conhecida em outras redes sociais.



16/07 - Marco Civil da Internet - com ou sem cortes?

July 15, 2013 6:19, par Inconnu - 0Pas de commentaire

Irá para votação? em que condições?

Nesta sexta-feira 12/07, no jornal da Câmara dos Deputados, o presidente da casa diz que será votado o Marco Civil da Internet.

Fazendo uma pesquisa online, e tentando entender o que querem dizer com votar sim ou sim, e que serão feitos acordos de concenso para votação, me pergunto: onde está a pegadinha?

Leiam e fiquem atentos. Afinal, assim como o PL da reginalização que acaba de passar como tropedo em uma comissão especial perdendo muito de sua originalidade, suspeito que está em negociação a não neutralidade da rede.

Leiam e a mobilizar pela votação do texto original.

Uma das coisas que aparece é a proposta do Dep Miro Teixeira para que a questão da neutralidade da rede seja tratada em uma PEC. essa notícia é do dia 10/7.

08/07/2013 20h13 - Alves quer relatório de consenso para votar marco civil da internet
http://g1.globo.com/politica/noticia/2013/07/alves-quer-relatorio-de-consenso-para-votar-marco-civil-da-internet.html

08/07/2013 14h25 - Ministra quer marco civil da internet e diz que soberania está em xeque
http://g1.globo.com/politica/noticia/2013/07/ministra-quer-marco-civil-da-internet-e-diz-que-soberania-esta-em-xeque.html

11/07/2013 - Marco Civil não ataca "grampos", mas vai incluir soberania de dados
http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=34263&sid=11#.UeBZiEGyAad

9/7/2013 - "Prioridade" ao Marco Civil da Internet não passou de blefe - odne se explicita a defesa do MINICOM a não neutralidade da rede
http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=34236&sid=11#.UeCDukGyAac

09/07/2013 - 15h43 - Câmara Notícias - Marco civil da internet pode ser votado na próxima semana
http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/SEGURANCA/447191-MARCO-CIVIL-DA-INTERNET-PODE-SER-VOTADO-NA-PROXIMA-SEMANA.html

10/07/2013 - Neutralidade pode ir para PEC da Internet como direito fundamental
http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=34244&sid=4#.UeCB9EGyAac

Pressão do ministro Antonio Patriota
10/07/2013 - 15h28 - Câmara Notícias - Patriota afirma que Brasil levará denúncia de espionagem à ONU
http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/RELACOES-EXTERIORES/447326-PATRIOTA-AFIRMA-QUE-BRASIL-LEVARA-DENUNCIA-DE-ESPIONAGEM-A-ONU.html

Com a palavra Molon
11/07/2013 16:44:14 - Marco Civil da internet obrigará Google e Facebook a manter dados no Brasil -
"A votação do projeto que estabelece os direitos e deveres dos usuários da rede no Brasil ficará para a próxima terça-feira (16). Segundo o deputado federal Alessandro Molon (PT-RJ), relator do Marco Civil, o tema voltou a ser analisa. “Estou passando um pente-fino em todo o projeto”, diz Molon, em entrevista ao iG "
http://tecnologia.ig.com.br/especial/2013-07-11/marco-civil-obrigara-google-e-facebook-a-manter-dados-no-brasil.html

12/07/2013 12:56 Rádio Câmara - Marco civil da internet: relator admite fazer concessões para viabilizar a aprovação do projeto
http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/radio/materias/ULTIMAS-NOTICIAS/447524-MARCO-CIVIL-DA-INTERNET-RELATOR-ADMITE-FAZER-CONCESSOES-PARA-VIABILIZAR-A-APROVACAO-DO-PROJETO.html

12/07/2013 - 15h33 - Câmara Notícias - Relator admite mudanças no marco civil para levá-lo a votação
http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/SEGURANCA/447545-RELATOR-ADMITE-MUDANCAS-NO-MARCO-CIVIL-PARA-LEVA-LO-A-VOTACAO.html


12/07/2013 - 16h04 -Relator admite mudanças no marco civil da internet para levar projeto a votação

http://tecnologia.uol.com.br/noticias/redacao/2013/07/12/relator-admite-mudancas-no-marco-civil-da-internet-para-levar-projeto-a-votacao.htm

Saiba mais do Marco Civil Marco civil da internet estabelece direitos dos usuários - 2011
http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/COMUNICACAO/201709-MARCO-CIVIL-DA-INTERNET-ESTABELECE-DIREITOS-DOS-USUARIOS.html

PL 2126/2011
http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=517255

Relatório Final
http://blogoosfero.cc/news/blog/relatorio-final-do-marco-civil-da-internet

Marco Civil da Internet
http://blogoosfero.cc/marco-civil-da-internet/



Relato do Encontro Comunitário do Noosfero no FISL 14

July 12, 2013 15:55, par Inconnu - 0Pas de commentaire

Quem não foi, perdeu! Contudo, segue abaixo uma síntese de tudo que rolou no encontro comunitário do Noosfero no FISL 14, em Porto Alegre.

O encontro foi no dia 06/07/2013 no FISL 14 em POA

Presentes

  • Afonso Rech
  • Alan Tygel
  • Ana Luisa Losnak
  • Daniel Bucher
  • Daniela Feitosa
  • Felipe Vencato
  • Flávio Pazatto
  • José Honorato
  • Nicholas Santos
  • Nitai Bezerra
  • Paulo Santana
  • Pedro Belasco
  • Ricardo Poppi
  • Rodrigo Souto
  • Sérgio Bertoni
  • Vicente Aguiar

Relatos dos projetos e funcionalidades no Noosfero

UNB (Daniel)

Lá ainda está num estágio inicial do projeto de utilização do Noosfero como rede da universidade. Já tem uma instância online . A rede foi criada usando como referência a rede da USP. Está na fase de checar com o cpd para checar uma forma de autenticação integrada (rede social e moodle). O Daniel Bucher está fazendo o TCC orientado pelo Paulo Meirelles de levantar as necessidades da comunidade em relação a funcionalidades que precisam ser desenvolvidas. Uma dessas funcionalidades seria integrar a base de dados do Noosfero com o Moodle.

Estimativa de usuários: 35 mil Estimativa de comunidades: ??? URL: comunidade.unb.br

 

 

USP (Ana)

Na Usp existia uma rede social usando o Elgg, mas estava abandonado e ninguém usava. A Ana entrou em Março no projeto Stoa, está se adaptando ao grupo e conversando com pessoas para descobrir as demandas dela. A maioria das pessoas que estão usando o Stoa atualmente estão fazendo TCC ou fazem parte de alguma disciplina que o professou indicou para eles usarem. Ela ainda está aprendendo a desenvolver no Noosfero resolvendo bugs e também planeja fazer a integração do Noosfero com o Moodle.

URL: social.stoa.usp.br Número de suários: 58 mil Número de comunidades: 880

 

Fundação Pensamento Digital (Flávio Pazatto)

Foi projeto em POA na periferia que usou o Noosfero realizado por uma professora. ??? acredita que é necessário entrar em contato com o governo para obter investimento do governo para realizar mais projetos nesse sentido. O projeto foi descontinuado por falta de desenvolvimento.

 

Kiron (Afonso)

O orientador delO plano era colocar o Noosfero na universidade, mas acabou por falta de pessoas para da prosseguimento ao processo. Atualmente só tem ele e uma pedagoga. Tem chance de voltar a surgir com um novo estágiario que está entrando. Eles tentaram começar a usar a funcionalidade de empreendiemntos, porém poucas pessoas criaram empreendimentos e além disso não deram continuidade. Ele acredita que o chat é muito importante para o Noosfero.

Número de usuários: 14 Número de comunidades: 7 Número de empreendimentos: 1 URL: kiron.unesc.net:22223

 

Cirandas (Alan)

O Cirandas está desde o ínicio do Noosfero. É fianciado pelo FBES. Eles estão no processo de inserir novos empreendimentos atráves do novo mapeamento dos empreendimentos. O Cirandas tem seu foco principal na linha econômica. Eles usam bastante as funcionalidades de empreendimentos, categoria de produtos, vitrine, etc. Eles pretedem avançar nas funcionalidades de inteligência economica. Já tem desenvolvidas, o farejador, coletivo de consumo, carrinho de compras, moeda coletiva, vitrine de produtos e serviços, ???.

Número de usuários: 8 mil Número de comunidades: 500 Número de empreendimentos: 22 mil URL: cirandas.net

 

Escambo (Alan)

O Escambo é voltado para os pontos de cultura e fomentação de trocas. O principal ponto dele é estimular os pontos de cultura a funcionarem como fornecedores de produtos. Já existe implementada a funcionalidade de saberes, interesses, etc. Eles fizeram várias funcionalidades novas através de plugins, criaram interfaces (design, arquitetura de informações, etc) novas com a Preface. O Escambo funciona como uma espécie de "distribuição" do Noosfero. Eles tiveram que fazer muitas coisas além do core e agora inciarão o processo de integração com o core. A ideia é ter diversas distribuições que resolvam subcategorias de redes sociais específicas, como rede econômica ou educacional, com um conjunto de plugins e temas.

Número de usuários: Número de comunidades: Estimativa de usuários: Estimativa de comunidades: URL: escambo.org.br

 

Portal de Participação Social (Ricardo)

Está na versão de testes. Existe um plano de se contratar consultores para desenvolver novas funcionalidades em par com o pessoal de lá como uma forma de preparar a rede e capacitar pessoal.

Número de usuários: Número de comunidades: Estimativa de usuários: Estimativa de comunidades: URL: psocial.sg.gov.br Funcionalidades:

 

Noosfero (Vicente)

Em questão de novas funcionaliddes estamos trabalhando em:

  • Migração do Rails 2.3 para o Rails 3.2 e ruby 1.8.7 para 1.9.2.
  • Correção do Chat (0.43.0)
  • Chat integrado com outras ferramentas XMPP.
  • Performance
  • Customização de tema e layout para os usuários pela interface
  • API
  • Documentação
  • Federação
    • Proposta de iniciar essa discussão com outras organizações interessadas no Latinoware.
  • GUI

 

Blogoosfero (Bertoni)

O Blogoosfero surge em 2011 após uma demanda da blogosfera progressista em ter um servidor de blogs e rede social seguro, soberano e autônomo, a fim de evitar que servidores comerciais retirassem blogs do ar por conta de pedidos de políticos ou empresas que perseguiam e queriam censurar @s blogueir@s.

É uma tentativa de aproximação da comunidade de software livre com a comunidade de blogueir@s e midialivristas.

Para nós o Blogoosfero é mais que uma rede social ou um provedor de blogs. É uma plataforma de comunicação livre e soberana.

É a plataforma que está mais em contato com o grande público formado apenas por usuários finais, assim como, o futuro Portal de Participação Social.  Neste aspecto estas duas redes se diferem um pouco das demais redes baseadas em noosfero que tem um caráter mais corporativo e voltadas para o desenvolvimento da plataforma.

Realizamos uma pesquisa com nossos usuários e notamos que a maioria absoluta gostaria de poder mexer mais com o layout e criar identidades próprias para seus blogs, sites ou comunidades.

A facilidade de uso e configuração é fundamental para o sucesso do Blogoosfero.

Nossa proposta é que tenhamos duas frentes de desenvolvimento, trabalhando concomitantemente:
a) Blogoosfero e Portal da Participação Social devem investir na usabilidade da plataforma. Seriam uma espécie de "Ubuntu" do Noosfero, ou seja, focadas no conceito "User Friendly", fazendo com que os usuários realmente sintam-se donos da plataforma e possam participar do processo de desenvolvimento e dela se apropriar.
b) As demais redes seguiriam no trabalho desenvolvido com maestria até o momento, ou seja, focados em novas funcionalidades, estabilidade e segurança do software e da plataforma noosfero. Diríamos que seriam o Debian do Noosfero.

Dentro da proposta de usabilidade, implantar um sistema de streaming e gerenciamento de vídeos é fundamental. Muitos de nossos usuários demandam esta funcionalidade. Ela também é fundamental para integrar TVs Comunitárias à nossa plataforma.

Outro ponto que é preciso investir é na popularização da plataforma, na disseminação da mesma entre usuários e programadores.

Desenvolver os protocolos de Redes Sociais Federadas e fazer as redes noosfero conversar entre si são de extrema importância para o desenvolvimento do noosfero e do Blogoosfero como plataforma de comunicação livre, aberta e soberana.

Estamos montando uma equipe de aprendizado e desenvolvimento do Blogoosfero em Curitiba.

 

Planos para o gerenciamento da comunidade

 

  • (Continuação do encontro no estande do fisl)

 

Reuniões periódicas da comunidade:

 

  • Objetivo: Manter o conhecimento de tudo o que está sendo feito na comunidade
  • Frequencia: Quinzenal, via hangout e IRC (chat)
  • Metodologia: Cada projeto traz pontualmente o resultado/trabalho da quinzena e o planejamento da próxima (“actions itens” criados)
  • Relatoria: Na Wiki da comunidade
  • Issue/bug tracker: Na wiki da comunidade
    • (em inglês na wiki da comunidade (foswiki) e em seguida traduzido em português no github? - sim, aí o github vira esse espaço aberto em que os parceiros e cidadãos abrem os tickets ligados ao esforço do portal de participação social)
  • Segundas-feiras, a cada 15 dias, começando a 15 de julho às 17h (link do hangout será divulgado no IRC)
  • Definir o cronograma de desenvolvimento do release do momento.

 

Ampliar o time de release manager

 

  • O processo hoje está envolvendo apenas uma organização (a Colivre) e seria muito importante para Colivre e para comunidade que esse processo seja compartilhado com outros desenvolvedores. Isto porque o processo de RM é um investimento que a Colivre assume sozinha, além de ser importante compartilhar a expertise de RM com outros desenvolvedores.

 

  • O Alan Tygel sugeriu que fosse incluído, em futuros projetos de captação de recursos de todas as organizações envolvidas no Noosfero, uma rubrica financeira para o processo de RM do projeto geral.


Redes sociais digitais privadas- facebook e twitter - matam feed-rss. E o identi.ca???

July 11, 2013 9:39, par Inconnu - 0Pas de commentaire

Twitter matou o feed-RSS dias atrás, quando aposentou v1 da API responsável pela criação das listas de feed-RSS.

Não se sabe quantas pessoas serão afetadas por esta decisão unilateral e autoritária do pessoal do Twitter, mas é certo que aqueles que criaram alguma ligação em seus sites ou blogs usando o feed-rss do Twitter, agora descobrirão que o link não funciona.

Uma forma de criar feed-RSS do twitter é através do site
http://rss4twitter.appspot.com, mas não há garantias de que o link criado funcione sempre.

Facebook também matou o feed-RSS, voltou atrás e o matou de novo.

Assim você não consegue mais compartilhar o conteúdo que publicou no facebook ou no twitter fora destas redes proprietárias.

Facebook e Twitter perderam completamente o respeito aos padrões abertos dos softwares sobre os quais eles foram desenvolvidos.

Talvez não seja apenas o feed-RSS que esteja morrendo nestas redes digitais privadas, mas sim toda a premissa de padrões abertos e do compartilhamento de informações e conhecimento, o que é realmente triste e muito ruim não apenas para os desenvolvedores, mas prinipalmente para os usuários e para a livre circulação de ideias, informações e conhecimentos.

Mas e o identi.ca???

Pois é, o pessoal da antiga status.net, uma das precursoras do conceito de Redes Sociais Federadas, e atual e14n.com surpreendeu o mercado e os usuários.

Há semanas eles anunciavam a migração do identi.ca para pump.io. E a mesma não acontecia, mas o serviço de microblogs
identi.ca funcionou normalmente até 10/07/2013. A partir de hoje o endereço identi.ca  redireciona os usuários para uma página de login, mas quando o usuário digita seu login e senha do identi.ca recebe a informação de que o usuário ou a senha estão errados.

Na prática e até que se prove o contrário, o usuário perdeu tudo que publicou no
identi.ca.

E aí, como fica?

 

 



Distribuição de verbas públicas para regionalização da comunicação em perigo!!!

July 10, 2013 20:57, par Inconnu - 0Pas de commentaire

No último Expresso 168, da Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados, tratou da distribuição das verbas públicas para a regionalização da comunicação.

A deputada e presidente da comissão, Jandira Feghali (PCdoB/RJ), solicitou a Ministra Helena Chagas da SECOM/PR [1] atenção à tramitação em andamento na Comissão Mista de CONSOLIDAÇÃO DA LEGISLAÇÃO FEDERAL E REGULAMENTAÇÃO DE DISPOSITIVOS DA CF. - CMCLF [2]. Trata-se de relatório que propõe Projeto de Lei para regulamentar o artigo 221 da Constituição Federal sobre a regionalização da comunicação, sua produção e programação.

Esta comissão busca regulamentar dispositivos da Constituição. Este formato de comissão mista, embora agilize a tramitação, pode "atropelar" o processo de debate na construção de políticas públicas.

No caso em especial, a tramitação e aprovação do parecer do Senador Romero Jucá a ser apreciado amanhã, 11/07, detona por completo o projeto original [3], muito mais amplo e democrático.

Em seu relatório, o senador Romero Jucá (PMDB/RR) acata sugestões da relatoria anterior do Deputado Sergio Zveiter (PSD/RJ), diminuindo o escopo de obrigações, de responsabilidade e, ainda, viabilizando que o Fundo Nacional de Cultura seja usado pelos meios de comunicação (televisiva).

São os pontos mais críticos:

  • diminuição do tempo de veiculação de produção regional sensivelmente - de 22 horas para menos de 15 horas semanais,
  •  incorporação das transmissões em cadeia nacional de pronunciamentos da presidência, de propaganda eleitoral obrigatório (que nós pagamos), de campanhas de interesse nacional no banco de horas do cumprimento da cota regional,
  • diminui a penalidade de cassação e suspensão da transmissão e multa, que pode a critério do julgador converter em penalidades mais leves, ou seja, apenas multa,
  • mete a mão no Fundo Nacional da Cultura, presente na Lei Procultura, para essa produção,
  • suprime as rádios dessa regulamentação;
  • não apresenta horários obrigatórios para transmissão, ou seja,  na prática a veiculação de conteúdos regionais pode acontecer  apenas em horários de pouquíssima audiência;
  • não traz obrigatoriedade de transmissão de produção independente.

Em suma, diminui o escopo de responsabilidade dos meios de comunicação, os habilita a meter a mão no dinheiro da Cultura - ao invés de obrigar que os canais invistam em produção a partir de seus recursos da iniciativa privada (que se diz tão eficiente), e fragiliza uma vez mais o direito do cidadão brasileiro de ter produção regional, desenvolvimento econômico e fortalece a política de tungar o povo brasileiro.

Como a reunião da Comissão Mista é amanhã, 11/07 - às 14h30 na Ala Senador Alexandre Costa, Plenário nº 3, Anexo II, Senado Federal - é fundamental uma ampla mobilização para que este relatório não passe e se resgate o texto original do PL 256 de 1991.

Serviço:

Data: 11/07/2013
Horário: 14:30h
Local: Ala Senador Alexandre Costa, Plenário nº 3, Anexo II, Senado Federal
Atividade: Comissão Mista de CONSOLIDAÇÃO DA LEGISLAÇÃO FEDERAL E REGULAMENTAÇÃO DE DISPOSITIVOS DA CF. - CMCLF

Que fazer: É preciso mobilizar as pessoas e barrar o parecer do relator Romero Jucá, e exigir que se incorpore o texto original.

Veja também:
------
[1] http://blogoosfero.cc/comculturanacamara/blog/comissao-mista-pretende-aprovar-regulamentacao-do-artigo-221-da-constituicao-na-proxima-semana
[2] http://www.senado.gov.br/atividade/comissoes/comissao.asp?origem=CN&com=1662
[3] http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=15222



Câmara aprova projeto que altera regras de direitos autorais de músicos

July 10, 2013 7:43, par Inconnu - 0Pas de commentaire

Texto foi aprovado com emenda que isenta entidades filantrópicas de utilidade pública ou beneficentes do pagamento de direitos autorais. Devido à mudança, a matéria retorna ao Senado para nova votação.

Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Discussão do Projeto de Lei 5901/13, do Senado, que aperfeiçoa a fiscalização do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) de direitos autorais
Plenário aprovou novas regras de fiscalização do Ecad.

O Plenário aprovou nesta terça-feira (9) o Projeto de Lei 5901/13, do Senado, que aperfeiçoa a fiscalização do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) de direitos autorais, diminuindo sua taxa de administração. A matéria foi aprovada com uma emenda e retornará ao Senado.

De autoria do deputado Nilson Leitão (PSDB-MT), a emenda isenta as entidades filantrópicas de utilidade pública ou beneficentes do pagamento de direitos autorais. "O Ecad fica impedindo eventos de igrejas e outras associações enquanto não pagam o boleto dos direitos autorais", disse.

A iniciativa do projeto surgiu da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Ecad, no Senado, que investigou, de junho de 2011 a abril de 2012, supostas irregularidades praticadas pela instituição.

Segundo a proposta, o Ecad continuará atuando como ente arrecadador dos direitos autorais, representando as associações de artistas de gestão coletiva desses direitos. Sua composição, entretanto, será mais homogênea. Em vez de a escolha de seus dirigentes favorecer a associação que mais arrecada, como é hoje, cada uma delas terá direito a um voto.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) relatou o projeto e ressaltou que a aprovação marca um “salto inigualável na legislação sobre direitos autorais”. Ela lembrou que o Conselho Nacional do Direito Autoral foi extinto na década de 90 e que o Ecad ficou sem fiscalização.

Taxas menores
O projeto prevê a diminuição da taxa de administração do Ecad, dos atuais 25% para 15% dos direitos autorais devidos a cada artista.

Essa transição deverá ocorrer em quatro anos. No primeiro ano, 77,5% dos recursos arrecadados devem ser destinados aos autores. Haverá aumento progressivo até que, em quatro anos da publicação da futura lei, o repasse atinja 85% da arrecadação.

Cadastro
As associações deverão manter um cadastro centralizado de todos os contratos, declarações ou documentos que comprovem a autoria e a titularidade das obras e dos fonogramas.

Essas informações deverão ser divulgadas pela internet, permitindo-se ainda ao Ministério da Cultura o acesso contínuo e integral a elas.

A pedido do interessado, e preservada a ampla defesa e o direito ao contraditório, o Ministério da Cultura poderá determinar a retificação das informações consideradas inconsistentes, conforme regulamento.

Arrecadação e destinação
O texto prevê a divulgação de informações gerais de arrecadação e das obras sobre as quais recaiu o pagamento de direitos autorais.

No caso dos usuários das obras, as associações deverão fornecer um sistema em que eles poderão informar periodicamente sobre os fonogramas utilizados. Pelo mesmo sistema, os titulares do direito autoral poderão acompanhar os valores arrecadados e distribuídos.

Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Discussão do Projeto de Lei 5901/13, do Senado, que aperfeiçoa a fiscalização do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) de direitos autorais. Dep. Jandira Feghali (PCdoB-RJ)
Jandira Feghali: aprovação marca um “salto inigualável na legislação sobre direitos autorais”.

Um regulamento definirá a aplicação de multas de 10% a 30% do valor que deveria ser originalmente pago se forem constatadas divergências.

Mandatos
O mandato dos dirigentes das associações será de três anos, permitida uma recondução com nova eleição. Cada titular de direitos autorais poderá participar de apenas uma associação.

Por decisão de seu órgão máximo, a associação poderá destinar até 20% do total ou de parte dos recursos arrecadados para ações de natureza cultural e social em benefício de seus associados.

Embora o projeto remeta às associações a defesa dos direitos dos autores em juízo, os titulares poderão optar por fazê-lo pessoalmente se comunicarem a associação com 48 horas de antecedência.

Fiscalização de sindicatos
Se os filiados de uma associação de gestão coletiva de direitos autorais participarem de um sindicato ou associação profissional, o projeto permite a essas outras entidades a realização de uma auditoria independente por ano.

Já os litígios entre usuários de obras e os titulares dos direitos poderão usar de arbitragem da administração federal para tentar resolver conflitos sobre falta de pagamento, critérios de cobrança, formas de oferecimento de repertório e outros aspectos.

Se virar lei, as novas normas entram em vigor depois de 120 dias de sua publicação.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Eduardo Piovesan
Edição – Pierre Triboli

Fonte:Câmara dos Deputados



Seleção de Educadores e Educadoras

July 9, 2013 10:54, par Inconnu - 0Pas de commentaire

A Vivendo e Aprendendo está selecionando profissionais para Educação Infantil.

Para saber mais, os interessados podem acessar e acompanhar os eventos da seleção em:

http://blogoosfero.cc/faap

Divulguem na sua rede social, virtual ou real, para seus amigos e familiares que tenham interesse em fazer parte da Vivendo e Aprendendo.



Dia 11/07: Ato por Marco Civl da Internet e Regulamentação da Mídia

July 9, 2013 8:53, par Inconnu - 0Pas de commentaire

A democratização da comunicação e a aprovação do Marco Civil da Internet foram os temas de 'aula pública' realizada na noite desta quarta-feira (3), em São Paulo. A atividade, que ocorreu no vão do MASP e deu continuidade à Assembleia Popular realizada uma semana antes no mesmo local, teve como encaminhamento a realização de um grande ato em frente à sede da Rede Globo, no dia 11 de julho, quando as centrais sindicais realizam paralisações e manifestações por todo o Brasil.

Com adesão de estudantes, jornalistas, militantes do movimento social e interessados em geral, o evento foi dividido em tês partes: a discussão do Marco Civil da Internet, que garante a liberdade de expressão, o direito à privacidade e a neutralidade da rede (o proprietário da infraestrutura da rede não pode interferir no fluxo de dados e conteúdos); o monopólio da mídia e a necessidade de democratizar o setor; e, por fim, as coberturas feitas pela grande mídia e pelas mídias alternativas sobre as recentes manifestações de rua.


#MarcoCivilJá

O projeto de lei que define direitos e deveres de usuários e prestadores de serviços relacionados à Internet (e que está engavetado no Congresso) foi explicado e defendido por Sérgio Amadeu e Veridiana Alimonti, ambos representantes da sociedade civil no Comitê Gestor da Internet (CGI.br).

Segundo Amadeu, a aprovação do projeto é fundamental para assegurar a liberdade e a criatividade na Internet. “O Marco Civil garante que a vigilância das redes sociais, de e-mails e dados em geral, feita pelo Obama nos Estados Unidos, não ocorra no Brasil sem a existência de ordem judicial”, diz.

Na avaliação do sociólogo, sem a Internet não seria possível articular os movimentos globais de manifestações, como o Occupy Wall Street, o M15 espanhol e a Primavera Árabe, além do próprio caso recente no Brasil. “Um país livre precisa de uma comunicação livre e, sem Marco Civil da Internet, isso não acontecerá”, afirma.

No entanto, ele argumenta que há forças contrárias à aprovação do projeto atuando nos bastidores: “As grandes empresas de telecomunicações e a indústria do direito autoral sabem que a comunicação e a cultura serão cada vez mais digitais e atuam em defesa de interesses estritamente econômicos”.

Veridiana Alimonti, por sua vez, destacou a importância da universalização da banda larga. “Na área rural, apenas 10% dos domicílios têm acesso à Internet, enquanto entre as classes D e E. apenas 6%”. O Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), em sua visão, permite serviços precários, que não suprem a necessidade de a população estar conectada: “Enquanto oferecemos planos caros para 1mb de navegação, os outros países trabalham com 10, 20 e até 50mb a preços acessíveis”.

O problema, na opinião de ambos, é que o governo tem reduzido a Internet à condição de mera mercadoria. “O próprio Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou que a Internet é um negócio. Mas é muito mais que isso: é espaço de consolidação de direitos fundamentais para o cidadão”, defende Alimonti. Ao final da atividade, os participantes realizaram um 'flashmob' no canteiro central da Avenida Paulista, com cartazes pedindo a aprovação do Marco Civil.

Mídia e democracia

O cenário de monopólio privado da comunicação e a necessidade de democratizar o setor foi abordada por Renata Mielli (Centro de Estudos Barão de Itararé) e Pedro Ekman (Intervozes), ambos integrantes do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC).

Para Ekman, o fato de as concessões do espectro radioelétrico serem públicas significa que o Estado precisa regular a sua utilização, o que não ocorre no país. “Há um predomínio de veículos comerciais, que têm seus interesses próprios e encaram a comunicação como negócio”, diz. O quadro de monopólio privado, encabeçado por grandes conglomerados midiáticos e legitimado pela ausência de uma regulação que garanta a diversidade e a pluralidade de opiniões, suprime a voz de outros setores da sociedade.

“O Roberto Marinho, por exemplo, não gosta de discutir a regulação da mídia em países considerados avançados, como França, Inglaterra e Estados Unidos. Isto porque há legislações que proíbem a propriedade cruzada”, afirma. “Já no Brasil, por exemplo as Organizações Globo detêm jornais, revistas, rádios, televisão, canais de televisão, gravadora, editora... o que não é bom nem para o mercado, muito menos para a democracia”.

Como alternativa à dominação de interesses privados no setor, Pedro Ekman e Renata Mielli apostam no Projeto de Lei da Mídia Democrática, lançado pela campanha Para Expressar a Liberdade. O texto reúne o que há de melhor e mais democrático no ambiente regulatório, ampliando a liberdade de expressão e garantindo o direito à comunicação para todos os cidadãos. Por ser uma Iniciativa Popular, o PL precisa de 1,3 milhão de assinaturas para chegar ao Congresso.

Apesar de a Constituição Federal de 1988 tratar de pontos-chave para a garantia de uma comunicação democrática no país, tais artigos permanecem sem regulamentação. “Quem diz que a Lei da Mídia Democrática quer censurar não apenas ignora a Constituição, como também sustenta uma legislação obsoleta, que já tem mais de 50 anos”, argumenta Mielli.

De acordo com ela, as sete famílias que monopolizam os meios não querem regras porque só assim se sustentam. Evocando a máxima de que, no país, liberdade de imprensa muitas vezes significa liberdade de empresa, Mielli dispara: “A Globo, por exemplo, diz que defende a liberdade de expressão, mas foi um dos sustentáculos da ditadura militar no Brasil”.

Ambos criticaram o financiamento ostensivo que o Governo concede às empresas da velha mídia. “O Ministério das Comunicações é subserviente aos meios privados. Em 2012, dos 1,8 bilhões de reais previstos para a publicidade oficial, 500 milhões foram aplicados somente na Rede Globo de televisão”, diz Mielli, que completa: “O financiamento de mídias alternativas é tão importante quanto à complementariedade entre os sistemas público, privado e comunitário, essencial para a democracia no setor e que, apesar de garantido na Constituição, não existe”.

Os blogueiros Leonardo Sakamoto e Renato Rovai (revista Fórum) avaliaram o momento que o mundo da comunicação vive a partir das manifestações de rua que eclodiram no país. Segundo Rovai, “o processo que estamos vivendo era inimaginável há alguns anos atrás. O mito da tecnocracia no jornalismo tem que acabar, pois jornalismo e comunicação é produção de conteúdo por todos e acesso à informação por todos”.

Para Sakamoto, as mídias tradicionais saíram “a reboque” das redes na cobertura, com destaque para a mudança de tom dos jornais que, antes, defenderam a repressão contra “vândalos” e “baderneiros”. “As redes denunciaram a tentativa de apropriação do movimento por parte da grande mídia”, opina.

A decisão coletiva de realizar o ato em frente à Rede Globo no dia 11 de julho, somando-se ao Dia Nacional de Lutas das centrais sindicais, teve como pautas principais justamente a democratização da mídia e a aprovação do Marco Civil da Internet.

Por Felipe Bianchi

Foto do cartaz por Vinicius Macario, publicada no Facebook;
Foto da aula pública por Pedro Ekman, publicada no Instagram



FreeNet???

July 8, 2013 19:22, par Inconnu - 0Pas de commentaire

Sugestão de Myrko



A Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados anuncia mais um projeto: Os Manifestos Culturais!

July 8, 2013 9:14, par Inconnu - 0Pas de commentaire

Com a intenção de dar visibilidade a pautas defendidas pela Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados, mais um projeto está sendo lançado!

A ideia é que por meio de manifestações artísticas das mais diversas linguagem, pautas defendidas pelo colegiado sejam apresentadas no espaço da Câmara dos Deputados.

Nessa edição de lançamento a linguagem escolhida foi a música e os convidados para dar visibilidade as pautas da vez são: Móveis Coloniais de Acajú e Chico César. Além da democratização da comunicação, a Comissão defende a aprovação da PEC 150/2003 que determina que, anualmente, 2% do orçamento federal, 1,5% dos estados e 1% dos municípios, advindos de receitas resultantes de impostos, sejam aplicados diretamente em Cultura. Atualmente, o Governo Federal investe entre 0,7% e 0,8% do Orçamento da União na área cultural.


Convidados

Móveis Coloniais de Acajú

Formada em 1998, a banda teve seu primeiro disco, Idem, lançado em 2005, com tiragem inicial de 3 mil cópias. O álbum teve boa aceitação e atingiu a marca de duas mil cópias vendidas nos dez primeiros dias.

Sem Palavras, o single lançado em 2007 pela banda, ficou em 21ª posição na lista das 50 melhores músicas do ano na revista Rolling Stone. Em 2009 a banda lançou o single Falso Retrato (U-HU) e prepara novas músicas em parcerias com os poetas brasileiros, formando o álbum C mpl te.

A banda tem passagem em eventos como o Brasília Music Festival (2003), Curitiba Rock Festival (2005), Bananada (2003 e 2004), Porão do Rock (2000, 2005, 2007 e 2008), no Festival de MPB da UNESP de Ilha Solteira (2008) FMB (Feira Música Brasil) em Recife 2009. Entre shows e festivais, o grupo esteve ao lado de bandas americanas como Weezer, Live, Alanis Morissette, Simply Red, Slackers e Voodoo Glow Skulls; a venezuelana Desorden Público; e as conhecidas brasileiras Charlie Brown Jr.,Ultraje a Rigor, Ira!, Pato Fu, Barão Vermelho, Dead Fish e Los Hermanos.

Participaram também do Festival Indie Rock (2007), se apresentaram ao lado de bandas nacionais e estrangeiras de indie rock, entre elas The Magic Numbers, The Rakes, e as brasileiras Moptop e Nação Zumbi.

O contato com as bandas, o aprendizado da estrada e o carinho por Brasília contribuíram para que a banda criasse seu próprio festival, o Móveis Convida. Da primeira edição, ainda em experiência (no fim de 2005) à última (em abril de 2009, que marcou a estreia das novas músicas) passaram mais de 20 bandas (de atrações renomadas como Pato Fu, Los Hermanos e Black Drawing Chalks) e um público médio de quatro mil pessoas por edição.

SERVIÇOS

O QUE: MANIFESTOS CULTURAIS

QUANDO:18h

ONDE: HALL DA TAQUIGRAFIA

CONVIDADOS: MÓVEIS COLONIAIS E ACAJÚ E CHICO CÉSAR