Ir para o conteúdo

Cúpula dos Povos

Voltar a Notícias da ONU
Tela cheia Sugerir um artigo

Guerra deixa região da Ucrânia à beira de ‘catástrofe ecológica’, alerta agência da ONU

8 de Agosto de 2018, 14:01 , por ONU Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 26 vezes
Moradores da região de Donbas, na Ucrânia, atravessam ponte destruída pelos confrontos armados. Foto: OSCE SMM/Evgeniy Maloletka

Moradores da região de Donbas, na Ucrânia, atravessam ponte destruída pelos confrontos armados. Foto: OSCE SMM/Evgeniy Maloletka

A região de Donbas, no leste da Ucrânia, está “à beira de uma catástrofe ecológica”. O diagnóstico é da ONU Meio Ambiente, que alerta para os riscos à vida silvestre provocados pelo conflito armado no país europeu. Agência das Nações Unidas aponta que a combustão de munições e a destruição da infra-estrutura industrial aumentaram poluição. Em todo o território ucraniano, cerca de 530 mil hectares de ecossistemas foram afetados de algum forma ou mesmo destruídos pela guerra.

A devastação não poupou 80 mil hectares de 18 reservas naturais. Outros 150 mil hectares de florestas tiveram impactos associados aos conflitos — zonas de operações militares e suas áreas adjacentes já foram palco de 12,5 mil incêndios florestais. Os dados são de uma avaliação feita pela própria ONU Meio Ambiente, por meio de sua Plataforma de Ciência e Política sobre Meio Ambiente e Segurança.

O confronto na Ucrânia teve início em abril de 2014. Apenas no primeiro ano, a ausência de medidas protetoras para florestas, somada aos enfrentamentos militares, levou à destruição quase irreversível de 479 hectares de mata.

No polo agrícola e industrial de Donbas, na província de Donetsk, a crise ambiental tem dois agravantes — os ecossistemas já sofriam pressão de atividades produtivas, e a guerra danificou estruturas de contenção de riscos.

Uma porção significativa da zona rural de Donbas é controlada por empresas agrícolas e fazendeiros. Cerca de 80% dessas terras são cultiváveis. A exploração pela agropecuária já ameaçava as 50 espécies de mamíferos, 38 espécies de peixes, 300 tipos de pássaros e mais de dez espécies de répteis que são encontrados na região.

No ano anterior ao início do conflito, 5,5 mil indústrias operavam em Donbas, gerando 4,3 milhões de toneladas de CO2 — o equivalente a 44% das emissões de gás carbônico de toda a Ucrânia. Devido à destruição da infra-estrutura produtiva e de mecanismos de emergência, os riscos de degradação ambiental aumentaram significativamente, segundo as Nações Unidas.

“Donbas está à beira de uma catástrofe ecológica, alimentada pela poluição do ar, do solo e da água por conta da combustão de grandes quantidades de munição nos confrontos e de enchentes em fábricas”, alerta a analista da ONU Meio Ambiente, Leila Urekenova.

Outro problema identificado pelo organismo internacional é a poluição do rio Siverskyi Donets, o mais sujo da Ucrânia, mesmo antes dos confrontos armados. O curso d’água tem origem em território russo. A contaminação trazida pelo conflito coloca em perigo a população ribeirinha, para quem o rio é a principal fonte de água. A guerra também provocou a suspensão de algumas atividades agrícolas, o que levou à proliferação de ervas daninhas e ratos em alguns locais que margeiam o Siverskyi Donets.

Nos últimos anos, instituições que protegem reservas naturais perderam funcionários. Com isso, houve um aumento das violações do direito ambiental, bem como dos casos de caça em larga escala, extração ilegal de madeira e a interrupção das operações de gestão de resíduos. Espécies invasoras, como o chacal, o peixe-lua e o besouro asiático, também se disseminaram e colonizaram a zona de conflito e seus arredores.

A ONU Meio Ambiente ressalta que as florestas de Donetsk e Luhansk desempenham um papel fundamental nas paisagens naturais e também nas comunidades e assentamentos humanos. Isso porque previnem a erosão do solo e garantem a estabilidade do abastecimento de recursos hídricos que são obtidos em corpos d’água naturais. Os grandes pinheiros do leste da Ucrânia criam um ambiente favorável para a flora e a fauna locais e também para atividades socioeconômicas, como lazer, caça recreativa e a coleta de cogumelos, ervas e frutas.

A agência das Nações Unidas alerta ainda que a luta armada tem impacto “mecânico e químico” sobre essas áreas de vegetação — destroços e estilhaços de explosivos danificam as cascas, galhos e copas das árvores, destroem a vegetação do solo, enfraquecem ou matam troncos. As regiões de operações militares também são contaminadas por munições não detonadas, que podem levar anos para serem eliminadas, segundo casos similares observados na Sérvia, Macedônia e Bósnia e Hezergovina.


Fonte: https://nacoesunidas.org/guerra-deixa-regiao-da-ucrania-a-beira-de-catastrofe-ecologica-alerta-agencia-da-onu/

Rio+20 ao vivo!