Ir para o conteúdo

Cúpula dos Povos

Voltar a Notícias da ONU
Tela cheia Sugerir um artigo

Relatores da ONU pedem libertação imediata de jornalistas detidos em Mianmar

11 de Julho de 2018, 17:14 , por ONU Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 8 vezes
Nesta foto tirada em meados de outubro de 2017, os refugiados rohingya que fugiram do estado de Rakhine, em Mianmar, atravessam para Bangladesh em Palong Khali, no distrito de Cox's Bazar. Foto: UNICEF/LeMoyne

Nesta foto tirada em meados de outubro de 2017, os refugiados rohingya que fugiram do estado de Rakhine, em Mianmar, atravessam para Bangladesh em Palong Khali, no distrito de Cox’s Bazar. Foto: UNICEF/LeMoyne

Relatores da ONU cobraram nesta quarta-feira (11) a libertação imediata de dois jornalistas da agência Reuters que foram presos em Mianmar por investigarem um massacre no vilarejo de Inn Din. Região fica localizada no estado de Rakhine, onde comunidades da minoria étnica rohingya foram perseguidas e atacadas pelas próprias autoridades do país.

Os dois repórteres, detidos desde dezembro, foram acusados na segunda-feira (9) de obter documentos secretos de Estado. A Lei de Segredos Oficiais determina que a pena por esse crime pode chegar até 14 anos de prisão.

“O inquérito criminaliza (a realização de) reportagens de jornalismo investigativo sobre violações de direitos humanos no estado de Rakhine, questões do mais elevado interesse público”, afirmaram o relator especial sobre o direito à liberdade de opinião e expressão, David Kaye, e a relatora especial sobre a situação dos direitos humanos em Mianmar, Yanghee Lee.

“Reiteramos firmemente nosso pedido pela libertação imediata e incondicional de Wa Lone e Kyaw Soe Oo e pela revogação das acusações”, acrescentaram os especialistas.

Os dois analistas também expressaram preocupação com as “condições deploráveis” em que os dois profissionais de mídia estão sendo mantidos. Sem poder se comunicar com ninguém desde a prisão no ano passado, os jornalistas agora estão sem acesso a tratamento médico e são privados de sono.

David Kaye e Yanghee Lee pediram às autoridades de Mianmar que respeitem a liberdade de imprensa e o direito do público de saber, a fim de que repórteres possam realizar seus deveres com liberdade e segurança. Os especialistas também pediram a revisão da Lei de Segredos Oficiais, conforme às obrigações do país em acordo com o direito internacional.


Fonte: https://nacoesunidas.org/relatores-da-onu-pedem-libertacao-imediata-de-jornalistas-detidos-em-mianmar/

Rio+20 ao vivo!