Ir para o conteúdo

Diógenes Brandão

Tela cheia

Blog

3 de Abril de 2011, 21:00 , por Desconhecido - | No one following this article yet.
Licenciado sob Copyleft

O anti-juiz

30 de Abril de 2014, 16:14, por Desconhecido - 0sem comentários ainda


Por Leandro Fortes.

Essas pessoas que idolatram Joaquim Barbosa, essas pessoas horríveis que veem nesta triste figura uma chance de se vingar do mundo que odeiam, da vidinha medíocre que levam, essas pessoas vivem um paradoxo vulgar. 

São, em sua maioria, analfabetos políticos e recalcados sociais que sonham com o porrete de um sádico como única forma de remissão. Vivem nesse espectro político onde convivem, em um inferno particular, o ódio de classe, o egoísmo social, a intolerância ideológica e o racismo.

E justamente aí reside esse paradoxo essencialmente moral: Barbosa, indicado para o STF por ser negro, homem de origem pobre, vítima de todo tipo de preconceito, deveria representar exatamente o contrário de tudo que nele veem os que dele fazem um guru dessa seita de loucos e reacionários.

Ao mandar prender os réus da AP 470 em 15 de novembro, Dia da Proclamação da República, e, agora, mandar reencarcerar José Genoíno em 1º de Maio, Dia do Trabalhador, Joaquim Barbosa não trabalha apenas para favorecer a oposição e alimentar os abutres da mídia que se alimentam de suas idiossincrasias pré-agendadas.

Ao se colocar como um instrumento de ódio e vingança política, com todos os prejuízos previsíveis para o processo civilizatório brasileiro, Barbosa pode até agradar à sua abominável claque de infelizes, mas ao custo de apequenar o STF, a Justiça e, claro, a si mesmo.

Leandro Fortes é jornalista.
Receba atualização do Blog no seu email.



CPI do BRT quer informações do MPF

30 de Abril de 2014, 15:26, por Desconhecido - 0sem comentários ainda



A Comissão Parlamentar de Inquérito do BRT deliberou hoje que deve reiterar o convite ao procurador da República Daniel César Azeredo Avelino, do Ministério Público Federal. O departamento jurídico da CPI entrou em contato com o MPF, que informou que o procurador está de férias, mas nenhum documento comunicando ou justificando a ausência foi enviado à Comissão.

A CPI também deliberou e votou, acatando por unanimidade a proposta da vereadora Sandra Batista (PCdoB) de pedir informações acerca de transação entre a Prefeitura de Belém e o banco Itaú. Durante depoimento à CPI, Edilson Ramos Pereira, Secretário Municipal de Planejamento e Gestão no governo de Duciomar Costa, informou que a fonte orçamentária do BRT foi proveniente do superávit da “venda” da folha de pagamento do funcionalismo público municipal ao banco Itaú, no valor estimado de R$ 50 milhões.

O procurador de Justiça Nelson Medrado informou ontem que só tomou conhecimento do procedimento recentemente, pela imprensa, e destacou que a operação deveria ser feita via processo licitatório. “Este procedimento é lícito? Foi colocado no orçamento em que rubrica? Qual a natureza jurídica deste recurso? Não teve previsão orçamentária nem em 2012 e nem em 2013”, questionou Sandra Batista.

A vereadora Sandra Batista solicitou também o relatório da auditoria realizada a pedido de Zenaldo Coutinho para dar andamento às obras do BRT, retomadas após a assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público Estadual e Ministério Público Federal; considerando que Zenaldo Coutinho pagou à Andrade Gutierrez o saldo devedor de R$ 56.386.480,11 deixado por Duciomar Costa. A parlamentar pediu ainda cópia do embargo de declaração, interposto após decisão contrária à ação impetrada pelo MPE, de improbidade administrativa contra Duciomar e que o juiz Elder Lisboa não acatou.

Na próxima segunda- feira (05/05) a Comissão deve reunir-se novamente e deliberar, entre outras coisas, sobre a reiteração de ofício à Caixa Econômica Federal pedindo cópia da documentação referente ao pagamento da medição da obra, no valor do saldo devedor de R$ 56.386.480,11 deixados pelo ex- prefeito Duciomar Costa. A reiteração deve-se pela interpretação da vereadora Sandra Batista de que a solicitação não se trata de quebra de sigilo bancário, como entendeu a Caixa, mas de uma operação de empréstimo com recursos do FGTS, feita por um ente público, a Prefeitura, cujo órgão fiscalizador é a CMB. Embasada nisso, a vereadora pede que o ofício seja reiterado. A proposta deve ser debatida na próxima reunião da CPI, a ser realizada no dia 5 de maio. 

Enviado pela Assessoria de Comunicação da Vereadora Sandra Batista (PcdoB-Belém).
Receba atualização do Blog no seu email.



Eleições Pará: Os prós e contra Helder e Jatene

30 de Abril de 2014, 6:08, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Sem novas pesquisas divulgadas, o jeito é fazer pesquisa empírica.

A última pesquisa eleitoral que apurou e divulgou o cenário eleitoral no Pará, ainda é do ano passado. De lá pra cá, se fizeram outras, ninguém as divulgou, mas o professor da Universidade Federal do Pará, Cientista Político e Blogueiro, Edir Veiga um daqueles poucos intelectuais que se dispõe a escrever sobre análise política local, esse mês trouxe em seu blog, a avaliação das duas principais candidaturas que disputarão a cadeira de governador do Estado: Simão Jatene e Helder Barbalho.

Clique em seus nomes e leia uma de cada vez. Essa é a sugestão do blog, ao invés de ter trazido pra cá.
Receba atualização do Blog no seu email.



Belém: A humorada cidade cinematográfica

28 de Abril de 2014, 10:34, por Desconhecido - 0sem comentários ainda







Receba atualização do Blog no seu email.



As pedras no caminho da corrida eleitoral no Pará - Parte II

25 de Abril de 2014, 3:05, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Campos reúne-se com o governador Simão Jatene no Pará, mas não fecha nada com o PSDB.
A foto é da Agência Pará que sempre sede "gentilmente" os registros pras capas do jornal OLiberal.

A visita do presidenciável Eduardo Campos (PSB-PE) à Belém do Pará mexeu com a cabeça de líderes de vários partidos que ainda estudam a complexa e emaranhada conjuntura política, onde há muitas pedras no caminho da corrida eleitoral no Pará.

Candidato do PSB ao planalto e terceiro colocado na disputa nacional, segundo as últimas pesquisas realizada pelo Brasil, Campos deu entrevista coletiva à imprensa ainda no aeroporto, onde desembarcou de um voo particular, almoçou com empresários na Federação das Indústrias do Pará - FIEPA, visitou o sistema RBA de comunicação e conversou com o governador Simão Jatene, candidato à reeleição pelo PSDB, o qual ainda tem o PSB como partido de sua base no Estado. 

Já no fim da tarde, Campos participou de um encontro no Centro de Convenções da Amazônia, o Hangar onde reuniu diversas lideranças do PSB e de outros partidos, entre eles, o ex-prefeito de Belém, Duciomar Costa (PTB), que junto com o deputado Estadual Cássio Andrade (PSB) e do vereador Ademir Andrade, presidente do PSB no Estado, conversaram sobre a possibilidade de uma aliança local entre os partidos.

Eduardo Campos deixou Belém sabendo que já há uma maioria do PSB paraense defendendo que o partido não apoie o PSDB e nem o PMDB nas eleições de Outubro e assim opte pelo lançamento de uma terceira via no Estado.



PSB estuda a possibilidade de deixar a base de Jatene e apoiar Dudu ao governo do Estado.
Foto de João Ricardo Amaral, fotógrafo amador.
O tabuleiro local.

O governador Simão Jatene que tem como vice Helenilson Pontes, do PSB, concorrerá à reeleição e nacionalmente terá que apoiar o candidato do PSDB, Aécio Neves à presidência. No campo adversário, está o PMDB numa aliança com o PT, com a pré-candidatura de Helder Barbalho ao governo e de Paulo Rocha ao senado, formado assim até agora o único palanque da presidenta Dilma no Estado.

No entanto, o jornal Diário de Pernambuco em uma matéria que antecedeu a visita de Eduardo Campos ao Pará, afirmou que na avaliação dos socialistas paraenses, a disputa entre os dois candidatos ao governo, Helder pelo PMDB e Jatene pelo PSDB, é equilibrada. "Os dois têm uma rejeição muito alta", disse o presidente estadual do PSB, Ademir Andrade que acredita que o lançamento de um outro nome para a disputa estadual, poderia levar a eleição paraense para o segundo turno. 

Segundo Ademir Andrade, o nome do partido para concorrer ao cargo seria o deputado estadual Sidney Rosa, ex-prefeito de Belém. "Ele é muito bem avaliado", assegurou. Em mantendo o apoio ao governador Simão Jatene, o PSB poderia ocupar a vaga ao Senado também com Sidney, mas o PSB ainda vai definir se permanece na base de apoio do governador Simão Jatene (PSDB) ou se lança candidatura própria. A decisão deverá ser tomada até o fim de maio.

A candidatura de Duciomar Costa.

Vale lembrar que Duciomar visitou o Diretório Nacional do PTB, em Brasília, no começo de Abril e recebeu apoio dos dirigentes do partido para concorrer ao pleito estadual, entre eles do presidente nacional do PTB, Benito Gama que já declarou que o Partido estará com Dilma em sua reeleição e ao ser indagado pelo jornal Folha de São Paulo se haveria chance de recuo, foi enfático: "não, não há chance".

O presidente do PTB-PA, deputado federal Josué Bengtson, também apoiou o projeto de Duciomar, e solicitou que o pré-candidato desse início, imediatamente, às conversas com líderes no Estado a fim de consolidar sua campanha eleitoral.

Jatene mais fraco e Dilma com dois palanques.

Em conversas com cientistas políticos e lideranças bem informadas, foi unânime a percepção de caso seja confirmada a tese levantada por este blog, não sobra dúvidas de que Simão Jatene perderá ainda mais força do que já cogitava, por ter uma base repleta de disputas e por ser composta por partidos que também estão na base do governo Dilma,  o que deixa o atual governador ainda mais fragilizado com uma candidatura dentro de sua base.

Já a aliança PT/PMDB pode ter problemas ao ter que dividir Dilma em um possível segundo palanque do PTB de Duciomar Costa no Pará, já que além da forte rejeição que o nome de Helder Barbalho mantém na base petista, o mesmo não consegue reagir aos ataques oriundos do estigma que recai em seu sobrenome, o qual pesa mais do que o insucesso de sua tentativa frustrada de eleger um sucessor em Ananindeua, município que é o segundo maior colégio eleitoral do Pará, onde ele foi prefeito por duas vezes, mas deixou o cargo com uma rejeição alta e que ainda se mantém, segundo alguns pesquisadores que não divulgam pesquisas que são realizadas desde então.
Receba atualização do Blog no seu email.



Padilha defende-se em rede social sobre acusações da Veja

25 de Abril de 2014, 0:24, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Candidato ao governo de SP, Padilha ameaça a por fim aos 20 anos de governo do PSDB no Estado.

"Pessoal, venho aqui para dizer que repudio o envolvimento do meu nome e esclarecer que NÃO INDIQUEI nenhuma pessoa para a Labogen. Se como diz a Polícia Federal, os envolvidos tinham preocupação com as autoridades fiscalizadoras, eles só poderiam se referir aos filtros e mecanismos de CONTROLE CRIADOS POR MIM no Ministério da Saúde justamente para evitar ações deste tipo. A prova maior disso é que NUNCA EXISTIU CONTRATO com a Labogen e NUNCA HOUVE DESEMBOLSO por parte do Ministério da Saúde".

Alexandre Padilha, ex-ministro da Saúde e pré-candidato do PT ao governo de SP, usou seu perfil em uma rede social para defender-se das acusações da revista VEJA que diz que ele teria indicado o diretor de laboratório fantasma, após ter sido citado em mensagens trocadas entre o doleiro Alberto Youssef e o deputado André Vargas (PT-SP).


Receba atualização do Blog no seu email.



Charge de Latuff em gabinete de Juiz é censurada pelo TJ-RJ a pedido de Bolsonaro

23 de Abril de 2014, 23:52, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Charges do talentoso Carlos Latuff sempre geram polêmicas.

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou um prazo até o meio-dia de hoje para a retirada da charge “Por uma cultura de paz” do gabinete do juiz João Batista Damasceno, da 1ª Vara de Órfãos e Sucessões.

A charge do cartunista Carlos Latuff está em um quadro e mostra um PM atirando, com um fuzil, em um homem negro crucificado.

O magistrado decidiu transferir a obra para a sala do desembargador Siro Darlan, pois lá a censura não tem efeito. O desembargador diz que promoveu “asilo a uma obra de arte” e que “quem se alguém estiver insatisfeito que vá ao presidente do Superior Tribunal de Justiça reclamar”.

O deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP), que pediu a censura ao TJ, vai encaminhar denúncia à corregedoria do tribunal.

Esse deputado, que é uma piada de mau gosto e é filho do deputado federal Jair Bolsonaro (PP), chegou a divulgar em seu site oficial um modelo de ação indenizatória para os policiais militares do Rio que se sentirem ofendidos com uma gravura do Latuff.

No Facebook Latuff defendeu a livre exibição da charge e relatou supostas ameaças que teriam sido feitas por policiais militares, também na rede social, contra Damasceno. O magistrado afirmou que a obra evoca a violência do Estado contra o povo ao longo da história. Disse ainda que é favorável à desmilitarização da PM, pois “a política de segurança pública militarizada tem como alvo os pobres e excluídos, ‘inimigos eternos’ sujeitos ao extermínio”.
Receba atualização do Blog no seu email.



Aos que lutaram pelo Marco Civil da Internet

23 de Abril de 2014, 10:04, por Desconhecido - 0sem comentários ainda



Ontem foi um dia muito especial para todos nós que há anos lutamos pela aprovação do Marco Civil da Internet.

O Senado aprovou sem alterações o Projeto de Lei Complementar 21/2014 que  estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para internautas e provedores na rede mundial de computadores no Brasil.

Encaminhado pela Presidência da República em 2011, o marco civil foi aprovado na Câmara dos Deputados no final de março deste ano, depois de estar em pauta por dois anos. No Senado, o texto já chegou com pedido de urgência constitucional, ou seja, com prazo de 45 dias para análise. Felizmente, não levou nem um mês para ser votado.

Há quem diga que foi um processo rápido, mas quem participa desta luta, sabe que a proposta começou a ser discutida em 2009 e foi elaborada pelo governo, tendo como base o documento “Princípios para a governança e o uso da internet”, entregue pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br).

O texto, que passou por consulta pública entre 2009 e 2010, buscou estabelecer uma regulamentação geral sobre o uso da internet com diversos atores, entre os quais, ativistas digitais, blogueiros e demais articuladores preocupados com a falta de diretrizes que protegessem os internautas e seus direitos à privacidade e proteção de seus dados.

Podemos dizer que o marco civil aprovado ontem e que será sancionado pela presidenta Dilma não é apenas uma conquista do governo e do Congresso, já que ele foi construído pelos usuários num processo inovador, inclusivo e democrático.

Desde Agosto de 2010, quando foi realizado o 1º Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas em São Paulo, até o Fórum de Comunicação Digital da Amazônia (AmazonWeb), realizado em Belém do Pará, no ano passado, internautas, acadêmicos, ativistas sociais, entidades da sociedade civil organizada e indivíduos participam ativa e diariamente de uma luta que ainda não acabou.

A necessidade da aprovação do Projeto de Lei de Iniciativa Popular, chamada de Lei da lei da Mídia Democrática que visa regulamentar os artigos 5, 21, 221, 222, 223 da Constituição Federal é agora a meta prioritária de todos os que estão escrevendo um novo capítulo na história de nosso país e não temos mais tempo a perder.
Receba atualização do Blog no seu email.



Assista ao vivo o NETmundial 2014

23 de Abril de 2014, 8:13, por Desconhecido - 0sem comentários ainda



Nos próximos dias, diversos países vão debater o futuro da Internet. Governos, empresários e sociedade civil se encontram no NETmundial, nos dias 23 e 24 de abril, em São Paulo, para elaborar os princípios de governança da Internet e uma proposta de roteiro para a evolução futura desse ecossistema.

Para que qualquer pessoa possa, de fato, participar e intervir na pauta de debates do NETmundial a conferência abrirá sua conexão com os chamados HUBs de participação. Os grupos permitirão a interação direta e em tempo real com os participantes credenciados. Ao todo são trinta e um HUBs de países diferentes, incluindo o Brasil.

O HUB brasileiro permitirá, através de um aplicativo gratuito, que qualquer pessoa participe dos debates propostos. Clique aqui para baixar o app na versão Android ou clique aqui para baixar o app na versão IOS.

O aplicativo, desenvolvido para possibilitar a participação social na construção de políticas públicas, faz parte do conjunto de ferramentas do Participa.br - Plataforma Federal da Participação Social.
Receba atualização do Blog no seu email.



Projeto pode acabar com Reserva Biológica da Serra do Cachimbo

23 de Abril de 2014, 3:49, por Desconhecido - 0sem comentários ainda



Em audiência pública na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle do Senado, autoridades locais e ambientalistas discutiram o Projeto de Lei do Senado (PLS) 258/2009 que divide e altera a categoria da Reserva Biológica Nascentes da Serra do Cachimbo, localizada no sul do Pará. Pelo projeto, apresentado por um senador paraense, a reserva será dividida em duas partes, com a criação do Parque Nacional Nascentes da Serra do Cachimbo e da Área de Proteção Ambiental Vale do XV.

Diferentemente da reserva biológica, status atual da região paraense, que deve ter preservação integral, os parques nacionais podem receber visitação e ter destinação turística. No caso das áreas de proteção ambiental, é permitida a ocupação humana, com atividades econômicas ecologicamente sustentáveis e com proteção da diversidade biológica.

Segundo o presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Roberto Vizentin, das 12 categorias de unidades de conservação, a reserva biológica é a mais restritiva e se justifica pela preservação da fauna e flora em ambientes frágeis, que é o caso da Serra do Cachimbo. “De 2005 para cá, revertemos aquela situação de desgovernança verificada em um período histórico em que estourou o processo de desmatamento, com violência e ocupação desordenada. Criou-se as unidades, com 8 milhões de hectares de área protegidas no oeste do Para, uma macrorregião de aproximadamente 30 milhões de hectares”.

O ICMBio se posiciona pela manutenção da reserva biológica, entretanto o presidente do instituto acha possível uma negociação. “Ao reconhecermos que houve um processo de cima pra baixo, porque a criação de reserva biológica não exige consulta, e que afetou as pessoas da região, a situação deve ser tratada com critério e base técnica, para não se perder uma das áreas mais importantes de conservação”, disse Vizentin.

A reserva foi criada em 2005, no âmbito de um plano de desenvolvimento sustentável para a área sob influência da BR-163, atualmente em implantação, mas para o presidente da Associação de Produtores do Vale do XV, Fábio Barbosa, a iniciativa serviu de moeda de troca para a regulamentação ambiental da rodovia. “Tínhamos o sonho da pavimentação mas ele virou pesadelo. O asfaltamento vai desenvolver o maior estado produtor de grãos, o Mato Grosso, e quem vai sofrer é a população do Pará”, disse o produtor.

A conclusão da BR-163 até o Porto de Miritituba, distrito de Itaituba, no Pará, vai permitir que o escoamento da produção de grãos da região norte de Mato Grosso seja feito pelas hidrovias da Bacia Amazônica, aliviando o tráfego em direção aos portos do Sul e Sudeste do Brasil.

Para o presidente da associação, a mudança de categoria na área de conservação do Pará vai permitir o trabalho dos produtores da região, que estariam limitados por unidades de conservação, reservas indígenas e uma área militar. “É um projeto de lei que viabiliza, na prática, o que todo mundo quer, que é preservar o que é floresta fechada, e nós produtores vamos produzir seguindo os critérios ambientais. Essa indefinição é que aumenta o desmatamento. É o produtor rural que está presente no dia a dia e que se dispõe a cuidar e coibir desmatamento”, garantiu Barbosa.

Presidida pelo senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), autor do projeto, a audiência contou também com a participação do pesquisador Paulo Barreto, do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), e do engenheiro florestal Ederson Zanetti. (Agência Brasil)
Receba atualização do Blog no seu email.



Imagina os aeroportos na Copa!

22 de Abril de 2014, 20:52, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Nova área de embarque no aeroporto JK (Brasília), inaugurada em 16-4-14.
Por José Augusto Valente*, na AgênciaT1..

A imprensa, interessada no sensacionalismo que dá audiência, constrói – ou tenta construir – um cenário catastrófico, de caos generalizado, para o período da Copa 2014, no âmbito da aviação civil. Tenho lido e ouvido, com alguma frequência, a seguinte frase “se está assim agora, imagina na Copa!”.

Do que as pessoas e a imprensa reclamam?

Basicamente, de filas no check-in, atrasos, cancelamentos, demora na esteira das bagagens, pouca informação e preço das passagens.

Se quisermos entender os problemas por que estamos passando e as perspectivas futuras, inclusive na Copa 2014, precisamos definir melhor o contexto da aviação comercial brasileira.

O crescimento da aviação comercial brasileira

Até 2002, a aviação comercial brasileira era destinada à elite e às pessoas que precisavam do avião para exercer suas funções profissionais, seja em empresa privada, seja na administração pública. O baixo crescimento da atividade econômica, até então, criava pouca pressão de demanda no sistema.

Em 1995, o PIB foi R$ 0,7 trilhão e cresceu apenas 1,8 vezes, atingindo R$ 1,3 trilhão em 2002. A partir de 2002, o PIB cresceu 3,7 vezes, de R$ 1,3 trilhão para R$ 4,8 trilhão em 2013. Em 2003, o movimento operacional de passageiros atingiu 71,2 milhões, sendo 61,2 milhões em voos domésticos e 10 milhões no internacional. Em 2013, esses números subiram para 135,7 milhões, sendo 129,1 milhões em voos domésticos e 6,6 milhões no internacional. Como se vê, o número total de passageiros quase dobrou, com maior crescimento em voos domésticos. O número de pousos e decolagens nos aeroportos brasileiros passou de 1,78 milhões, em 2003, para 2,29 milhões em 2013.

O que mostram esses números?

O crescimento do número de passageiros impacta diretamente no atendimento de check-in, no tempo de embarque e desembarque e no tempo de espera das bagagens. Mas, atenção!, não impacta na necessidade de pistas e de fingers. Isso porque toda empresa aérea busca otimizar a quantidade de passageiros por aeronave. O ideal é ter 100% de ocupação e zero de capacidade ociosa. Como observamos nos números acima, esta tendência está ocorrendo.

Vamos considerar apenas os voos domésticos para ficar mais fácil. Enquanto o número de passageiros cresceu 2,1 vezes, o número de pousos e decolagens aumentou 1,3 vezes.

Além da busca pela otimização de passageiros por aeronave, a evolução do equipamento também ajuda na maior eficiência operacional. Os Airbus 319, bem como os Boeing 737-800, permitem levar mais passageiros com menores custos operacionais.

Atrasos e cancelamentos

Outro fato que merece registro, contrariando a imagem que a imprensa tenta fazer da aviação comercial brasileira, diz respeito a atrasos e cancelamentos. Seria cansativo desfilar números, mas eles estão totalmente em sintonia com padrões internacionais de regularidade.

Há que considerar que atrasos e cancelamentos são, geralmente, contratempos eventuais e assimiláveis, no mundo todo, já que o passageiro consegue realizar a sua viagem. Cancelamentos e atrasos, no Brasil, em voos domésticos, não ultrapassam 10% do total de voos. Em geral, quando ocorre mau tempo em Congonhas, dificultando pousos, isso se reflete em toda a malha aeroportuária, visto o caráter de “hub”, que tem esse aeroporto.

Capacidade operacional dos aeroportos brasileiros

No dia a dia, ao longo do ano e exceto em datas especiais, boa parte das viagens, nos principais eixos, são a trabalho ou a negócio, acarretando na necessidade de concentração de movimento em determinados horários, observando-se algum nível de ociosidade da infraestrutura aeroportuária em vários períodos, como madrugada e entre 10h e 16h.

As viagens de turismo, como serão a dos estrangeiros ou mesmo brasileiros, durante a Copa, podem ser feitas em qualquer horário do dia. E é isso que ocorrerá. Além disso, em dias de jogos importantes, especialmente os da seleção brasileira, a quantidade de viagens a trabalho ou a negócio será bastante reduzida.

Isso significa que teremos mais passageiros por motivo da Copa e menos devido a trabalho e negócio. Basta um rearranjo dos voos e todas as necessidades estarão atendidas. Ninguém imagina que aeronaves adicionais serão alugadas apenas para os menos de trinta dias da Copa, a não ser para voos internacionais!

Isso significa que a atual infraestrutura e oferta de voos poderá atender adequadamente toda a demanda.

De todo modo, os principais aeroportos brasileiros, em termos de quantidade de passageiros e pousos e decolagens, passam por obras de ampliação de capacidade e de melhoria da qualidade do atendimento. Os de Brasília, Guarulhos e Campinas estão com obras mais avançadas. No Galeão e Confins, as obras começaram há pouco. Esses cinco estão sob contratos de concessão e não dependem do orçamento público para acelerarem as obras.

Qualidade e atendimento nos aeroportos brasileiros

Para atender a demanda esperada para os jogos, foram ofertados 11,5 milhões de assentos durante o período, dos quais 12% já foram vendidos. A Associação Brasileira de Empresas Aéreas (Abear) espera um crescimento de 10% na movimentação durante o evento.

O moderníssimo Píer Sul (foto acima), do Aeroporto de Brasília, foi inaugurado em 16/4 e tem 40 mil metros quadrados da ala sul do aeroporto, com 10 novas pontes de embarque/desembarque. Com 93% das obras prontas e prazo final de entrega para o fim do mês de maio, incluindo a inauguração do Píer Norte, a capacidade desse aeroporto passará de 16 milhões para 21 milhões de passageiros/ano. O Terminal 3 de Guarulhos e o novo terminal de Viracopos estão em fase final e ampliarão muito a capacidade aeroportuária, especialmente de Guarulhos, o mais importante “hub” de voos internacionais. Finalmente, segundo a SAC, o uso de terminais provisórios acontecerá apenas em Fortaleza.

Outros aeroportos, sob gestão exclusiva da Infraero, também devem apresentar acréscimos de capacidade e melhoria dos serviços. Ainda que isso não seja totalmente necessário, ficarão mais bonitos e encantarão os turistas da Copa.

No que diz respeito ao atendimento, o governo federal vai incrementar em 209% o número de funcionários em aeroportos durante a realização da Copa. As vagas nos pátios de estacionamento crescerão 123% no período.

Além disso, 29 aeroportos considerados prioritários serão “coordenados”, o que significa que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e o Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea distribuirão permissões de pouso e decolagem para esses aeroportos a fim de evitar congestionamentos.

Tarifas abusivas?

Finalmente, quanto ao preço das passagens, hoje (22/4) consultei tarifa na Gol, Brasília-Congonhas, na véspera da abertura da Copa, e encontrei passagem a R$ 267,90, voo direto, saindo às 18h44min. Para o jogo Brasil x México, no dia 17/6, em Fortaleza, a tarifa está em R$ 948,90. Fora da Copa, encontra-se tarifa de R$ 307,90. Não sei quanto pagou quem adquiriu a passagem com mais antecedência. De todo modo, nas rotas de poucos voos, é normal aumentar muito a tarifa, em momento de pico de demanda. Lembrar que as tarifas são livres, sem controle algum pelo governo.

Conclusão

Assim, concluo que o “imagina na Copa!” não vai provocar frisson, nem gerar matérias sensacionalistas. O que não quer dizer que a imprensa abrirá mão de buscar tirar leite de pedra, catando atrasos, filas e extravios de malas, fatos totalmente normais em períodos de pico. Afinal, sempre haverá passageiros insatisfeitos, que ficarão bastante motivados de falar mal dos serviços, assim que lhes for disponibilizado um microfone e uma câmera de TV.

*José Augusto Valente é Diretor Executivo do Portal T1 de Logística e Transportes.
Receba atualização do Blog no seu email.



A Santa Ceia

19 de Abril de 2014, 2:37, por Desconhecido - 0sem comentários ainda


Entre aliados, assessores e opositores, Dilma busca os responsáveis por sua queda nas pesquisas. Faltou incluir os barões da mídia, que mesmo lucrando à beça protagonizam o Judas brasileiro.

A charge é de Renato Aroeira, publicada no jornal O dia.
Receba atualização do Blog no seu email.



As mudanças no cenário pré-eleitoral

18 de Abril de 2014, 23:14, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Dilma mantém a liderança, mas cresce o sentimento de mudanças.

Por Dornélio Silva*

A última pesquisa do Ibope publicada nesta quinta (17) comparada com a pesquisa de março mostra alterações no tabuleiro pré-sucessório. Analiso a pesquisa por duas variáveis que o Ibope vem medindo nas duas últimas pesquisas e que a grande imprensa não mostra: Potencial de voto e Sentimento de mudança. O potencial de voto é medido pelas seguintes variáveis: 1) Com certeza votaria; 2) Poderia votar; 3) Não votaria de jeito nenhum; 4) Não o conhece o suficiente para opinar. O potencial de voto é a somatória da variável “Com Certeza” e “Poderia Votar”, significando o potencial de crescimento de cada candidato. A rejeição é o fator fundamental ao confrontar-se com o potencial de voto. O pré-candidato Aécio Neves (PSDB) tinha um potencial de voto em março de 33%, em abril sobe para 35%; a sua rejeição que era de 41% cai para 39%. A presidente Dilma é que mais perde na comparação entre as duas pesquisas. Em março seu potencial era de 55%, caindo em abril para 51%; a sua rejeição que era de 38% em março, no levantamento de abril sobe para 40%. Seu saldo positivo que era de 17% em março, agora é de 11%. Eduardo Campos (PSB) teve uma pequena subida em seu potencial, passando de 26% em março para 28% em abril; a sua rejeição permanece inalterada. No entanto, o nível de conhecimento de Eduardo melhora nesse levantamento. Em março 29% não o conheciam o suficiente para votar; no último levantamento, esse desconhecimento cai para 25%. A grande novidade foi Marina Silva, o seu potencial subiu de 37% para 46%, e sua a rejeição caiu de 39% em março para 36% em abril, tendo portanto um saldo positivo de 10% que era negativo em março em 2%. O levantamento foi realizado após o aparecimento de Eduardo e Marina em programa nacional de TV.



SENTIMENTO DE MUDANÇA

O sentimento de mudança é analisado pelas seguintes variáveis: 1) “Mudasse totalmente o governo do país”; 2) “Mantivesse só alguns programas, mas mudasse muita coisa”; 3) “Fizesse poucas mudanças e desse continuidade para muita coisa”; 4)”Desse total continuidade ao governo atual”. As primeiras duas variáveis caracterizam o sentimento de mudança; as duas outras caracterizam continuidade. Comparando as duas pesquisas, o sentimento de mudança em março era de 64%; em abril esse sentimento subiu para 68%. A pesquisa foi mais além, quis saber qual o pré-candidato que tem mais condições de implementar as mudanças que o país ainda necessita. Em março, 14% dos entrevistados consideravam Aécio; já em abril subiu para 19%. Marina Silva, em março 10% a consideravam com mais condições de empreender as mudanças, agora em abril subiu para 15%. Quanto ao nome de Eduardo Campos houve pouca mudança. A queda se deu com a presidente Dilma Rousseff, em março 41% achavam que Dilma era a pessoa com mais condições de implementar as mudanças; agora, esse nível de confiança caiu para 24%, queda de 17%. 


Soma-se a essa análise o fato da aprovação do governo Dilma ter caído 9 pontos percentuais em quatro meses, de 43% (dezembro/2013) para 34% (abril/2014). Além da queda da aprovação da maneira como a presidente vem administrando o país, que saiu de 51% em março para 47% em abril. Faz-se necessário olhar o nível de confiança na presidente medido nesta última pesquisa: os que não confiam (51%) superam os que confiam (44%). O que se apreende dos números apresentados que não é uma simples oscilação dentro da margem de erro das pesquisas, há, de fato, mudanças sendo implementadas no imaginário da população eleitora do país. A questão econômica é um fator preocupante na mudança da concepção político-eleitoral. O aumento no preço da gasolina e da energia elétrica ainda vão criar impactos negativos ao governo que serão percebidos nos próximos levantamentos.

*Dornélio Silva é mestre em Ciência Política/UFPA e colaborador do blog quando o assunto é análise de pesquisas.

Leia também: Pesquisa Ibope: Dilma continua a grande favorita.
Receba atualização do Blog no seu email.



A cruzada dos Coxinhas e seu papel nas eleições

18 de Abril de 2014, 3:45, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Manifestante exibe sua camisa norte-americana e a bandeira do Brasil pixada, nos protestos de Junho de 2013.

Com o início do enfrentamento político-partidário visando as eleições de Outubro, as redes sociais estão cada dia mais repletas de coxinhas que tentam de tudo pra chamar a atenção e difundirem o ódio e a satanização seletiva contra certas pessoas, governos e partidos.

É comum vermos pessoas com esse comportamento compartilhando memes* reacionários, produzidos sem a assinatura de quem os idealizou. Além disso, é prática deste tipo de internauta distribuir artigos e vídeos de jornalistas egocêntricos e sensacionalistas. Usam o falso moralismo para vender a imagem de bons moços e passam a iludir as pessoas ao demostrarem que estão preocupados, revoltados e indignados com alguma coisa que acontece na sociedade. 

Tanto os empregados dos barões da mídia brasileira, quanto seus papagaios voluntários, parecem lutar por um país melhor, mas na verdade são pessoas que nunca se envolveram em causas sociais e que buscam agora opinar sobre política, como se estivessem em uma partida de futebol, mas não fazem nada além de cuidar do seu próprio bem estar e assim alçarem algum tipo de notoriedade, mesmo que seja apenas com os menos esclarecidos.

Por não terem o que falar na internet, acabam por se tornarem os inocentes úteis, os preferidos dos partidos conservadores em sua estratégia de massificação de suas campanhas difamatórias, contra aqueles que fazem oposição.

Ano passado, um artigo publicado na página do Observatório da Imprensa, já nos alertava para esse tipo de personagem alimentados pelo jornalixo brasileiro que nunca foi, não é, e dificilmente, será apartidário.

Significado de Memes
Receba atualização do Blog no seu email.



Vem aí outro aumento da passagem de ônibus em Belém

18 de Abril de 2014, 0:40, por Desconhecido - 0sem comentários ainda



Através de uma notinha aparentemente ingênua e quase imperceptível, publicada na coluna Repórter 70 do jornal OLiberal desta quinta-feira, 16, a prefeitura de Belém dá sinais claros de que vem aí mais um aumento da tarifa de transporte urbano em nossa mangueirosa.

Sem dizer quem eram os representantes dos usuários do deficitário e apodrecido sistema de transporte urbano da capital, presentes no evento, o superintendente da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém - SeMOB incorporou o papel de advogado dos empresário e declarou: "É importante frisar que não criamos nenhuma planilha tarifária nesta gestão ainda. Herdamos uma planilha de 2012, congelamos em 2013 e nos deparamos agora com uma demanda que reflete o momento em que a gente vive, em que houve aumento dos insumos, inclusive mais um aumento de combustível esta semana. Neste evento, estamos analisando duas situações distintas: uma tarifa pré-existente congelada e já a necessidade de pensar em um referencial de peso para uma licitação com uma nova metodologia".


Por sua vez, o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, foi mais político do que técnico e disparou um meio-termo, prevendo o desgaste com o futuro reajuste: "Maio é a data base do setor e as pressões vão ocorrer, mas temos que ter foco que tarifa é uma taxa de serviço público usado pelos mais pobres, ao mesmo tempo que é preciso que o sistema subsista, e por isso não pode ser deficitário. Essa responsabilidade social, colocada ao lado dessa responsabilidade administrativa é o cerne da questão".

Não é preciso conhecer profundamente o perfil da imprensa paraense, nem saber de sua relação umbilical  com o PSDB - partido que governa Belém e o Pará - assim como com o setor empresarial, para constar que inicia-se uma campanha pró-aumento, onde a defesa do reajuste deverá ser justificada com textos mirabolantes produzidos por jornalistas que trabalham pra família Maiorana e para a prefeitura de Belém.

Quem viver, verá.

Com informações da Agência Belém.
Foto: Oswaldo Forte.
Receba atualização do Blog no seu email.