Ir para o conteúdo

Diógenes Brandão

Tela cheia

Blog

3 de Abril de 2011, 21:00 , por Desconhecido - | 1 person following this article.
Licenciado sob Copyleft

O crescimento de Márcio Miranda nas pesquisas e a operação "Armando Brasil"

14 de Agosto de 2018, 17:45, por AS FALAS DA PÓLIS

Procurador Geral de Justiça determinou que o promotor Armando Brasil notificasse Márcio Miranda sobre a denúncia apresentada primeiramente pela imprensa.

Por Diógenes Brandão

Sem o início da campanha nas ruas, a disputa eleitoral entre Helder Barbalho (MDB) e Márcio Miranda (DEM) toma conta das redes sociais e das mídias digitais. 

A consolidação da avaliação de que quem for compreendido como ficha suja terá enormes dificuldades nas eleições para presidente, governador e senador, tem tido incidência direta nas estratégias dos grandes competidores na disputa no Pará. 

Prova disso é a tentativa de colocar todos os principais candidatos com "ficha suja" e assim  igualar todos como "farinha do mesmo saco". 

Aquela máxima ganha concreticidade no Pará: “ninguém chuta cachorro morto” e assim, nos últimos dias vimos em ação uma grande estrutura política e comunicacional produzir uma intensa artilharia, usando as redes sociais e a imprensa como um todo, contra a candidatura de Márcio Miranda, buscando - através de uma denúncia da promotoria militar estadual - carimbá-lo como desonesto, a partir da ideia de que ao se afastar da carreira militar para assumir o cargo de deputado estadual, este teria fraudado sua aposentadoria. 

Márcio Miranda defende-se e prova com documentos oficiais de que averbou o seu tempo de serviço de contribuição à previdência, o que segundo diversos advogados consultados pelo blog, garantiria total legalidade e é o rito administrativo que deveria ser tomado por qualquer deputado eleito.

Se isto é verdade, então surgem perguntas que ainda não foram feitas põe 2º Promotor de Justiça Militar, Armando Brasil, que apresentou a denúncia contra Márcio Miranda: Por que a promotoria não realizou intensa diligência sobre esta denúncia antes de apresenta-la à justiça do Estado?

Por que essa denúncia primeiro ganhou divulgação em reportagens publicadas no jornal Diário do Pará e nos veículos de comunicação da família do candidato Helder Barbalho, para depois ser encaminhada ao conhecimento de Márcio Miranda?

Sabe-se agora que o promotor Armando Brasil encaminhou para um endereço residencial errado, ainda no mês de Julho, o que conhecemos como quesitos da denúncia e se não fosse a orientação do Procurador Geral de Justiça, Gilberto Valente Martins, Armando Brasil não teria formulado os quesitos da denúncia em ofício apartado, tal como só aconteceu agora, sendo expedido através do Of. nº 381/2018, da 2ª Promotoria de Justiça Militar, renovando o prazo em até dez dias úteis, para que Márcio Miranda possa se defender.  

Com todos os principais veículos de imprensa paraense voltados apenas à divulgação da versão do denunciante e sem ouvir o denunciado, só restou a Márcio Miranda buscar defender-se através de suas próprias redes sociais e este alegou que tomou conhecimento do processo através da imprensa e de que os quesitos do MP não foram respondidos pelo fato de que estes não chegaram até ele.

Qualquer aluno do curso de Direito sabe que qualquer suspeita enviada ao Ministério Público tem como rito processual os seguintes passos: O Ministério Público faz intensa investigação ou solicita que a polícia judiciária competente execute esta investigação. 

Então a Polícia envia os resultados das investigações ao promotor que analisa os resultados e se concluir que existem provas cabais, então oferece denúncia à justiça. 

Com o promotor militar Armando Brasil nada disso aconteceu e a denúncia foi feita de forma açodada, conclui advogados com quem o blog AS FALAS DA PÓLIS conversa desde o último final de semana.

Receba atualização do Blog no seu email.



O fator Mário Couto e o inferno astral de Helder Barbalho

13 de Agosto de 2018, 19:24, por AS FALAS DA PÓLIS

Candidato ao governo do Pará, Helder Barbalho (MDB) vive um inferno astral por causa de pesquisas e perdas em sua base de apoio.
Por Diógenes Brandão

Fontes do blog AS FALAS DA PÓLIS ligadas ao staff do ex-ministro Helder Barbalho (MDB) afirmam que ele amarga uma grande perda e sofre de um mal estar que repercute e contamina os arraiais e partidos da base do MDB. 

Fato extremamente relevante foi a perda de apoio do candidato ao senado Mário Couto (PP), que vem dividindo com Jader Barbalho (MDB) as preferências eleitorais ao senado, de acordo com informações obtidas através de pesquisas internas que tem circulado no Pará, nas últimas duas semanas.   

Jader teria mostrado-se muito preocupado com o crescimento da candidatura de Mário Couto, uma vez que todos acreditam que o candidato do governador terá um enorme peso eleitoral.   

A preocupação de Jader seria a seguinte: é certo de que um candidato que seja prioritário para o governador contará com muita força administrativa, política e econômica do governo.

Então a outra vaga ficaria entre Jáder e Mário Couto, e como Couto vinha crescendo de forma desproporcional, Jader teria avaliado de que corria risco, e a solução encontrada, (supostamente contra a vontade Helder) foi abortar de forma traiçoeira a candidatura Mário Couto com a conivência do PP e dos irmãos Salame, Beto e João.  

Este fato colocou imediatamente o candidato Mário Couto em guerra contra os Barbalhos e como consequência, em risco a reeleição do candidato Beto Salame (PP) a deputado federal, uma vez que Mário Couto articulou 42 prefeitos para o apoio a Beto Salame e chegou a ligar para alguns destes, assim que anunciou que estava rompendo relações com a chapa de Helder Barbalho e por tabela, com os Salame.    

Fontes do blog afirmam que como presidente de honra do PP, João Salame entrou em campo para garantir a manutenção do apoio de Mário Couto a Beto Salame, irmão de João. 

Embora haja tido uma bandeira de paz hasteada, isso não inclui mais o apoio de Mário Couto a Helder Barbalho. Márcio Miranda faturou a conta, informa uma fonte do PP.

Em síntese, os interesses de Jader prevaleceram sobre a tática eleitoral que ampliava a base eleitoral de Helder Barbalho ao governo.   

Agora Helder se depara com o crescimento acelerado da candidatura Márcio Miranda.   

Para diversas fontes consultadas pelo blog, neste momento, Helder Barbalho vive um inferno astral em sua campanha eleitoral e até suas aparições e agendas de campanha diminuíram.

Além do crescimento do seu principal adversário nas pesquisas e dos problemas em arregimentar a totalidade dos prefeitos e lideranças dos partidos que estão em sua chapa, Helder ouviu e não esquece: Mário Couto prometeu infernizar a vida dos Barbalho nos próximos 60 dias.
Receba atualização do Blog no seu email.



Campanha eleitoral inicia com pesquisas da DOXA e do IBOPE

13 de Agosto de 2018, 1:16, por AS FALAS DA PÓLIS



Por Diógenes Brandão


O blog Ver-O-Fato, mantido com rara independência e necessária imparcialidade pelo jornalista paraense Carlos Mendes, publicou neste sábado (11) uma pequena análise, onde registrou a ausência de pesquisas eleitorais no Pará. 

De fato, desde fevereiro não há publicação de nenhuma pesquisa eleitoral no Estado, apesar de sabermos que pesquisas internas foram realizadas durante este período e serviram para alimentar com informações, os estrategistas dos partidos e seus respectivos candidatos, na tomada de decisão e na formulação de alianças, entre outras ações de campanha.

Com a conhecida e insistente curiosidade de blogueiro, fiz mais uma visita ao site do TSE - Tribunal Superior Eleitoral e lá encontrei duas pesquisas registradas: Uma do Ibope, encomendada pela Televisão Liberal S/A, afiliada à Rede Globo no Pará e outra da DOXA, encomendada pela Gravasom Comercial Fonográfica e Publicidade LTDA, a qual edita o jornal A Província do Pará

As duas pesquisas foram registradas neste domingo (12) e devem começar a coleta de dados em todas as regiões do Estado, durante a semana e os seus resultados já devem estar finalizados na próxima sexta-feira (17). 

A partir disso, já no sábado poderemos saber o resultado das checagens feitas nas ruas, sobre a preferência do eleitorado paraense para o governo e o senado.

Até lá, o clima deve esquentar nas redes sociais, pois bolhas de discussões permeiam narrativas pró e contra os principais candidatos, sobretudo ao governo, onde Helder Barbalho (MDB) e Márcio Miranda (DEM) possuem as maiores torcidas e militâncias ativas, as quais tornam o debate acalorado, já que nas ruas não se vê absolutamente nada do clima eleitoral, haja vista, as sanções previstas pelas últimas mudanças nas regras eleitorais, que praticamente limitaram a propaganda eleitoral partidária às redes sociais, até o início oficial da campanha, que é dia 16 de Agosto, a próxima quinta-feira.

Receba atualização do Blog no seu email.



A polêmica sobre a pesquisa que aborreceu Helder Barbalho

12 de Agosto de 2018, 14:16, por AS FALAS DA PÓLIS

Ao ver os números que provavelmente não lhe seriam favoráveis, Barbalho disse ao presentes à reunião que a pesquisa não batia com a realidade, afirma o jornalista Hiroshi Bogéa.

Por Diógenes Brandão

A busca por informações sobre a posição dos candidatos que disputam a preferência do eleitor paraense tem levado muita gente a especular sobre o quadro em que se encontra cada candidato que disputa as vagas de deputado, senador e de governador do Estado. 

Em uma postagem que circulou no início da semana, o jornalista e blogueiro Hiroshi Bogea relatou o seguinte: 


Em reunião ocorrida em Belém nos momentos que antecederam a realização das convenções partidárias, no último final de semana, o candidato ao governo Helder Barbalho recebeu das mãos do advogado Jarbas Vasconcelos (PV) resultado de uma pesquisa por este encomendada, feita ela Doxa.  

Ao ver os números que provavelmente não lhe seriam favoráveis, Barbalho disse ao presentes à reunião que a pesquisa não batia com a realidade.  

E passou a fazer críticas às pesquisas da Doxa, insinuando que o instituto do cientista político Dornélio Silva não refletia trabalhos de confiança.  

Rapidamente, alguns políticos sentados à sala reagiram, entre eles, a ex-governadora Ana Júlia, candidata a deputada federal pelo PCdoB, e o próprio Jarbas Vasconcelos, candidato ao Senado pelo PV.  

O ex-presidente da OAB-Pará pediu a Helder que não criticasse a empresa de Dornélio.  

Jarbas disse que conhece Dornélio de muitos anos,” chegamos a estudar juntos”, depositando total confiança no trabalho da Doxa.  Na mesma direção, reagiu Ana Júlia.  – “Não, Helder. Não é assim. A Doxa tem credibilidade, basta verificar  os resultados das pesquisas realizadas nas duas últimas eleições. Os números foram fieis aos resultados das urnas”.  

Na sala, havia pelo menos umas doze pessoas, incluindo Helder Barbalho.  

A reação nervosa de Barbalho, segundo palavras de um dos políticos que presenciaram o fato, deve ter sido alimentada, “provavelmente, pelos números da pesquisa, que mostraram sensível alteração no humor do eleitorado em relação às pesquisas realizadas até dois meses atrás”.

Logo depois Informação da divulgação destes diálogos, a caixa de comentários do blog de Hiroshi foi bombardeada de mensagens e ele as trouxe à luz do dia, publicando-as na linha do tempo do seu blog em outra postagem intitulada Post sobre desqualificação de pesquisa Doxa continua repercutindo. 

Informação aqui divulgada sobre a reação do candidato ao governo do Pará Helder Barbalho ao resultado de uma pesquisa, realizada no Estado pelo Instituto Doxa, gerou discussões nas redes sociais e manifestações na caixa de comentários do blog.  

Numa delas, o jornalista José  Maria Piteira, assessor do candidato ao Senado Jarbas Vasconcelos, afirmou que a nota era invencionice do blogueiro.  

Certamente desconhecedor do respeito que o blog tem pelos seus leitores, e do cuidado em buscar a autenticidade das informações, Piteira foi logo, afobadamente, baixando o ´trezoitão´ na tentativa de desqualificar o post.  

A reunião alvo do texto ocorreu na residência do advogado Jarbas Vasconcelos, fato que o jornalista tentou esconder ao fazer o comentário publicado no blog, induzindo à leitura de que o resultado da pesquisa não teria sido mostrado aos participantes do encontro, já que a mesma seria exclusivamente de “consumo interno”.  

A pesquisa foi apresentada a Barbalho e, prontamente, seu resultado criticado pelo candidato emedebista.  

A fonte geradora da informação, sentada numa das cadeiras da sala residencial de Vasconcelos, pode ter se confundido em algumas palavras ouvidas, ao repassar o fato ao blogueiro, mas preservou o conteúdo principal da discussão, exatamente aquilo que nos interessa: houve uma discordância de Barbalho com os números Doxa.  

A ex-governadora Ana Júlia, candidata a deputada federal, enviou mensagem ao blog pelo whatsapp, confirmando sua presença na reunião, mas assegura que não disse exatamente as palavras aspadas no post.  

“Só disse que eu conhecia o Dornélio há muitos anos, eu e Jarbas militamos juntos, mas não fiz referências ao resultado de outras pesquisas”.  

Fica registrada a retificação da ex-governadora.  

Como também fica ratificado o conteúdo do post, e seus desdobramentos.  

Abaixo, print da mensagem de Ana Júlia enviada ao blogueiro.



Receba atualização do Blog no seu email.



A volta do anzol: Mário Couto continuará na disputa eleitoral

9 de Agosto de 2018, 3:55, por AS FALAS DA PÓLIS

Apesar de ter dito que sairia da disputa eleitoral e do seu partido, o PP, Mário Couto sinaliza de que pode manter a candidatura, mas não vai mais apoiar o candidato ao governo que seu partido está aliado. 

Por Diógenes Brandão

Mesmo sendo desnecessário lembrar, faremos por uma questão de justiça, já que muitos blogs e veículos de comunicação online surgem com a boçalidade de querer imprimir a ideia de que são os melhores, os mais bem informados, os que sabem mais e estão sempre na frente dos demais, sobre os acontecimentos políticos do Estado do Pará. Mas é claro, tudo não passa de bravata jornalística e fake marketing.

Indo direto ao que interessa, cabe lembrar de que ao anunciarmos na noite desta última segunda-feira (06), há poucas horas do prazo final para que as chapas eleitorais fizessem a inclusão eletrônica junto à justiça eleitoral das atas das suas respectivas convenções partidárias, na matéria Candidatos ao senado podem mudar de lado por desconhecimento das regras eleitoraisalertamos em primeira mão de que poderiam haver rupturas nas coligações e acordos eleitorais no Pará. 

E foi isso que aconteceu.

Para se ter ideia de como a confusão em torno da polarização em que as eleições se encontram no Estado, o PV por exemplo, registrou em ata o apoio informal ao candidato Helder Barbalho (MDB), mas seu presidente e a maior parte dos vereadores e lideranças do partido anunciaram que irão acompanhar Márcio Miranda (DEM). O mesmo acontece como PSD, conforme já havia sido previsto aqui.


Segundo um advogado especialista em direito eleitoral, a ata do PP, lançou na chapa majoritária ao senado, a junção do PRTB com o PP, formando a coligação denominada “TODOS PELO PARÁ”, cujo candidato ao senado ficou sendo o Mário Couto (PP), tendo Eslon Martins (PP) na primeira suplência e Fabrícia Barrudada (PRTB) na segunda suplência.



Até aí tudo bem. Mas acontece que o partido de Mário Couto, pretendia compor a chapa majoritária ao senado, junto com o MDB, e este chamou Mário Couto na segunda-feira, a poucas horas de fecharem a ata do partido, para informá-lo que o candidato que acompanharia o candidato Jader Barbalho na chapa majoritária ao senado, seria Zequinha Marinho (PSC). 

Tal deliberação foi recebida com enorme indignação por parte de Mário Couto, que preterido, saiu da reunião disposto a romper a aliança com os Barbalhos. 

É que sem a coligação do PP com o MDB na chapa ao senado, o tempo de Mário Couto na propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV seria diminuto, inviabilizado seus planos de ter condições de ter uma campanha eleitoral eletrônica com tempo similar aos seus principais concorrentes: Jader Barbalho (MDB), Flexa Ribeiro (PSDB), Ursula Vidal (PSOL) e Zé Geraldo (PT).

Daí, que no dia seguinte, Mário Couto convocou uma coletiva de imprensa em sua casa e declarou de forma contundente o rompimento com seu partido e com a família Barbalho, anunciando logo em seguida o apoio a Márcio Miranda (DEM), pré-candidato ao governo e principal adversário de Helder Barbalho (MDB) na disputa eleitoral do Estado.

Mário Couto não poupou os adjetivos para cima de quem acusou de responsáveis por traí-lo covardemente.

Leia aqui e assista aqui e aqui.

No entanto, na noite desta quarta-feira (08), fontes do blog AS FALAS DA PÓLIS enviaram com exclusividade e em primeira mão, a informação de que Mário Couto decidiu aceitar o conselho de amigos e apoiadores, que inclusive criaram um movimento nas redes sociais, denominado "Volta Mário Couto" e resolveu manter as conversas com seu partido, que emitiu nota de esclarecimento, onde pontuou que procedeu de forma correta o registro dele como candidato ao senado e pediu a manutenção do diálogo.

Bombeiros entraram em campo para agilizar as negociações e conseguiram apaziguar a relação entre Mário Couto e os irmãos Beto Salame e João Salame, presidente estadual e presidente de honra do PP paraense, respectivamente.

Candidato à reeleição, Beto Salame foi orientado a enviar emissários e se fosse o caso, até procurar Mário Couto para pessoalmente convencê-lo a não deixar o partido e nem o processo eleitoral, sobretudo magoado, pois se realizasse a anti-campanha que prometeu, a estratégia de campanha dos Progressistas seria muito abalada.

É possível que uma nova coletiva à imprensa seja convocada para Mário Couto informar que continua no jogo, já que está devidamente registrado na ata do seu partido, formalizada junto à justiça eleitoral.

Curiosamente e diferente do que muitos blogs e veículos de imprensa noticiaram, a ata da convenção do MDB, no que se refere à chapa majoritária ao senado, apresentou apenas o nome de Jader Barbalho, assim como de Helder Barbalho para a chapa majoritária ao governo. 

A ata informa que a convenção do MDB aprovou também, "à unanimidade, a delegação de poderes para a Comissão Executiva Estadual do partido formalização do restante da chapa, inclusive autorizando ajustes futuros, antes de prazo limite fixado pela legislação para cada caso e para cada cargo eletivo, podendo para tanto homologar, substituir, acrescentar, e, no caso de eleições proporcionais, suprimir nomes em caso de coligação proporcional, estando o MDB, por meio de sua Comissão Executiva Estadual a proceder com os atos necessários perante a Justiça Eleitoral", conclui a ata mdbista.

Dia 15 de agosto é o último dia para os partidos políticos e as coligações apresentarem junto à Justiça Eleitoral o requerimento de registro de candidatos e no dia 16, inicia a campanha eleitoral nas ruas e na internet, onde os partidos e candidatos podem pedir votos com seus respectivos números.
Receba atualização do Blog no seu email.



Candidatos ao senado podem mudar de lado por desconhecimento das regras eleitorais

6 de Agosto de 2018, 20:00, por AS FALAS DA PÓLIS


Por Diógenes Brandão

Uma bomba caiu em cima das principais chapas partidárias do Estado do Pará. É que ao acessarem o sistema para cadastro das chapas majoritárias, os partidos descobriram que as coligações só podem ter apenas dois candidatos ao senado. 

Com isso as coligações estão em reuniões afim de encontrar uma saída para o imbróglio criado pela falta de orientação dos assessores jurídicos dos pré-candidatos e seus partidos. 

A coligação formada em apoio à candidatura de Helder Barbalho, que conta com MDB, PR, PTB, PSD, PP, PSL, PRTB, PSC, PHS, PMB, Pode, Pros, Avante, Patri, PTC, DC e PV e que possui como pré-candidatos ao senado, o atual senador Jader Barbalho (MDB), Zequinha Marinho (PSC), Ibanês Taveira (PTC), Jarbas Vasconcelos (PV) e Mário Couto (PP) terão que optar por apenas dois dos cinco pré-candidatos.

Já na coligação formada em apoio ao pré-candidato Márcio Miranda, que tem como vice,  José Megale (PSDB) e os partidos coligados: DEM, PSDB, PSB, PDT,  PPS, PRP, PMN e SD na eleição para o senado, terão que optar entre os nomes de Coronel Osmar (PDT), Flexa Ribeiro (PSDB), Rômulo Maiorana (PMN), Sidney Rosa (PSB) e Wlad Costa (SD).

As mudanças de lado são cogitadas e logo mais o blog AS FALAS DA PÓLIS retorna com as possíveis mudanças nas chapas eleitorais. 
Receba atualização do Blog no seu email.



Eleições para o governo do Pará: Os rachas, as rebeldias e desobediências dos candidatos

5 de Agosto de 2018, 6:21, por AS FALAS DA PÓLIS

Apesar de manterem-se amigos, Simão Jatene assiste o seu ex-vice governador, o advogado tributarista Helenilson Pontes, que preside o PSD no Pará, ir para o lado do MDB, principal adversário do governador, que pretende deixar segundo ele: "O Pará em boas mãos".

Por Diógenes Brandão

Com a realização das convenções do MDB, no sábado (04) e do DEM, neste domingo (05), os dois principais blocos político-partidários que disputam o governo do Pará consolidam suas políticas de aliança em torno de Helder Barbalho e Márcio Miranda, respectivamente.

Acontece, no entanto, que nem tudo são flores. Vários partidos satélites destes dois grandes adversários estão rachados e até a homologação e pedido de registro dos candidatos, prevista para o próximo dia 15, muitas desistências de candidaturas e desobediências partidárias deverão acontecer, deixando as previsões de vitória ainda mais indefinidas.

Como a partir do dia 16, já é permitida a realização de propaganda eleitoral, como comícios, carreatas, distribuição de material gráfico e propaganda na internet (desde que não paga), veremos candidatos e parlamentares de partidos coligados com Helder Barbalho, fazendo campanha para Márcio Miranda e vice-versa. 

Esse fenômeno causado pelos rachas partidários é a chamada infidelidade partidária, que pode ser punida logo após o fim do processo eleitoral e atingir de forma visceral partidos como o PCdoB, que tem sinalizado fazer uma aliança com o PT, vindo a indicar a ex-vereadora de Belém, Sandra Batista como vice de Paulo Rocha, mas o único parlamentar comunista no legislativo estadual declarou recentemente apoio ao candidato do DEM, neste caso o Márcio Miranda. Vale lembrar, que eleito como único vereador comunista da capital paraense, Moa Moraes foi expulso do PCdoB em. 

Hoje nas fileiras tucanas, o vereador disse em uma página do Facebook que foi expulso "por ser filho do meu pai (o ex-vereador petista Iran Moraes), ser evangélico e não defender o partido.  Na vdd sabemos que foi um golpe sujo de uma certa pessoa que por ter medo de uma disputa justa nas urnas ficou com medo de ter menos votos q eu novamente. Mas faz parte... só estranho um partido que tanto lutou contra a perseguição e ditadura fazer isso cmg e não aceitar minha religião tb algo que jamais teria acontecido na gestão do meu amigo Newton Miranda. Hj me sinto bem no PSDB e preparado pra combater todo o tipo de corrupção."

Como já foi alertado aqui, o PSD encontra-se em volta de uma grande revolta interna, já que dos seus 02 deputados federais, apenas um, Eder Mauro, vai apoiar Helder Barbalho, enquanto que o deputado federal Joaquim Passarinho, assim como os deputados estaduais Coronel Neil, Júnior Ferrari e Gesmar Souza - assim como importantes prefeitos, vice-prefeitos e alguns vereadores que juntos representam a maioria do partido - demonstraram repúdio à imposição do PSD nacional, de obrigar o comando local do partido a apoiar a candidatura de Helder Barbalho. 

Daqui a pouco eu volto com novidades sobre essa indicação, que será anunciada nas próximas horas.
Receba atualização do Blog no seu email.



02 senadores e 05 deputados federias do Pará não estão aptos ao Prêmio Congresso em Foco 2018

1 de Agosto de 2018, 15:59, por AS FALAS DA PÓLIS

 Com seus nomes envolvidos em ações penais ou a inquéritos criminas, Jader Barbalho (MDB) e Paulo Rocha (PT) não podem participar do Prêmio "Congresso em Foco".

Por Diógenes Brandão


Aberta desde o dia 1º e tendo indo até o dia 31 de julho, a votação online da 11ª edição do Prêmio Congresso em Foco, não mobilizou a maioria dos parlamentares paraenses aptos a disputar a indicação  pelo voto da população, que pode escolher o melhor deputado e senador através da plataforma online do prêmio. 

Além dos votos da população, os premiados serão avaliados por um júri especializado e por jornalistas que cobrem as atividades do Congresso Nacional. O objetivo do prêmio é reconhecer o trabalho dos deputados federais e senadores que se destacam positivamente no exercício do mandato. 

Do Pará, só o deputado federal Edmilson Rodrigues (PSOL) e o senador Flexa Ribeiro (PSDB) divulgaram o prêmio entre sua militância e pediram votos, sendo que dos 03 senadores paraenses, só Flexa está apto a participar da premiação, já que segundo as regras da premiação, só podem ser premiados os parlamentares que não respondem a ações penais ou a inquéritos criminais.  Ou seja, Jader Barbalho (MDB) e Paulo Rocha (PT) estão fora da disputa.

Dos 17 deputados federais, Eder Mauro (PSD), Beto Faro (PT), Wladimir Costa (SD), Josué Bengtson (PTB) e José Priante (MDB) por também responderem por ações penais ou a inquéritos criminas, não participam do Prêmio Congresso em Foco 2018.


Beto Faro (PT), Eder Mauro (PSD), José Priante (MDB), Josué Bengtson (PTB) e Wladimir Costa (SD) não não podem participar do Prêmio "Congresso em Foco".  


Prêmio tenta desconstruir a falsa ideia de que todos os parlamentares são ruins   

Agora em sua 11ª edição, o prêmio tem a pretensão de ser mais do que um meio de “reconhecer o trabalho dos deputados federais e senadores que se destacam positivamente no exercício do mandato”, primeiro objetivo citado no regulamento. Em última instância, ele investe contra mitos alimentados em diferentes campos ideológicos – “todo político é bandido”, “melhor seria fechar o Congresso” etc. – que negam os ganhos que o Parlamento, a política e a própria democracia podem trazer à sociedade.

Os premiados serão conhecidos em um evento previsto para o dia 13 de agosto, em Brasília (DF).  Para participar bastava acessar a plataforma online e votar em até 04 categorias: 

Melhor Deputado de 2018
Melhor Senador de 2018
Destaque no Combate á Corrupção e ao Crime Organizado
Destaque na Redução das Desigualdades Sociais
Defesa da Agropecuária e
Defesa da Advocacia Pública

Você poderia votar em até dois nomes para as duas categorias gerais (melhor senador e melhor deputado) e em um nas demais. Atenção: cada parlamentar só pode ser votado em uma categoria especial. 

Conheça o nome e a votação que recebeu cada parlamentar paraense e saiba quais estavam aptos ou não a receber o voto popular:

SENADORES

Flexa Ribeiro (PSDB) - 1.817.644 votos
Jader Barbalho (MDB) - 1.799.762 votos
Paulo Rocha (PT) - 1.399.976 votos

Eder Mauro (PSD) - 265.983 votos
Nilson Pinto (PSDB) - 193.573 votos 
Edmilson Rodrigues (PSOL) - 170.604 votos
Lúcio Vale (PR) - 148.163 votos
Beto Faro (PT) - 142.970 votos
Wlad (SD) - 141.213 votos
Josué Bengtson (PTB) - 122.995 votos
Priante (PMDB) - 122.348 votos 
Zé Geraldo (PT) - 105.151 votos
Beto Salame (PROS) - 93.524 votos 
Elcione (PMDB) - 87.632 votos
Júlia Marinho (PSC) - 86.949 votos 
Hélio Leite (DEM) - 85.194 votos
Simone Morgado (PMDB) - 76.510 votos 
Joaquim Passarinho (PSD) - 76.148 votos
Arnaldo Jordy (PPS) - 70.950 votos
Chapadinha (PSD) - 63.671 votos


Obs: Os nomes tachados e de cor vermelha não estavam aptos a concorrer ao Prêmio Congresso em Foco.
Receba atualização do Blog no seu email.



Helder convidou Wandenkolk há dois anos atrás

31 de Julho de 2018, 16:19, por AS FALAS DA PÓLIS

Wandenkolk Gonçalves deixa o PSDB e aceita o antigo convite de Helder para se filiar ao (P)MDB.

Por Diógenes Brandão

Circula desde a manhã desta segunda-feira, o pedido de desfiliação do ex-deputado federal Wandenkolk Gonçalves.

Para o jornalista Marcelo Bacana, o PSDB perde um tucano de altíssima plumagem. 

"O ex prefeito de Curionópolis Chamonzimho foi quem intermediou para que Wandenkolk assinasse nos próximos dias sua nova ficha de filiação partidária, que será o MDB, onde o ex deputado deverá apoiar as pré-candidaturas de Helder ao governo e Chamonzimho a deputado estadual", publicou o Bacana News.

Mas para um leitor do blog em Itupiranga, cidade do ex-deputado federal Wandenkolk Gonçalves, a informação é de que ele sai do PSDB para o PMDB, por ciúmes de duas lideranças locais que o superaram na política.

"É que Benjamin Tasca  e Adécimo Gomes fecharam apoio a Márcio Miranda, pré-candidato ao governo e ungido pela cúpula tucana no Pará. Tanto Bejamin, quanto Adécimo são lideranças de Itupiranga e superaram o ex-deputado federal por aqui e como resolveram anunciar apoio a Márcio Miranda, Wandenkolk resolveu finalmente cedeu ao asseédio de Helder Barbalho (MDB) para se filiar ao seu partido", revela o leitor do blog, que pediu anonimato.

Em um audio enviado pelo Whatsapp, o leitor do blog também afirmou que o convite de Helder ao ex-tucano é feito desde 2016, quando ele já sem mandato ainda tinha alguma relevância e potencial político, mas que hoje, Wandenkolk sai da política pela porta dos fundos, sendo defenestrado pela cúpula tucana, principalmente pela má fama de ser mentiroso.

Em 2013, ao participar de um protesto em Brasília, Wandenkolk acabou levando um soco de um segurança da Câmara dos Deputados, quando ainda era deputado federal pelo PSDB.

Em 2014, a ex-governadora Ana Júlia Carepa chamou Wandenkolk de “leviano”. No mesmo ano, o deputado tentou a reeleição, mas teve uma votação inexpressiva para o intento e desde então está sem mandato político, sendo que foi aconselhado em 2016 a não disputar uma cadeira de vereador em Itupiranga, pois seus poucos apoiadores sabiam que seria difícil.

Ano passado, o Ministério Público Federal denunciou Wandenkolk Gonçalves e mais 71 ex-deputados federais, por desvio de dinheiro (peculato), por uso irregular da cota de passagens aéreas. Ele usou 271 passagens, totalizando um prejuízo aos cofres públicos no valor de R$ 153.594,21. 

Segundo matéria da revista IstoÉ, o caso foi revelado em 2009 e ficou conhecido como “farra das passagens” porque senadores, deputados e ministros de governo usavam cotas de bilhetes aéreos para viajar pelo mundo a passeio ou para cedê-las a eleitores e terceiros, além de revelar um esquema de venda ilegal de créditos em agências de turismo.

Receba atualização do Blog no seu email.



As mudanças no tabuleiro eleitoral do Pará

28 de Julho de 2018, 14:11, por AS FALAS DA PÓLIS

Jarbas Vasconcelos confirma que pode deixar a disputa do senado pelo governo do Pará. Foto do seu Facebook. 

Por Diógenes Brandão

O Pará tem 3 senadores: Flexa Ribeiro (PSDB), Jader Barbalho (MDB) e Paulo Rocha (PT).    

Dois deles, Flexa e Jader disputam a reeleição. Assim como eles, mais 13 pré-candidatos tentam a sorte no dia 07 de Outubro. 

São eles: Mário Couto (PP), Zé Geraldo (PT), Jader Barbalho (MDB), Jarbas Vasconcelos (PV), Flexa Ribeiro (PSDB), Ursula Vidal (PSOL), Zequinha Marinho (PSC), Xaropinho do Povo (PPL), Coronel Osmar (PDT), Sidney Rosa (PSB), Dr. Elenilson Santos (Avante), Pastor Ibanes (PTC), Chiquinho Alves (PRB), Wladimir Costa (SD) e Peteca de Jesus (PSC).

Em um programa de rádio (provavelmente sua), o deputado federal Wladimir Costa (SD) anunciou nesta sexta-feira (27), que será candidato ao senado. Duas vagas são disputadas pelos postulantes.  

MUDANÇA DE RUMO

Zé Carlos, Presidente Estadual do PV-PA, está em Brasília, onde participa da convenção nacional do Partido Verde. O evento define a posição dos verdes em relação à disputa presidencial e o leque de alianças nacionais e estaduais.  

O PT não goza do apoio dos verdes há muito tempo, por isso, o veto à aliança com Paulo Rocha (PT) no Pará já era esperado por todos, menos pelo pré-candidato ao senado, o advogado Jarbas Vasconcelos, que confirmou o que adiantamos ontem: Ele avalia trocar a disputa ao senado para lançar-se candidato ao governo do Pará. E justifica: "É uma reação legítima ao atentado sofrido à minha candidatura ao senado".

Anunciado como pré-candidato ao senado, Jarbas Vasconcelos (PV) travou longas conversas com o senador Paulo Rocha, mas o plano de uma aliança foi por água a baixo. Com isso, Jarbas pensa em apresentar seu nome ao governo. 

Se essa possibilidade for confirmada pelo PV, Jarbas Vasconcelos retira votos da esquerda, pois tem trânsito e apoiadores nesse meio. Além disso, tira voto de que ainda pensa no voto útil pró-Lula, que Paulo Rocha acabaria recebendo por osmose, devido o ressentimento pela prisão do ex-presidente. 

E olha, Jarbas tem recursos próprios para tocar parte de sua caminhada é um bom debatedor para a campanha no rádio e na TV. 

Não se sabe se o PV quer isso, já que tem conversas adiantadas com o deputado estadual Márcio Miranda (DEM), afim de apoiá-lo ao governo do Estado.

O ISOLAMENTO DO PT

Quanto ao PT, segue isolado e sem o apoio de nenhum partido. 

O único que sinaliza abraçar o náufrago é o PCdoB, mas tá cobrando caro demais pelos poucos votos que tem e exige muito: Apoio prioritário à candidatura federal da ex-governadora Ana Júlia. Os pré-candidatos a deputados do PT querem saber se serão novamente sacrificados para manter os caprichos do cacique do PT, que eleito por 8 anos como senador, ainda exige submissão aos seus acordos eleitorais com o MDB e o setor empresarial do Estado.

Daqui para o fim do prazo para que os partidos decidam e anunciem oficialmente seus candidatos, muita coisa ainda pode acontecer e o blog AS FALAS DA PÓLIS estará atento para deixar todos muito bem informados sobre os bastidores dessas articulações políticas.
Receba atualização do Blog no seu email.



As mudanças no tabuleiro eleitoral no Pará

28 de Julho de 2018, 14:11, por AS FALAS DA PÓLIS

JarbasVasconcelos confirma que pode deixar a disputa do senado pelo governo do Pará. Foto do seu Facebook. 

Por Diógenes Brandão

O Pará tem 3 senadores: Flexa Ribeiro (PSDB), Jader Barbalho (MDB) e Paulo Rocha (PT).    

Dois deles, Flexa e Jader disputam a reeleição. Assim como eles, mais 13 pré-candidatos tentam a sorte no dia 07 de Outubro. 

São eles: Mário Couto (PP), Zé Geraldo (PT), Jader Barbalho (MDB), Jarbas Vasconcelos (PV), Flexa Ribeiro (PSDB), Ursula Vidal (PSOL), Zequinha Marinho (PSC), Xaropinho do Povo (PPL), Coronel Osmar (PDT), Sidney Rosa (PSB), Dr. Elenilson Santos (Avante), Pastor Ibanes (PTC), Chiquinho Alves (PRB), Wladimir Costa (SD) e Peteca de Jesus (PSC).

Em um programa de rádio (provavelmente sua), o deputado federal Wladimir Costa (SD) anunciou nesta sexta-feira (27), que será candidato ao senado. Duas vagas são disputadas pelos postulantes.  

MUDANÇA DE RUMO

Zé Carlos, Presidente Estadual do PV-PA, está em Brasília, onde participa da convenção nacional do Partido Verde. O evento define a posição dos verdes em relação à disputa presidencial e o leque de alianças nacionais e estaduais.  

O PT não goza do apoio dos verdes há muito tempo, por isso, o veto à aliança com Paulo Rocha (PT) no Pará já era esperado por todos, menos pelo pré-candidato ao senado, o advogado Jarbas Vasconcelos, que confirmou o que adiantamos ontem: Ele avalia trocar a disputa ao senado para lançar-se candidato ao governo do Pará. E justifica: "É uma reação legítima ao atentado sofrido à minha candidatura ao senado".

Anunciado como pré-candidato ao senado, Jarbas Vasconcelos (PV) travou longas conversas com o senador Paulo Rocha, mas o plano de uma aliança foi por água a baixo. Com isso, Jarbas pensa em apresentar seu nome ao governo. 

Se essa possibilidade for confirmada pelo PV, Jarbas Vasconcelos retira votos da esquerda, pois tem trânsito e apoiadores nesse meio. Além disso, tira voto de que ainda pensa no voto útil pró-Lula, que Paulo Rocha acabaria recebendo por osmose, devido o ressentimento pela prisão do ex-presidente. 

E olha, Jarbas tem recursos próprios para tocar parte de sua caminhada é um bom debatedor para a campanha no rádio e na TV. 

Não se sabe se o PV quer isso, já que tem conversas adiantadas com o deputado estadual Márcio Miranda (DEM), afim de apoiá-lo ao governo do Estado.

O ISOLAMENTO DO PT

Quanto ao PT, segue isolado e sem o apoio de nenhum partido. 

O único que sinaliza abraçar o náufrago é o PCdoB, mas tá cobrando caro demais pelos poucos votos que tem e exige muito: Apoio prioritário à candidatura federal da ex-governadora Ana Júlia. Os pré-candidatos a deputados do PT querem saber se serão novamente sacrificados para manter os caprichos do cacique do PT, que eleito por 8 anos como senador, ainda exige submissão aos seus acordos eleitorais com o MDB e o setor empresarial do Estado.

Daqui para o fim do prazo para que os partidos decidam e anunciem oficialmente seus candidatos, muita coisa ainda pode acontecer e o blog AS FALAS DA PÓLIS estará atento para deixar todos muito bem informados dos bastidores dessas articulações políticas.
Receba atualização do Blog no seu email.



Esquadrilha da Fumaça se apresenta em Belém depois de 07 anos e arranca suspiros de 60 mil pessoas

26 de Julho de 2018, 7:34, por AS FALAS DA PÓLIS

Esquadrilha da Fumaça propiciou um espetáculo nos céus de Belém na tarde desta quarta-feira (25).
Foto: Raimundo Paccó/Estadão.

Por Diógenes Brandão

A previsão da meteorologia indicava a possibilidade de chuva, o que poderia estragar a festa, mas sob o calor de mais uma tarde de verão, deu tudo certo. O trânsito simplesmente parou com engarrafamentos em diversos pontos de Belém. No entanto, ao invés de reclamações e estresse, todos fitavam os céus para apreciar o show.

É que no ar, sete aeronaves do modelo A-29 Super Tucano faziam piruetas e manobras radicais e na terra, milhares de pessoas curtiam o espetáculo com gritos, suspiros e aplausos. 

Um show para quem foi assistir a apresentação. Foto: Raimundo Paccó/Estadão.

Foi assim que a apresentação do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), mais conhecido como Esquadrilha da Fumaça levou só para a Estação das Docas, cerca de 60 mil pessoas, segundo a coordenação da OS Pará 2000, que administra o local. 

Os prédios do centro também ficaram cheios de pessoas, muitas delas aproveitavam para filmar e fotografar as piruetas dos pilotos da Força Aérea Brasileira. 

Cerca de 60 mil pessoas lotaram a Estação das Docas para assistirem a apresentação da Esquadrilha da Fumaça. Foto: Eliseu Dias/Agência Amazon.

Em atividade há cerca de 60 anos, a Esquadrilha da Fumaça não vinha a Belém há 07 anos. 

O blog apurou que a volta do espetáculo aos céus de Belém foi articulada pelo deputado federal Nilson Pinto (PSDB), que desde o mês de Abril, preside em Brasília a Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados. Por sua relação com a cúpula das forças militares, o deputado paraense foi atendido em seu pedido para que Belém fosse escolhida como uma das cidades para integrar o tour da Esquadrilha da Fumaça pelo Norte-Nordeste do país. 

No Norte, além de Belém, só Porto Nacional, no Estado do Tocantins receberá a ilustre visita destes aeronautas. O circuito de visitas da Esquadrilha da Fumaça às cidades faz parte da comemoração pelos 145 anos de Santos Dumont e durante 20 dias, os pilotos farão apresentações das manobras, com o objetivo de difundir a imagem da FAB.

Em cima da Baía do Guajará, os aviões da FAB fizeram arte nos céus de Belém. Foto: Cristiano Cantão.

oficial de comunicação da Esquadrilha, tenente Eduardo Marques, informou falou ao jornal OLiberal, sobre a satisfação de retornar a Belém depois de sete anos. “A novidade são os novos aviões, estamos pela primeira vez com os A-29 Super Tucanos. Essas aeronaves guarnecem as fronteiras do nosso país. São aviões de ataque projetados para levar armamentos. Na categoria, é o melhor que há no mundo, então é muito importante apresentar o avião, porque a tecnologia é 100% nacional, motivo de muito orgulho para nós”, pontuou.

Da janela do seu prédio,  Marcelo Kalif também registrou as manobras radicais dos pilotos da FAB.

Do forte do Castelo, Thiago Gomes registrou os aviões e os espectadores do show promovido pela Esquadrilha da Fumaça.

Com um azul perfeito no céu de Belém, as sete aeronaves ajudaram a colorir ainda mais a foto de Thiago Gomes.

Receba atualização do Blog no seu email.



Violência no Pará: Político é assassinado no dia do seu aniversário e a 200 metros de uma delegacia

26 de Julho de 2018, 3:49, por AS FALAS DA PÓLIS

A vítima foi baleada há 200 metros de uma delegacia e morreu no dia em que completava 50 anos.

Por Diógenes Brandão

O ex-vereador de Pau d’Arco, Carlos Eduardo Barbosa Pereira, conhecido como "Neto do Chicão", foi executado a tiros no município de Redenção, sudeste do Pará. 

O crime aconteceu no fim da tarde desta quarta feira 25, por volta das 18 horas, quando “Neto do Chicão” completava 50 anos de idade.

A vítima foi vereador por três mandatos e uma vez candidato a vice-prefeito pelo PP, juntamente com o ex-prefeito Maurício Cavalcanti (MDB), nas eleições de 2016. 

Carlos Eduardo Barbosa Pereira, conhecido como "Neto do Chicão" foi vereador no município de Pau D'arco (PA)

De acordo com a polícia, o ex-parlamentar foi assassinado a 200 metros da delegacia de Redenção, quando chegou a uma casa de jogos no Centro da cidade e foi alvejado quando entrava no prédio. As investigações para identificar e prender os assassinos ainda não tem nenhum suspeito identificado.

Testemunhas que estavam dentro do estabelecimento disseram que ouviram apenas os tiros e que não deu para perceber quem atirou. Segundo informações repassadas pela polícia, tudo indica que a vítima já vinha sendo seguido e que as características apontam para crime de execução.  

Atualmente, "Neto do Chicão" não tinha mandato e nem ocupação definida.
Receba atualização do Blog no seu email.



Dornélio Silva: Advogados do MDB também foram ao TRE-PA contra a DOXA Pesquisas

24 de Julho de 2018, 20:06, por AS FALAS DA PÓLIS

Para Dornélio Silva, a estratégia do MDB é usar medidas judiciais para tentar coagir quem não está no projeto de poder de Helder Barbalho.

Por Diógenes Brandão


Ao ler a postagem Advogados de Helder Barbalho iniciam uma guerra jurídica nas eleições de 2018, o cientista político Dornélio Silva entrou em contato com o blog para dizer que no início do mês passado foi pego de supressa com a chegada de um procedimento jurídico semelhante ao que foi expedido hoje contra Márcio Miranda e que sentiu-se intimidado, mas respondeu ao pedido e aguardou os advogados do partido de Helder Barbalho, os quais não foram averiguar o que solicitaram em juízo.


"Me pareceu mais uma tentativa de coagir e nos impedir de informar à sociedade os resultados das pesquisas que realizamos no Estado. Mas estamos há 30 anos nessa área e  como apresentamos os números que realmente os eleitores informam em nossas checagens, os resultados das urnas comprovam nossa seriedade: Acertamos o resultado das últimas eleições para o governo em 2014 e em 85% dos municípios pesquisados nas eleições municipais de 2016", informou Dornélio, ao blog AS FALAS DA PÓLIS.

Com mais de 30 anos de profissão, tendo realizado pesquisas para todos os partidos existentes, Dornélio Silva revelou em primeira mão que recebeu no dia 06 de Julho, um requerimento formulado pelo MDB/PA com vista ao partido do pré-candidato Helder Barbalho ter acesso ao sistema interno de controle, à verificação e à fiscalização de coleta de dados, utilizados pela Doxa/LTDA, relativamente à pesquisa eleitoral registrada sob o número: PA- 07425/2018.
 
Ao acatar o pedido do MDB, o TRE-PA obrigou a DOXA Pesquisas a agendar uma visita do representante do partido de Helder Barbalho, com o objetivo de realizar o exame aleatório das planilhas, mapas ou equivalentes da referida pesquisa, em horário comercial, no prazo de 2 (dois) dias – sob pena de multa diária de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) a contar do término do prazo acima concedido.

Obedecendo o pedido judicial, Dornélio Silva e sua equipe de pesquisadores juntaram todas as provas requeridas e aguardaram a visita dos advogados do MDB-PA, que por sua vez não foram verificar o que solicitaram à justiça eleitoral.

Dornélio ainda lembra que durante as eleições de 2014, quando Helder Barbalho foi derrotado por Simão Jatene, a DOXA pesquisa sofreu uma tentativa de censura prévia, tendo sido impedido de divulgar 04 pesquisas eleitorais realizadas naquela disputa. Leia em DOXA: O erro das pesquisas e o resultado eleitoral

Na última pesquisa realizada por seu instituto, na antevéspera do segundo turno das eleições de 2014, deu 51,5% Jatene e 48,5% Helder (votos válidos). O resultado das urnas foi de 51,92% para Jatene e 48,08% para Helder. Ou seja, a DOXA foi o instituto de pesquisa que mais se aproximou do resultado daquela eleição.

Leia aqui, a pesquisa da DOXA, registrada e realizada em fevereiro deste ano, que provavelmente motivou o MDB-PA a ingressar com uma nova medida judicial no TRE-PA.
Receba atualização do Blog no seu email.



Advogados de Helder Barbalho iniciam uma guerra jurídica nas eleições de 2018

24 de Julho de 2018, 17:38, por AS FALAS DA PÓLIS

Advogados de Helder Barbalho (MDB) iniciam uma guerra jurídica que pode acompanhar todo o processo eleitoral de 2018.

Por Diógenes Brandão

Faltando 75 dias para as eleições de 2018, os advogados do MDB, partido de Helder Barbalho, pré-candidato que concorre pela segunda vez ao cargo de governador do Estado do Pará, ingressaram nesta terça-feira (24) com uma ação cautelar no TRE-PA, pedindo liminar de produção antecipada de provas em Ação Cautelar Preparatória contra o DEM e o deputado estadual, Márcio Miranda, pré-candidato ao governo, que hoje se encontra em segundo lugar na última pesquisa eleitoral registrada na Justiça Eleitoral do Pará.

No pedido feito à justiça eleitoral , os advogados de Helder Barbalho consideram que Márcio Miranda e o DEM vem realizando vários eventos pelo Estado, durante o período que é considerado de pré-campanha e por isso pedem que o pré-candidato e seu partido apresentem a prestação de contas de todos os gastos realizados até aqui.

Em seu despacho, a juíza Luzimara Costa Moura, relatora do processo observa em seu despacho: 

"...Ainda não adentramos sequer no período de registro de candidatura, e assim, não estaria o Partido ou o candidato tampouco obrigados a apresentar os gastos com tais eventos como gastos de campanha, haja vista que nem mesmo escolha em convenção ainda ocorreu, gerando a potencialidade de que os atos citados possam escapar ao controle e fiscalização da Justiça Eleitoral. Sendo o processo de Prestação de Contas referente às Eleições Gerais de competência deste Regional, assim como também os processos de propaganda extemporânea, que inserir-se-ão na esfera de competência dos Juízes Auxiliares desta Corte, não resta dúvida de que a medida deverá ser apreciada por este Colegiado. ISTO POSTO, verificando que exsurgem dos autos os requisitos autorizadores, DEFIRO A LIMINAR para determinar, no prazo de 05 (cinco) dias, sob pena de multa diária de R$ 3.000,00 (três mil reais)". 

O pedido pode dar em nada ou encaminhar para um processo, caso seja identificado algum gasto abusivo, que pode qualificado como abuso de poder econômico ou como campanha extemporânea. Mas o certo é que Márcio Miranda e seu partido tem um prazo estipulado para apresentar notas fiscais, contratos de prestadores de serviços e demais gastos com os eventos que o MDB reclama por transparência.

Abre-se a partir de hoje, um precedente jurídico, que deve acompanhar esse cabo de guerra entre tucanos e barbalhistas: A judicialização das eleições deste ano.

Um antenado comentarista do blog, que prefere não se identificar, pergunta:  

"Afinal, o Helder Barbalho ou seu partido (0 mesmo de Temer), já apresentou alguma nota fiscal ou recibo dos eventos que ele tem realizado ou participado durante esta pré-campanha? Não é ele a mudança? Ou vai esperar ser acionado na justiça com os mesmos argumentos usados pelos seus advogados para poder fazer o mesmo? Tenho minhas dúvidas de que falará a verdade, já que nega com veemência que tenha recebido propina das empresas acusadas de desviar dinheiro público, como foi descoberto pelas investigações da Lava Jato."

Até o fechamento desta matéria, não houve qualquer manifestação de Márcio Miranda ou do seu partido, o DEM-PA, sobre que medidas que serão tomadas pela defesa do pré-candidato.
Receba atualização do Blog no seu email.