Ir para o conteúdo

Diógenes Brandão

Tela cheia

Blog

3 de Abril de 2011, 21:00 , por Desconhecido - | 1 person following this article.
Licenciado sob Copyleft

Um breve resumo da complexidade eleitoral no Pará. Quem entra e quem sai após TSE julgar os méritos?

25 de Setembro de 2018, 3:30, por AS FALAS DA PÓLIS

Segundo todos os institutos de pesquisa, Helder Barbalho e Márcio Miranda lideram a disputa no Pará.

Por Diógenes Brandão

Faltando 12 dias para o 1º turno das eleições gerais, o eleitor paraense ainda não teve a oportunidade de assistir um único debate entre os candidatos ao cargo de governador e os cinco que disputam este pleito e para piorar tem quem esteja evitando entrevistas em programas promovidos por emissoras de rádio e TV. 

Afinal de contas, o que está acontecendo com estas eleições, que já foram encurtas de três para um mês e meio e ainda assim, não vemos a menor empolgação das emissoras e veículos de comunicação do Estado em promover eventos que apresentem os candidatos e sua propostas. Assim, os eleitores paraenses seguem apáticos, sem exibir bandeiras, cartazes ou demonstração de apoio aos seus candidatos como de outrora.

Um dos exemplos desta apatia é a baixa disputa de cores neste processo eleitoral. Com o vermelho do PT/PCdoB retraído pela falta de estrutura financeira, o azul do MDB e o amarelo do DEM acabam configurando-se predominantes nesta eleições.

Com a agitação comparada à água de poço, a militância dos candidatos ao governo do Estado, principalmente de Helder Barbalho (MDB) e Márcio Miranda (DEM) acaba rivalizando mesmo é nas redes sociais, onde também se encontram em disputa os militantes de Jair Bolsonaro, Fernando Haddad, Ciro Gomes e Marina Silva, os mais bem posicionados e com a maioria dos ativistas em debate na internet como um todo.

Com isso, a confusão aumenta e todos agem como se estivessem em uma disputa de som automotivo em pleno domingo das férias de Julho, na praia do Atalaia, onde cada motorista abre sua mala de som ou liga sua carretinha e disputa quem berra mais alto.

O eleitor, atônito, tenta entender quem é ficha limpa e quem não está na lava jato, mas por mais que diga que não quer mais a corrupção, muitos acabam esperando por algum benefício para si próprio até o dia das eleições, pois como se diz: Não se pode votar em qualquer um de graça. Ou seja, as pessoas precisam ganhar alguma coisa. 

Sabendo disso, muitos candidatos seguram dinheiro e tentam novamente driblar a justiça eleitoral, que agora julga se os advogados das coligações merecem ou não terem seus pleitos atendidos. A guerra jurídica ainda vai deixar muita gente ainda mais rica. 

Na polarização da disputa ao governo, de um lado, o ex-ministro de Dilma Rousseff e Michel Temer​, o jovem Helder Barbalho​, 39 anos, mas para quem conhece a política local sabe que ele não tem nada de novo, pois representa uma família que somados os anos de mandatos dos que estão vivos (Jader, Helder, Elcione, Priante, etc.) passam de 120 anos de exercício profissional exclusivamente na política. Sem falar do pai de Jader, Joércio Barbalho, que Deus o tenha. 

O desgaste do sobrenome Barbalho tem sido o grande entrave de Helder, que mesmo citado em denúncias e delações de réus, na Lava Jato, tem se mantido na liderança das pesquisas  eleitorais até aqui divulgadas, embora ainda não tenha garantia de que pode liquidar as eleições no 1º turno, tal como sua mãe, a deputada federal Elcione Barbalho falou que era necessário, pois sabe que sem isso, as dificuldades aumentam para a família chegar novamente ao governo do Estado.

Do outro lado, Márcio Miranda, médico que queria ser candidato ao senado, mas foi escolhido pelos seus pares na ALEPA para ser o sucessor de Jatene e encarrou o desafio de ser candidato apoiado por ele, o que o tornou persona non grata dos Barbalho, dos deputados do MDB e demais partidos que estão na coligação de Helder e que antes o elegeram por três vezes consecutiva como seu líder.

Se antes o elogiavam e nele votaram por duas vezes consecutivas para ser reeleito presidente da Assembleia Legislativa do Pará, agora, Márcio é acusado de diversos crimes através de uma sofisticada estrutura de comunicação, que produz vídeos publicitários atacando o candidato que teve recentemente um processo movido contra ele por uma suposta manobra em sua entrada na reserva da PM, após ser eleito pela 1ª vez deputado estadual. 

Helder também tem vídeos publicados contra si e sua família em uma linha paralela ao que a lei permite exibir na TV. 

Portanto, fica óbvio concluir que operadores e aliados das campanhas em disputa produzem material de ataque aos adversários e de defesa dos seus candidatos, que são jogados diariamente nas redes sociais através de "laranjas" e "formiguinhas" digitais, que se encarregam de compartilhar esse tipo de material sem assinatura, enchendo nossos aparelhos celulares de matéria apócrifo.

Mas assim como o fantasma da Moça do Taxy, a prática de espalhar fake news já virou lenda e faz parte do folclore paraense, décadas antes do termo ter virado moda no mundo político e da comunicação.

Por não ser tucano, há quem diga que Márcio Miranda cresce em todas as pesquisas com um ritmo que poderia ser melhor, se não fosse o corpo mole de parte do PSDB, mas é óbvio que o candidato tem grande parte de sua campanha ligada aos tucanos, que estão há quase 20 anos no poder no Estado e que isso é usado como fator negativo para sua campanha.

Acusações de ser ficha suja, foram retiradas do ar por ordem da justiça eleitoral, após serem consideradas ilegais e sem fundamento. 

Para ambos os candidatos, a dificuldade de crescer e não aumentar a rejeição é aliviada pela falta de impulsionamento dos demais concorrente, que estão fazendo campanha da forma mais limitada possível, tanto de recursos humanos, quanto materiais. 

O futuro do Pará a Deus pertence, mas a decisão sobre quem vai ficar na disputa pelas duas vagas ao senado poderá ser decidida nas próximas horas pelo STF, que após ser acessado pelos advogados de Mário Couto, através da decisão monocrática do ministro Edson Fachin, acabou de negar o recurso do mesmo e manteve a decisão do TRE-PA de mantê-lo sem o tempo de TV e sem o nome na urna eletrônica

No entanto, o candidato que aparece liderando as pesquisas eleitorais ao senado, tem destacado-se em sua campanha nas redes sociais e no dia-a-dia, seja nas ruas da região metropolitana de Belém, como em suas andanças pelo interior do Pará.

O recursos que a defesa de Mário Couto impetrou no TSE, visam a revisão desta decisão de Fachin, mais que ainda vai ser avaliada pelo pleno do TSE, ou seja, pelos demais ministros que Fachin ainda não submeteu para apreciação do processo, mas negou o direito do ex-senador e assim manteve Jader Barbalho e Zequinha Marinho como os detentores do tempo e da vaga que Mário Couto, que acusou o PP de ter fraudado ata da convenção que homologou sua candidato, para dar aos Barbalho de mãos beijadas o tempo de propaganda no rádio e na TV.

Até amanhã e durante todos esses dias que antecedem o chamado dia D, muita água ainda estar por passar embaixo da ponte do Outeiro e quem agora ri, pode chorar mais tarde. 
Receba atualização do Blog no seu email.



Mário Couto se prepara para recorrer contra decisão do TRE e de Fachin

24 de Setembro de 2018, 12:28, por AS FALAS DA PÓLIS




O candidato ao Senado Mário Couto teve indeferido pelo ministro do TSE Edson Fachin o pedido de liminar, em ação cautelar, para que o nome dele seja posto novamente nas urnas e que ele retorne à propaganda na TV e no rádio, alegando ter sofrido inúmeros prejuízos com a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que indeferiou registro da candidatura. Fachin mandou que o candidato Wladimir Costa retome a candidatura ao Senado, mas usou argumento diferente para indeferir o retorno de Mário Couto.   

A decisão de Fachin, prolatada na noite de ontem, domingo, antecede o julgamento do recurso especial em que Mário Couto, no mérito, pretende se manter na disputa eleitoral. Esse recurso deve ser julgado assim que o Ministério Público Eleitoral (MPE) devolver o processo ao TSE. A procuradoria deve emitir parecer sobre a manutenção da decisão do TRE ou a reforma dessa decisão pelo TSE.   

No trecho em que Fachin rejeita o pedido de Couto, ele argumenta que "foi devidamente outorgado poderes específicos para a Comissão Executiva realizar a exclusão do candidato". E mais: "apesar de alegar que houve uma terceira ata do Progressistas/PA cujo teor foi analisado apenas no voto vencido, o autor não fez juntar nos autos o voto vencido, de forma que não é possível aferir a plausibilidade do recurso quanto ao ponto".  

Contudo, no pedido de reconsideração, Inocêncio Mártires anexou o voto vencido no TRE - do juiz Roberto Moura, em que ele estranha os cinco juízes que alijaram Couto da disputa eleição não terem dado importância, ou sequer lido a terceira ata, a de registro da candidatura ao Senado pelo PP. Fachin pode ainda determinar que Couto retome a campanha, a propaganda eleitoral na TV e rádio e tenha seu nome reinserido nas urnas eletrônicas. Caso não aceite, tudo será decidido no plenário do TSE.   

Veja a íntegra da decisão de Fachin, no blog Ver-o-Fato.


Receba atualização do Blog no seu email.



Inauguração da nova Av. João Paulo II é marcada por protestos e alagamentos

24 de Setembro de 2018, 2:11, por AS FALAS DA PÓLIS

Para batizar essa inauguração, ao final da tarde com a chuva forte que caiu na grande Belém, trechos foram alagados impedindo a circulação de veículos e pedestres.

Por José Oeiras, no Facebook, sob o título: Prolongamento da Av. João Paulo II: arremedo de mobilidade urbana  

Hoje o governo do estado abriu para o transporte a nova parte do prolongamento da Av. João Paulo II, no perímetro que vai da rua Mariano, no Entroncamento, até o viaduto do Coqueiro na BR 316. 

Foram 5 anos de espera e esse trecho não passa de um arremedo de mobilidade urbana, onde problemas de caos do transporte urbano não serão resolvidos devido a inúmeros problemas, principalmente de ordem físico e sanitário. 

Houve protestos de moradores no bairro da Pedreirinha, no ato de inauguração, devido estarem preocupados com a segurança dos pedestres com o estreitamento da via, sem sinalização e passarelas.

Um outro problema de ordem ambiental é a carga de dejetos e águas pluviais que vão aumentar a contaminação das águas dos lagos Bolonha e Água Preta, devido a inexistência de um cinturão sanitário de proteção, que seria a construção do esgotamento sanitário nos bairros que estão às margens da avenida. 

Para batizar essa inauguração, ao final da tarde com a chuva forte que caiu na grande Belém, trechos foram alagados impedindo a circulação de veículos e pedestres, como é a área do bairro do Curió-Utinga. 

Ou seja, sem a solução de drenagem dessas áreas, a avenida só funcionará em tempo de verão. 

E olhe que em Belém chove o ano inteiro. 

O prolongamento da Av. João Paulo II (antiga avenida 1° de dezembro) foi projetada no final dos anos 80 e inicio dos anos 90 pela JICA (Japan International Cooperation Agency) para ser construída naquela época e não foi feito pelo descaso político dos governos do PMDB (Jader Barbalho e do PSBD (Almir Gabriel e Simão Jatene).





Receba atualização do Blog no seu email.



João Eudes: Decisões no TSE podem virar o jogo nas eleições para o senado

22 de Setembro de 2018, 19:18, por AS FALAS DA PÓLIS



Por Diógenes Brandão

O blog AS FALAS DA PÓLIS realizou o segundo Bate Papo da Pólis, desta vez com o advogado especialista em Direito Eleitoral, João Eudes Neri, que revelou os principais processos judiciais no TRE-PA, onde acontece uma verdadeira guerra travada entre os principais candidatos ao governo e ao senado.

Entre os principais assuntos debatidos na entrevista, o caso do candidato Mário Couto, que recorreu ao TSE

Confira!  

Receba atualização do Blog no seu email.



DOXA revela os mais citados na pesquisa para Deputado Estadual

21 de Setembro de 2018, 22:55, por AS FALAS DA PÓLIS

Por Diógenes Brandão, com informações da DOXA Pesquisas     

O Instituto DOXA publica sua mais nova pesquisa para o cargo de deputado estadual no Pará.  

Registrada no T.R.E sob o nº PA-PA-05803/2018, a pesquisa foi realizada entre os dias 12 a 15 de setembro/2018, com 1.939 eleitores entrevistados, tendo como margem de erro 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos do resultado final.   

A pesquisa foi de forma espontânea, isto é, não foi apresentado ao entrevistado nenhum nome de candidato. O pesquisador apenas registrou o que foi dito pelo eleitor que participou da pesquisa.     

A pesquisa mostra que 66,5% dos eleitores paraenses ainda não tem candidato a deputado estadual.   

A Doxa esclarece que a pesquisa é feita pelas seis mesorregiões do Estado (Metropolitana, Nordeste, Sudeste, Sudoeste, Baixo Amazonas e Marajó), contemplando 40 municípios.

Veja os números com os mais citados pelos eleitores entrevistados:



Receba atualização do Blog no seu email.



Os mais bem posicionados para as vagas de deputado federal

20 de Setembro de 2018, 20:38, por AS FALAS DA PÓLIS

Por Diógenes Brandão, com informações da DOXA Pesquisas  

A DOXA publica sua segunda pesquisa estadual para o cargo de deputado federal no Pará.  

Veja os números com os mais bem posicionados:



Registrada no T.R.E sob o nº PA-05803/2018 foi realizada entre os dias 12 a 15 de setembro/2018, a pesquisa foi realizada com 1.939 entrevistas, tendo como margem de erro 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos do resultado final.

A pesquisa foi de forma espontânea, isto é, não foi apresentado ao entrevistado nenhum nome de candidato. O pesquisador apenas registrou o que foi dito pelo eleitor que participou da pesquisa.   

A pesquisa mostra que 66,5% dos eleitores paraenses ainda não tem candidato a deputado federal.   

A Doxa esclarece que a pesquisa é feita pelas seis mesorregiões do Estado (Metropolitana, Nordeste, Sudeste, Sudoeste, Baixo Amazonas e Marajó), contemplando 40 municípios.
Receba atualização do Blog no seu email.



DOXA Pesquisas: Facada em Bolsonaro não sensibilizou a maioria dos paraenses

19 de Setembro de 2018, 16:07, por AS FALAS DA PÓLIS

Por Diógenes Brandão, com informações da DOXA Pesquisas    

36,8 dos paraenses acha que o episódio da facada no candidato Bolsonaro não vai mudar nada o resultado das eleições. Já 20,2% dos eleitores entrevistados está indiferente e 13,8% diz que ele vai perder mais votos. 

23,6% dos paraenses diz que Bolsonaro irá se vitimizar com a facada e isso vai aumentar sua votação.

5,6% não souberam opinar ou não responderam a pergunta.

A pesquisa DOXA foi divulgada na última segunda-feira (17).



FICHA TÉCNICA DO REGISTRO DA PESQUISA  

Registrada no TRE-PA sob o protocolo PA-05803/2018, a nova pesquisa realizada pelo Instituto DOXA coletou as informações acima durante período de 12 a 15 de setembro com 1.896 eleitores, entrevistados nas 12 mesorregiões do Estado.       

O nível de confiança utilizado é de 95% e a margem de erro estimada de 2,25% para mais ou para menos. A pesquisa foi encomendada GRAVASOM/A Província do Pará.   

Leia também:   






Receba atualização do Blog no seu email.



DOXA: A maioria dos paraenses não vota em citados na Lava Jato

19 de Setembro de 2018, 15:11, por AS FALAS DA PÓLIS

Por Diógenes Brandão, com informações da DOXA Pesquisas  


A pesquisa DOXA divulgada na última segunda-feira (17), revela que a maioria absoluta (50,4%) dos eleitores entrevistados não votaria de jeito nenhum em um candidato que já tenha sido citado pela Lava Jato. 



35% dos eleitores entrevistados dizem que poderiam votar e 6,9%. 7,1% Não souberam opinar ou não responderam a pergunta.






Receba atualização do Blog no seu email.



Pesquisa Presidente: No Pará, mesmo mais rejeitado Bolsonaro lidera, seguido de Haddad

19 de Setembro de 2018, 14:30, por AS FALAS DA PÓLIS

Por Diógenes Brandão, com informações da DOXA Pesquisas

Divulgada a pesquisa DOXA para presidente.

Veja os números: 

 



FICHA TÉCNICA DO REGISTRO DA PESQUISA

Registrada no TRE-PA sob o protocolo PA-05803/2018, a nova pesquisa realizada pelo Instituto DOXA coletou as informações acima durante período de 12 a 15 de setembro com 1.896 eleitores, entrevistados nas 12 mesorregiões do Estado.     

O nível de confiança utilizado é de 95% e a margem de erro estimada de 2,25% para mais ou para menos. A pesquisa foi encomendada GRAVASOM/A Província do Pará.


Leia também: 


Receba atualização do Blog no seu email.



Jader Barbalho e Mário Couto consolidam liderança para o senado

17 de Setembro de 2018, 20:10, por AS FALAS DA PÓLIS

Por Diógenes Brandão, com informações da DOXA Pesquisas

A última pesquisa DOXA publicada nesta segunda-feira, 17, trouxe números sobre as entrevistas realizadas para presidente, governador, senador, deputado federal e estadual. 

Para o senado, concorrem 18 candidatos, os quais disputam duas vagas representado o Estado do Pará.

Jader Barbalho (MDB) continua liderando com 12,3%, seguido de perto por Mário Couto (PP), que tem 11,7% da preferência do eleitor paraense. 

Em comparação à pesquisa anterior, Jader Barbalho tinha 11,9% e cresceu para 12,3%, um pequeno de 0,4%. Já Mário Couto tinha 11,5% e foi para 11,7%, sendo assim, cresceu 0,2%. 

Em terceiro lugar vem Flexa Ribeiro (PSDB), com 10,8%, sendo que na penúltima pesquisa DOXA, o senador tucano tinha 10,3%. Ou seja, cresceu 0,5% das intenções de voto.

Os maiores índices de crescimento foram de Jarbas Vasconcelos (3,4%),  Wladimir Costa (2,7%), Sidney Rosa (2,2%) e Ursula Vidal (0,9%).

Os demais números podem ser vistos abaixo:



Registrada no TRE-PA sob o protocolo PA-05803/2018, a nova pesquisa realizada pelo Instituto DOXA coletou as informações acima durante período de 12 a 15 de setembro com 1.896 eleitores, entrevistados nas 12 mesorregiões do Estado.   

O nível de confiança utilizado é de 95% e a margem de erro estimada de 2,25% para mais ou para menos. A pesquisa foi encomendada GRAVASOM/A Província do Pará.
Receba atualização do Blog no seu email.



Nova pesquisa aponta 2º turno entre Helder Barbalho e Márcio Miranda.

17 de Setembro de 2018, 18:56, por AS FALAS DA PÓLIS

Por Diógenes Brandão, com informações da DOXA

Registrada no TRE-PA sob o protocolo PA-05803/2018, a nova pesquisa realizada pelo Instituto DOXA foi realizada no período de 12 a 15 de setembro com 1.896 eleitores, entrevistados nas 12 mesorregiões do Estado. 

O nível de confiança utilizado é de 95% e a margem de erro estimada de 2,25% para mais ou para menos. A pesquisa foi encomendada GRAVASOM/A Província do Pará.

A terceira pesquisa DOXA realizada desde o início oficial da campanha eleitoral 2018, aponta uma mudança em relação as outras realizadas até aqui. 

O líder da pesquisa até então,  Helder Barbalho (MDB) está estabilizado na primeira colocação, porém com leve queda de 0,3% em comparação à penúltima pesquisa. 

Já seu principal concorrente, Márcio Miranda (DEM) subiu 1,5% a mais do que na penúltima pesquisa e hoje, mantém em segundo lugar, com uma diferença de 8,9%, em relação a Helder.

Paulo Rocha (PT), tinha 14,1% na penúltima pesquisa DOXA e subiu 0,2%, estando agora com 14,3%.

Fernando Carneiro (PSOL) tinha 2,5% e hoje tem 3,7% das intenções de voto. Ou seja, cresceu 1,2%. 

Cleber Rabelo (PSTU) tinha 1,4% e hoje tem 2,1%. Um crescimento de 0,5%.




Receba atualização do Blog no seu email.



Mário Couto: Imprensa paraense cria Fake News a mando dos Barbalho

16 de Setembro de 2018, 5:38, por AS FALAS DA PÓLIS

Não vamos mais recorrer ao TRE, pois aqui a justiça já provou que é parcial e obedece ao Jader Barbalho, afirma o candidato ao senado que está tecnicamente empatado com seu rival, na liderança das preferência eleitoral, segundo as últimas pesquisas.

Por Diógenes Brandão

Mário Couto, candidato do PP ao senado, usou seu perfil no Facebook para denunciar o que chama de Fakes News da imprensa paraense, que segundo ele, está a serviço dos Barbalho.  

Em uma Live (vídeo transmitido ao vivo), ele disparou contra a família - que tem Helder Barbalho como candidato ao governo, Jader Barbalho tentando a reeleição ao senado e Elcione Barbalho (ex-esposa de Jader e mãe de Helder) tentando a reeleição Câmara dos Deputados, assim como José Priante, o primo que também quer se reeleger - e o TRE. 

Assista o vídeo:


Em contato com o candidato, o blog AS FALAS DA PÓLIS confirmou que Mário Couto resolveu chutar o balde e vai continuar se manifestando nas redes sociais contra o que chamou de complô de grande parte da imprensa e do judiciário paraense, que pelas palavras dele, estão a serviço dos seus ex-aliados políticos para tentar calar sua voz, mas não conseguirão.

Em nota, que circula pelas redes sociais, Mário Couto disparou: 

A divulgação de "matérias jornalísticas" dizendo que estou impugnado, na verdade não passa de uma tentativa vil de me tirar do jogo, sem antes o TSE julgar o meu recurso, o qual levarei pessoalmente à Brasília na próxima segunda-feira.  Não vamos mais recorrer ao TRE, pois aqui a justiça já provou que é parcial e obedece ao Jader Barbalho.

E esperem para ver: Quando o TSE julgar o meu recurso e manter a minha candidatura, vocês sabem quem cai? Respondo: Jader Barbalho e Zequinha Marinho”, concluiu Mário Couto.

TRE-PA MANTEVE MÁRIO SEM RÁDIO E TV. SEU NOME TAMBÉM FOI EXCLUÍDO DA URNA

A sessão do TRE-PA desta última quinta (13) já pode ser considerada paradigmática para os moldes de julgamento da alta corte eleitoral do Pará. O processo mais aguardado na pauta do dia, dizia respeito a decisão sobre o recursos impetrado pela defesa de Mário Couto, onde reivindicava o tempo de televisão do Partido Progressista (PP), que chegou a aprovar seu nome como candidato ao senado, mas depois o retirou da ata retificadora, a qual alterou a ata da convenção, minutos antes do termino do prazo para envio ao TRE.

Mário CoutoJader Barbalho estão tecnicamente empatados na liderança da intenção de votos do eleitorado paraense, segundo foi apurado pela última pesquisa do Instituto DOXA, divulgada no dia 07 de Setembro, onde mostra Jader com 11,9% e Mário Couto com 11,5%.

ONDE TUDO COMEÇOU?

Alegando medo de serem denunciados em sua fala sempre muito contundente contra os corruptos, Mário Couto acusa Jader e seu grupo político de tentarem atrapalhar sua candidatura. 

Segundo ele, esse processo de perseguição e mentiras mal contadas é movido pelos seus adversários desde o dia 06 de Agosto, quando através de uma manobra jurídica com os dirigentes do PP, inclusive o deputado federal Beto Salame, que preside o partido no Pará, Mário Couto foi aclamado candidato do partido e logo em seguida, na "calada da noite", em uma ata retificadora, teve seu nome retirado da disputa, causando uma grande lambança e gerando mais duas atas retificando o que aconteceu na convenção partidária que acabou retirando o nome de Mário Couto e deixou apenas de Jader Barbalho e Zequinha Marinho, como candidatos da coligação onde o PP se encontra com o MDB e mais 16 partidos.

Isso acontece porque segunda a lei eleitoral, os partidos que coligam para o governo, não podem informar que estão com mais de 02 candidatos ao senado nesta eleição e a coligação de Helder Barbalho tinha mais de 02, inclusive Mário Couto, que segundo o próprio, nunca imaginou que pudesse ser golpeado com quem esteve aliado até 40 dias atrás. 


CASO DE POLÍCIA

Na última quarta-feira, o blog AS FALAS DA PÓLIS já havia divulgado a matéria Golpe, fraudes e falsificações transformam as eleições no Pará em caso de polícia, que onde informamos à sociedade paraense da grave denúncia protocolada no Ministério Público Federal, pelo suplente de Mário Couto, Eslon Martins, que denunciou a existência de uma trama entre o PP presidido por Beto Salame e seu principal aliado, o MDB, presidido por Helder Barbalho e tem como presidente de honra, o senador Jader Barbalho, seu pai.  

Na matéria, o blog analisou que o fato mexeu com os bastidores da política paraense e trouxe uma grande preocupação nos partidos da coligação "O Pará daqui pra frente", capitaneada pelo candidato e ex-ministro Helder Barbalho, que foi derrotado por Simão Jatene nas eleições de 2014 e agora lidera as pesquisas eleitorais para o governo do Estado.

Abaixo, o vídeo onde Mário Couto desabafa e diz que vai continuar lutando contra os corruptos:  


Poucas horas depois, o blog AS FALAS DA PÓLIS teve acesso ao vídeo que foi anexado na denúncia de Eslon Martins e que configura-se como prova de que houve a prática de um crime eleitoral, o qual certamente deverá ser investigado pela Polícia Federal, bem como pelo Ministério Público Federal, Estadual e Eleitoral, assim como avaliado pelo pleno do TRE-PA, pois trata-se de um caso grave e que fere letalmente o processo democrático nestas eleições.  

Assista o vídeo onde o secretário-geral do Partido Progressista no Pará, Emanoel Nazareno Souza Muniz revela que teve sua assinatura falsificada em uma ata retificadora, entregue ao TRE-PA e que foi utilizada para deixar apenas Jader Barbalho (MDB) e Zequinha Marinho (PSC) com o tempo de TV da coligação, inclusive com o tempo de rádio e TV do PP, que já havia decidido ter Mário Couto como candidato do partido, mas foi sumariamente retirado da tal ata, que agora é apresentada como falsificada.



Ignorando tudo isso, o TRE decidiu por 5 votos a 1, manter Mário Couto fora da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV e mandou retirar o nome do candidato da urna eletrônica e por isso, o candidato vai à Brasília, onde recorrerá ao Tribunal Superior Eleitoral, para assegurar seu tempo na propaganda eleitoral gratuita no rádio e na tv, além de manter-se candidato e com seu nome na urna eletrônica. 

Receba atualização do Blog no seu email.



PP falsificou assinaturas para beneficiar Helder Barbalho e Zequinha Marinho

13 de Setembro de 2018, 22:39, por AS FALAS DA PÓLIS



Por Diógenes Brandão

A denúncia protocolada nesta quarta-feira, 12, no Ministério Público Federal mexeu com os bastidores da política paraense e trouxe uma grande preocupação nos partidos da coligação "O Pará daqui pra frente", capitaneada pelo candidato e ex-ministro Helder Barbalho, que foi derrotado por Simão Jatene nas eleições de 2014 e agora lidera as pesquisas eleitorais para o governo do Estado.

Na matéria Golpe, fraudes e falsificações transformam as eleições no Pará em caso de polícia vimos que Eslon Martins denunciou a existência de uma trama entre o PP e seu principal aliado, o MDB, presidido por Helder Barbalho e tem como presidente de honra, o senador Jader Barbalho, seu pai.

Agora, eis que o blog AS FALAS DA PÓLIS teve acesso ao vídeo que foi anexado na denúncia de Eslon Martins e que configura-se como prova de que houve a prática de um crime eleitoral, o qual certamente deverá ser investigado pela Polícia Federal, bem como pelo Ministério Público Federal, Estadual e Eleitoral, assim como avaliado pelo pleno do TRE-PA, pois trata-se de um caso grave e que fere letalmente o processo democrático nestas eleições.

Assista o vídeo onde o secretário-geral do Partido Progressista no Pará, revela que teve sua assinatura falsificada em uma ata retificadora, entregue ao TRE-PA e que foi utilizada para deixar apenas Jader Barbalho (MDB) e Zequinha Marinho (PSC) com o tempo de TV da coligação, inclusive com o tempo de rádio e TV do PP, que já havia decidido ter Mário Couto como candidato do partido, mas foi sumariamente retirado da tal ata, que agora é apresentada como falsificada.



Receba atualização do Blog no seu email.



DOXA: Os mais bem posicionados para uma vaga na ALEPA

12 de Setembro de 2018, 21:08, por AS FALAS DA PÓLIS

Por Diógenes Brandão, com informações da DOXA Pesquisas  

A DOXA publica sua primeira pesquisa estadual para o cargo de deputado estadual no Pará.  Registrada no T.R.E sob o nº PA-08758/2018 foi realizada entre os dias 2 a 6 de setembro/2018,  a pesquisa foi realizada com 1.896 entrevistas, tendo como margem de erro 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos do resultado final.

A pesquisa foi de forma espontânea, isto é, não foi apresentado ao entrevistado nenhum nome de candidato. O pesquisador apenas registrou o que foi dito pelo eleitor que participou da pesquisa.   

A pesquisa mostra que 61,1% dos eleitores paraenses ainda não tem candidato a deputado estadual.   

A Doxa esclarece que a pesquisa é feita pelas seis mesorregiões do Estado (Metropolitana, Nordeste, Sudeste, Sudoeste, Baixo Amazonas e Marajó), contemplando 40 municípios.






Receba atualização do Blog no seu email.



Golpe, fraudes e falsificações transformam as eleições no Pará em caso de polícia

12 de Setembro de 2018, 17:59, por AS FALAS DA PÓLIS

Lançado senador na convenção de seu partido, Mário Couto teve seu nome retirado da 2º ata retificadora após reunião do PP.

Por Diógenes Brandão


Suplente de Mário Couto (PP), Eslon Martins (PP) denuncia fraude na ata da convenção que homologou a aliança do PP com o MDB e lançou as candidaturas de Jader Barbalho e Zequinha Marinho ao senado e Helder Barbalho ao governo.  


Além do Ministério Público Federal, Eslon dará entrada com a denúncia e as provas do crime na Polícia Federal, Ministério Público Eleitoral e no Tribunal Regional Eleitoral.


Segundo Eslon, existem provas contundentes que podem mexer no tabuleiro eleitoral e fazer com que ele e Mário Couto tenham o tempo de TV garantido e a chapa de Helder e Jader Barbalho sofram punição, perda de tempo na propaganda eleitoral gratuita e até ser cassada pela justiça eleitoral. 


Seguem trechos da notícia crime protocolada na tarde desta quarta-feira (12), no Ministério Público Federal, junto com vídeos, atas, documentos, áudios e testemunhos anexados:

"Em 04.08.2018 o noticiante participou da convenção de sua legenda tendo sido escolhido como candidato ao cargo de Senador da República, concorrendo sob o número 111. Naquela ocasião, os convencionais escolheram a chapa completa para primeira vaga de Senador e resolveram não lançar candidatos para segunda vaga. 

Em 05.08.2018, a comissão executiva do PP/PA se reuniu “na calada da noite” e decidiram formalizar coligação para os cargos de senador com as chapas encabeçadas por Jáder Barbalho e Zequinha Marinho.


Por conta dessa manobra, a chapa do noticiante ainda não conseguiu ter acesso ao horário eleitoral gratuito, pois, o tempo de rádio e televisão do Partido Progressista foi entregue “de mão beijada” as chapas de Jáder Barbalho e Zequinha Marinho.  


A atitude dos membros da executiva regional do PP foi bastante suspeita, pois, reuniram-se altas horas (23h), decidem apoiar Jader Barbalho e Zequinha Marinho para o cargo de senador, contrariando expressa disposição dos convencionais, os quais, já haviam escolhido lançar Mário Couto/Eslon Martins/Roberto Pena.  


Essa conduta sorrateira dos convencionais ligou o alerta e o ora noticiante acionou sua equipe jurídica para fazer varredura nas atas do Progressista Pará. O resultado dessa auditagem revelou fraudes, engodos e crimes, conforme a seguir detalhado.


É forte a suspeita que membros da executiva estadual do PP tenham vendido o tempo de rádio e televisão do Progressista para favorecer as campanhas de Jáder Barbalho e Zequinha Marinho, os quais estão usando o tempo que deveria ser utilizado pela chapa Mário Couto/Eslon Martins/Roberto Pena, filiados PP.   


O crime em questão teve esse intento: a apropriação do horário eleitoral “gratuito” do Progressista por Jader Barbalho e Zequinha Marinho, sendo que os demais delitos funcionam como crime-meio. Porém, o golpe mais grave foi terem adulterado a vontade dos convencionais/PP, que de modo legítimo e democrático escolheram Mário Couto/Eslon Martins candidatos ao Senado e sorrateiramente, alguns “espertalhões”, na reunião de 05.08.2018, venderam essas candidaturas e o tempo TV a Jader Barbalho."


Observe-se a fraude grosseira nas assinaturas: 





Assista o vídeo transmitido ao vivo pelas redes sociais do Mário Couto:

Receba atualização do Blog no seu email.